Tecnologia do Blogger.

30/07/2014

DIVULGAÇÃO: Robson Gundim na Bienal do Livro - SP


Bom dia, leitores!

Como estão? 

Nosso autor parceiro +Robson Gundim está de malas prontas para partir para mais uma realização profissional! Em Agosto ele estará com presença marcada na Bienal do livro em SP! Infelizmente, nos da Academia não poderemos estar lá para apoiar nosso parceiro (questões de $$$), mas vamos estar por aqui dando todo o nosso apoio!

Eis o que vocês devem saber para encontrar o autor na Bienal: 

Data: Sábado, 30 de agosto, 
Local: Av. Olavo Fontoura, 1209, às 20:00
Pavilhão: Pavilhão De Exposições do Anhembi / Bienal de SP, Rua i, estande 699 - Modo Editora

Haverá brindes (surpresa), e sorteios de camisas personalizadas do livro!!!

Curtam a Fanpage!
Vídeo com o convite do autor: aqui.

Compareçam leitores, vale muito a pena. 

Leia Mais ►

28/07/2014

DIVULGAÇÃO: Faro editorial compra série de suspense da Sylvia Day



Boa tarde, leitores! Todos curtindo a ressaca depois do mega evento de Sábado? Espero que tenham curtido. Em breve sai nossa postagem de consideração do evento, onde falaremos dos bastidores e do que rolou lá (para quem não pode ir).

Bom, vamos falar de divulgações. Nossa parceira, a  Faro Editorial adquiriu os três livros da série Marked, da best-seller Sylvia Day: Eve of Darkness, Eve of Destruction e Eve of Chaos. Diferente dos seus outros livros publicados aqui no Brasil, esta série traz erotismo num thriller de suspense com muita ação. O lançamento da série será no próximo ano.










Confiram uma breve sinopse do que está por vir:
"Evangeline tem uma noite de amor incrível com um homem misterioso. No dia seguinte descobre que foi marcada, ele era Caim. E agora é transformada numa assassina de demônios, e Abel, é seu novo chefe. Eva tornou-se o último ponto de discórdia, no caso mais antigo de rivalidade entre irmãos na história ... Amaldiçoada por Deus, caçada por demônios, desejada por Caim e Abel ... Tudo acontece num dia normal de trabalho".


Curtiram? Esperem por mais notícias! 

Leia Mais ►

25/07/2014

A 'Dona Branca'



A Delgado de Carvalho Júnior

No dia 6 de outubro de 1891, quando o senhor Vieira, às sete horas da manhã, pôs o chapéu para sair, Dona Catarina, sua esposa, disse, consertando-lhe o laço da gravata:
— Sabes de uma coisa? Mana Adelaide mandou convidar-me para ir hoje com ela ao Teatro Lírico.
— Que ideia!
— Aí vens tu! Vai-se embora a companhia e eu não assisto a um único espetáculo, podendo ouvir a Dona Branca de graça!
— Mas, filha, não te lembras que dia é hoje?
— É terça-feira.
— E então?
— E então?
— Pois não sabe que às terças-feiras não dispenso o meu voltaretezinho em casa do compadre?
— Quem te diz que não vás ao teu voltaretezinho? Mana Adelaide conhece os teus hábitos e as tuas impertinências; foi a mim e não a ti que convidou.
— Mas...
— Olha, eu vou jantar com ela nas Laranjeiras e de lá vamos juntas para o teatro; acabado o espetáculo, ela traz-me no seu carro, e deixa-me ficar em casa. Não gastas um vintém, nem te incomodas.
— Bem sei, mas não é bonito uma senhora casada ir ao teatro sem seu marido.
— Mas com sua irmã... e com o marido de sua irmã...
— Bom, bom, vai; não quero que me chamem desmancha-prazeres. Jantarei sozinho.
O senhor Vieira saiu, foi tratar da vida, e quando, às quatro horas, voltou à casa, já Dona Catarina tinha ido ter com a irmã.
O pobre homem ficou muito aborrecido naquela solidão. Toda sua família era essa bela senhora com quem se casara em 1885 e contava dez anos menos que ele.
Tinha quarenta e quatro invernos o senhor Vieira, e inteligência bastante para perceber que Dona Catarina o não amava; entretanto, contentava-se da respeitosa amizade com que ela se impunha serenamente à sua estima, e preferia mesmo esse discreto sentimento ao amor desordenado e doentio, que produz ciúmes e dispepsias, maus humores e lesões cardíacas. Depositava uma confiança cega em sua mulher e estimava-a deveras. Sentia-se feliz.
Mais feliz seria, entretanto, se houvesse uma criança naquela casa. Dona Catarina sofria por vezes longos acessos de melancolia; algumas noites deixava o esposo sozinho na larga cama de casados, e ia revolver-se num sofá, suspirando, irrequieta, nervosa, sem poder dormir. Mas esses fenômenos eram passageiros, e o marido, atribuía-os às ausência da prole.
— Decididamente, falta uma criança nesta casa!
Depois daquele jantar de solteirão, o senhor Vieira dormiu a sesta, e às sete horas foi para casa do compadre, em São Cristóvão. O senhor Vieira morava no Catete.
— Bravos! cá está o nosso homem! exclamou o compadre e exclamaram mais dois amigos da vizinhança, que se achavam à espera do parceiro. Vamos ao vício!
Os quatro companheiros sentaram-se às oito horas e jogaram até perto da meia-noite. O senhor Vieira ganhou dezenove mil e quinhentos. Nunca estivera com tanta sorte.
À meia noite, depois do chá com torradas, o nosso homem saiu, e foi esperar a condução na esquina. Passados uns vinte minutos, apareceu um bonde, mas em sentido contrário, e parou para fazer saltar o Lamenha, que era vizinho paredes-meias do compadre.
— Olá! a estas horas, seu Lamenha? perguntou o senhor Vieira. Já sei que vem do Lírico; foi ouvir a Dona Branca.
— Ora deixe-me com a Dona Branca! Se soubesse...
— Então a ópera não presta?
— Não sei; o espetáculo não passou do começo!
— Ora essa! Por quê?
— No fim do primeiro ato o público das torrinhas chamou à cena o empresário para ferrar-lhe uma pateada, não sei porque motivo. O empresário não quis vir. O público zangou-se. A polícia interveio, e agora é que são elas! Ah, seu Vieira, que rolo!...
— Deveras? perguntou o outro empalidecendo.
— Os soldados da polícia acutilavam a torto e a direito, os bancos voavam, os globos dos candeeiros partiam-se, as famílias separavam-se numa confusão medonha, as senhoras tinham chiliques e soltavam gritos...
— As senhoras?... Meu Deus!... e a minha!...
— Há muita gente ferida, e não será para admirar que houvesse mortes! Eu escapei por milagre!
— E minha mulher que foi a este espetáculo!...
— Sua senhora? Não a vi. Só vi sua cunhada, a Dona Adelaide, sozinha, correndo e gritando que parecia uma louca!
— Pois estavam juntas!... Felizmente aí vem o bonde... Quem sabe se não vou encontrá-la morta? Eu bem que queria que não fosse à tal Dona Branca! Ora esta!...
E o senhor Vieira tomou o bonde, sem mesmo se despedir de Lamenha.
Imaginem o desassossego com que o pobre diabo fez a viagem de São Cristóvão ao largo de São Francisco. Aí tomou um tílburi. O cocheiro confirmou a informação do Lamenha, acrescentando que tinham morrido duas senhoras, sendo uma de susto.
Ao passar pela Guarda Velha, o senhor Vieira notou que o Lírico estava imerso nas trevas e no silêncio. Chegou à casa, e expectorou um grande suspiro de alívio ao entrar na alcova: Dona Catarina dormia tranquilamente, envolvida no seu lençol.
O marido despiu-se em silêncio e deitou-se ao lado da senhora.
Ela despertou:
— Ah! és tu?
Ele, completamente serenado, resolveu gracejar e perguntou-lhe sorrindo:
— Então, minha senhora, que me diz de Dona Branca?
— É uma ópera muito bonita.
— Hein?
— O último ato principalmente, acrescentou dona Catarina com muita convicção.
O senhor Vieira sentiu o sangue lhe subir à cabeça, mas conseguiu dissimular, e perguntou se a ópera tinha sido bem cantada.
— Perfeitamente cantada, respondeu ela, mentindo como só as mulheres sabem mentir.
— E não houve novidade durante o espetáculo?
— Nenhuma. O Gabrielesco esteve sublime!
— O Gabrielesco? No último ato?
— Em todos os atos. É um tenorão!
— Está bem.
O senhor Vieira apagou a vela e fingiu que se aninhava para dormir.
— Aí está você amuado! Eu por seu gosto não saía de casa, não me divertia, vivia metida entre quatro paredes! Que homem!...
Ele resmungou uns sons inarticulados; não respondeu.
— Será possível que o Lamenha me enganasse? pensava o marido. Não; — e o cocheiro do tílburi?...
O senhor Vieira passou, talvez pela primeira vez em sua vida, uma noite completamente em claro. Ergueu-se logo ao amanhecer, saiu, convenceu-se de uma verdade terrível, e nesse mesmo dia separou-se para sempre de Dona Catarina.
Na terça-feira seguinte, o senhor Vieira não faltou ao voltaretezinho do compadre.
Quando este lhe perguntou: — Então?... que foi isso?... a comadre? — ele respondeu melancolicamente:
— A comadre ouvia-me dizer que em nossa casa faltava uma criança e quis arranjá-la fora... Deixa lá! — Vamos ao vício!
Nessa noite perdeu quinze mil e oitocentos.

Artur Azevedo


Leia Mais ►

24/07/2014

Semana do Livro Nacional: Cronograma do Evento


Boa tarde, leitores!
O que acharam do nosso banner para o evento? Espero que tenham gostado. Foi feito com muito carinho, dedicação e trabalho duro da Helkem Araújo. Ela merece todos os créditos pelo trabalho bem feito.

Bom, hoje vamos colocar no ar a nossa programação para o evento desse final de semana!

Confiram abaixo:

14h00 – Abertura do Evento com Luciano Vellasco e Marcos Linhares
14h10 – Apresentação: O que é a Semana do Livro Nacional, com Luciano Vellasco
14h20 – Atração surpresa.
14h30 – Primeiro bloco: A importância da leitura na base educacional. Bate papo com os autores mirins: Maria Eduarda, Henrique Souza, Nur Nidale e Anna Rubi. Mediação de Marcos Linhares.
15h00 – Sessão de perguntas do público.
15h10 – Intervalo, sorteio de brindes.
15h20 – Segundo bloco: A ascensão da literatura fantástica brasileira. Bate papo com os autores Flávio Vieira, Rayanne Oliveira e Vivianne Fair, com mediação de Marcos Linhares.
16h00 – Sessão de perguntas do público.
16h10 – Intervalo, sorteio de brindes.
16h20 – Atração surpresa [parte 2].
16h30 – Terceiro bloco: Os caminhos da literatura contemporânea. Bate papo com os autores Robson dos Reis, Patrícia Colmenero, Charles Nascimento e Elaine Elesbão.
17h10 – Sessão de perguntas do público.
17h20 – Sorteio dos brindes finais. Atração surpresa [parte 3].
17h30 – Encerramento do evento.
17h40 em diante – Sessão de fotos e autógrafos.

Curiosos com a apresentação surpresa? Venham descobrir conosco no evento!


Leia Mais ►

22/07/2014

Parceiros da Semana do Livro Nacional: Escritores mirins


Boa noite, leitores!
Prontos para mais emoções?
Temos uma grande surpresa para vocês. Vamos divulgar aqui os últimos quatro escritores que irão participar do evento Semana do Livro Nacional. Mas um detalhe: são todos crianças.

Isso mesmo que você leu, são autores mirins! *-*


Vamos descobrir quem são esses guerreiros, suas obras e prestigiá-los na Semana  do Livro Nacional!


Maria Eduarda B. A Diniz




Sobre a Autora: A autora Maria Eduarda tem atualmente 10 anos e lançou o referido livro aos sete anos de idade. Estuda o 5º ano do Ensino Fundamental e frequenta, uma vez por semana, o Atendimento ao Estudante com Altas Habilidades Superdotados. Desde que lançou o livro a autora tem apresentado seu trabalho em feiras da cidade de Sobradinho e Brasília, escolas bem como em escolas públicas e privadas. Está previsto o lançamento do segundo livro para este ano com o título O Sapo na Igreja.

Sobre o Livro: Trata-se de um livro destinado ao público infantil, apresentando uma emblemática fábula, na qual seus personagens, apesar das diferenças entre si - pois são de distintas espécies - são capazes de conviver, de fazer amizade e viver em harmonia. Então a autora nos instiga a pensar: e nós seres humanos, não podemos viver em paz apesar das diferenças de cada um?  Com esse livro pode-se fazer um trabalho direcionado na educação infantil e nas séries iniciais do ensino fundamental, como o levantamento de valores essenciais para a convivência em sociedade.


Henrique Souza Moraes





Sobre o Autor: O autor tem atualmente 13 anos e cursa o 8º ano do Ensino Fundamental e frequenta, uma vez por semana, o Atendimento ao Estudante com Altas Habilidades Superdotados, onde escreveu o livro. O escritor já apresentou seu trabalho em feiras de livro em Sobradinho e Brasília, além de expor em escolas públicas e privadas quando solicitado.

Sobre o Livro: Assunto: é um livro que expressa o espírito de aventura, com brincadeira e jogos, tema  comum a qualquer garoto ou garota. Está é a proposta de Henrique, que sendo um garoto, dialoga com os leitores da sua faixa etária, de uma forma lúdica, convidando-os a entrar na trama, na qual ao vencer etapas poderá ser premiado com distintivos e  decidir o  final da história. Dessa forma interativa entre texto e leitor,  o autor espera cativar novos adeptos ao fantástico mundo da literatura! É destinado ao público infantil e juvenil.


Nur Nidale Karajá








Sobre a Autora: A autora cursa o 6º ano do Ensino Fundamental e frequenta, uma vez por semana, o Atendimento ao Estudante com Altas Habilidades Superdotados, onde escreveu o livro. A escritora já apresentou seu trabalho em feiras de livro em Sobradinho e Brasília, além de expor em escolas públicas e privadas quando solicitado.
Links para

Sobre o Livro: Foi escrito e ilustrado pela autora quando esta tinha apenas 8 anos de idade. Primeiras memórias de Nur trata das memórias de uma criança e o encontro de culturas tão diferentes a muçulmana e a brasileira. Uma narrativa na terceira pessoa, que no decorrer da história aborda informações relevantes sobre a religião Islã e a cultura Árabe. Sob a visão de uma criança o livro elucida a cultura muçulmana, destacando o quanto o Brasil é um país acolhedor e sabe conviver com outras culturas, revelando a sua característica multicultural.


Anna Rubi Leal Rodrigues Ribeiro





Sobre a Autora: Aluna do 2º ano do ensino fundamental, Anna Rubi Leal Rodrigues Ribeiro, 7 anos, quer continuar a escrever. “Quero ser uma grande escritora”, diz a menina. A paixão pela escrita começou com o interesse pela leitura e com as histórias infantis contadas pela mãe dela, Maristela. A iniciativa permitiu que a garota tivesse contato com diversos autores. Logo, Anna despertou para a narrativa de fábulas populares. Mas, em vez de reproduzi-las, a pequena as recontava, com personagens e locais diferentes e novas características. A partir de então, a criança passou a inventar as próprias histórias. Há um ano, criou o Calango Tango e deu início a outro projeto, sobre uma fábrica de borboletas.

Sobre o Livro: O calango Tango tinha uma mania engraçada: dormia com os olhos abertos e passava o dia de olhos fechados. Isso rendeu a ele várias trapalhadas. Ainda assim, o jovem réptil não conseguiu se livrar do problema, mas, no fim, foi feliz porque soube aceitar a própria condição.


O que acharam da boa nova, leitores? Se nenhum dos 5 motivos para ir a Semana do Livro Nacional te convenceu a ir, talvez esses quatro pequenos te convençam do contrário. rs

Vejo vocês no evento.


Leia Mais ►

5 motivos para ir a Semana do Livro Nacional


Bom dia, leitores!
Vocês já devem estar cansados de saber (sinceramente, espero que não) que dia 26, aqui na nossa Capital Federal vai rolar um evento muito legal onde autores locais serão prestigiados em um dia só de Literatura Nacional. Sim, estou falando da Semana do Livro Nacional –DF. E vocês também já devem ter conhecido nossos queridos autores e se não conheceram, podem conhecer agora clicando aqui. O fato é: alguém está em dúvidas se deve ou não ir ao evento? Se não, espero encontrar vocês lá. Se sim, vamos tentar dar um empurrãozinho na sua decisão. Listamos os 5 principais motivos para você querer ir ao evento (não só no de Brasília, mas em qualquer edição que estará rolando mais próxima da sua casa). Se você é leitor, ao menos um desses motivos ira despertar sua vontade de comparecer e dar aquela força preciosa à Literatura Nacional, que tanto tem lutado por um espaço no mercado editorial. Bem, vamos aos motivos:

1
 A ascensão da Literatura Nacional: O mercado literário está mudando. Disso ninguém mais dúvida. Autores que há 3 ou 4 anos atrás eram completamente desconhecidos pelo grande público, hoje são amados por uma poderosa legião de fãs e isso está fazendo a diferença para os que estão iniciando agora sua carreira no meio literário. Não apenas isso. As editoras estão finalmente enxergando o grande potencial das obras nacionais e apostando forte nelas. A revolução está aqui e você pode fazer parte da história. Frases batidas de que "brasileiro não lê" ou "Ninguém lê nacional" estão ficando no passado.

2
 Autores mais próximos do que imaginamos: Todos os leitores sonham em conseguir ficar mais próximos de seus ídolos. Mas a distância, a questão financeira e outros N motivos dificultam nossa vida, as vezes fazendo com que tenhamos de atravessar estados (Bienais que o diga) e enfrentar filas enormes apenas por um autografo. Não que isso não valha a pena, mas existem muitos outros autores por ai com os quais podemos ficar batendo papo sem se preocupar com tempo ou fila. É uma experiência gratificante, garanto. Então, e se você descobrisse que um autor mora na sua cidade? No seu bairro? O que faria? Procuraria ler o livro dele? Procuraria saber mais sobre essa pessoa tão próxima? A Semana do Livro Nacional promete revelar que existem escritores tão próximos que é possível encontra-los no shopping ou na fila do cinema. Eu mesmo encontrei vários que moram tão perto de mim que eu poderia alcançá-los para bater um papo sobre mercado editorial ou sobre como publicar um livro sem suar a camisa. Falando assim até pode parecer surreal, mas essa é a realidade: eles estão aí e podemos encontrá-los sem muito esforço.

3
 Encontro com outros leitores: Grandes Feiras literárias (como a Bienal e a Feira de Paraty) são lugares ótimos para encontrar e conhecer outros que nutrem a mesma paixão literária que você, mas não são os únicos eventos em que podemos encontrá-los. Leitores de sua cidade estão aí, esperando uma chance para sair de seus lares e mostrarem para o mundo porque curtem o livro “x” e o autor “y”. A Semana do Livro Nacional, mais do que um encontro de autores, é um encontro de leitores que ainda são pouco informados sobre a existência de autores nacionais. Esses tomam suas bases de leitura, apenas os estrangeiros, que são fortemente divulgados pela mídia. A Semana do Livro Nacional quer mudar esse paradigma e mostrar que existem autores nacionais tão bons quanto os que vêm de fora. É dever dos leitores apontar quem são essas pessoas extraordinárias capazes de dar asas a nossa imaginação.

4
 Sorteios: Preciso comentar? rsrs Como todo bom evento, o evento terá sorteio de vários brindes e livros. Sabe aquela grana que você reservou para comprar o livro de um dos autores convidados? Pois é, se você ganhar o sorteio pode acabar comprando um livro de outro autor, o que nós leva ao quinto motivo...

5
 Autógrafos e fotos: Se você não se contenta só em ler uma obra e quer ir atrás de um autógrafo e uma foto, esse é o evento certo para você. Registrar aquele momento em que se conhece o autor de sua história favorita não tem preço e é isso que o evento quer proporcionar: a experiência de estar ao lado de autores que estão querendo fazer parte da nossa história e da nossa estante ;)


Bônus: Conhecer de perto o blog Academia Literária DF que acaba de fazer 01 ano!!!!

É isso ai galera, espero ter convencido ao menos mais um a ir ao evento. Com o apoio de vocês, podemos vencer obstáculos e atravessar fronteiras que nenhum de nós conseguiria sozinho.

Até breve.

Leia Mais ►

20/07/2014

Um ano de Academia Literária DF




              Às vezes, quando olho para essa imagem, fico lembrando tudo o que fizemos para chegar até aqui. De todas as dificuldades e conquistas. Os amigos que conquistamos pelo caminho, os livros que tivemos a chance de ler, os leitores que conhecemos. Nada do que vivemos e aprendemos seria possível sem o significado por trás dessa imagem.
                Foi um grande desafio investir na divulgação apenas de nacionais.
   Quando criamos o blog da Academia Literária-DF propomos-nos um desafio: ajudar a mudar o cenário da Literatura Nacional. Porém, fazia-se necessário entender e sentir na pele as dificuldades que os autores nacionais passavam. Então fizemos uma aposta que muitos podem considerar como perigosa, até mesmo suicida para a sobrevivência de um blog literário: durante um ano inteiro só publicaríamos resenhas de livros nacionais afim de testar a viabilidade da literatura brasileira como principal assunto/produto a ser explorado e divulgado. Era uma proposta ousada e incomum pois é fato notório que a maioria dos grandes blogs que tratam de literatura são o que são hoje graças aos grandes Best Sellers, estrangeiros em sua maioria esmagadora, que tanto enchem estantes dos leitores ávidos por mais e mais leitura. Começamos, portanto, nossa caminhada na contramão de uma fórmula garantida de visibilidade. Mas, neste caso específico, os fins justificavam os meios e o crescimento gradual da Academia provou que a Literatura Nacional, apesar de todas as dificuldades, está sim encontrando seu espaço tanto na mídia quanto no gosto do leitor. E nossa aposta ousada/perigosa/suicida se mostrou acertada e muito prazerosa. Tivemos parcerias com editoras e escritores; divulgações de obras maravilhosas; interação com autores, blogueiros e leitores; curiosidades do mercado nacional; promoções; e ainda realizamos dois eventos (Mochila Literária Etapa Brasília, em parceria com o blog Leitora Sempre; e Encontro de Fãs de Literatura Fantástica, em parceria com o blog Sempre Romântica) e o terceiro está por vir (Semana do LivroNacional Etapa Brasília, em parceria com o blog Leitora Sempre). Passamos por situações complicadas, mas sobrevivemos e completamos um ano usando essa fórmula. Não vou estender-me muito, pois a história de como esse blog foi criado se encontra aqui para qualquer um que quiser conhecê-la. A Academia Literária-DF existe!!!
   O que queríamos provar? Queríamos mostrar para leitores, autores e editoras que podemos confiar na força da Literatura Nacional. Considero que atingimos nosso objetivo. Superamos esse desafio e somos muito gratos pelo apoio que recebemos ao longo desse ano.
   Creio que não foi uma mera coincidência o blog fazer aniversário no dia do amigo. Ao longo desse primeiro ano, conhecemos pessoas maravilhosas. Alguns já considero grandes amigos. De autores a leitores que apostaram e confiaram em nosso projeto, nos ensinaram a cada dia como essa jornada literária é árdua, mas que traz recompensas incríveis para quem persiste e resiste.
              Temos muito a agradecer a todos que acompanham a Academia. Nada disso seria possível não fosse pela confiança que cada um de vocês depositou no nosso trabalho. Em especial, para o grupo da Academia Literária. Pessoal, não conseguiria sozinho, obrigado mesmo. Aos nossos autores parceiros, pela confiança em colocar suas obras aos nossos cuidados. À +Jéssica Rodrigues, do blog Leitora Sempre, por me ensinar que “eu ainda não vi nada do que é esse universo de blogs literários”. À Vivianne Fair por ter sido a primeira e mais carinhosa autora parceira da Academia. Hoje faz um ano, amiga. Sou feliz por ter te conhecido. E claro, à minha excelentíssima amada +Helkem Araujo, por ter de aguentar meus surtos e ideias mirabolantes de como fazer o blog crescer e por ser minha base, meu alicerce nessa difícil jornada que é ser um blogueiro.
             Bom, acho que é isso. No próximo dia 26 vamos comemorar no melhor estilo. Estamos preparando um evento super legal para a Semana do Livro Nacional. Mais uma vez vamos fazer barulho e mais uma vez vamos mostrar a força dos jovens talentos nacionais.

                 Aguardem por novidades, faremos uma promoção especial de aniversário. 


                 Vejo vocês no evento.
Leia Mais ►

19/07/2014

Parceira da Semana do Livro Nacional: Elaine Elesbão

Olá, queridos leitores da Academia Literária DF! 
Para fechar com chave de ouro vamos falar da nossa última parceira da Semana do Livro Nacional.  Ela que é carioca de nascimento e brasiliense de coração, que escreve contos e romances para abalar nossos corações, sim estamos falando de Elaine Elesbão. Você conhece a estória A escalada de Eva da escritora Elaine Elesbão... Ainda não? Então vamos saber mais sobre a autora, sua obra e prestigiá-la na Semana  do Livro Nacional.


Elaine Elesbão
Conhecida artisticamente por Elaine Elesbão e sendo carioca de nascimento e brasiliense de coração. Adora escrever Romance, romance erótico e contos. Apaixonada pelas palavras, deixou-se seduzir pelos números, formou-se em Administração, fez extensão em Orçamento Público e MBA em Administração Financeira. Em 1994 ingressou no serviço público, e é auditora. Contudo, ler e escrever nunca deixaram de fazer parte da sua rotina. Leitora voraz resolveu declarar o seu amor também à escrita, e esse amor deu frutos. As Duas Faces de Uma História é o romance de estreia da autora e também o primeiro da apimentada trilogia, A Escalada de Eva.                 Autora de “A Escalada de Eva I - As Duas Faces de Uma História” e de “A Escalada de Eva II - A Face Revelada”.


Links de redes sociais:









O Livro I da trilogia erótica A Escalada de Eva, “As Duas Faces de uma história” traz um drama vivido por Eva Fiore (personagem principal), que perdeu o seu noivo e amigo de infância em um acidente e após dez anos encontra um homem exatamente igual a esse amor do passado e, na tentativa de descobrir como duas pessoas podem ser tão parecidas, envolve-se em um romance tórrido. O mistério é a tônica principal desse primeiro livro. Emocione-se com o primeiro livro da trilogia A Escalada de Eva, que promete acelerar o seu coração e mexer com a sua libido.


As Duas Faces do Destino
A Escalada de Eva I - As Duas Faces de Uma História
Título: A Escalada de Eva I
Subtítulo: As Duas Faces de uma história
Autora: Elaine Elesbão
Gênero: Romance Erótico
Assunto: Romance, Mistério, Erotismo, Drama.
Editora: Isis Idioma: Português
Ano de Lançamento: 2013
Número de páginas: 284
Público-alvo: Adulto
Sinopse: Há uma década a vida de Eva Fiore foi marcada por uma tragédia – a perda do seu grande e único amor. Na esperança de esquecer o passado, ela se reinventa tornando-se uma profissional bem-sucedida que é admirada por ter assumido com muita competência o escritório de advocacia da família. Essa mulher atraente e talentosa nunca mais conseguiu se relacionar emocionalmente com alguém, e nenhum dos inúmeros homens que ficam caídos aos seus pés foi capaz de despertar os seus sentimentos ou ressuscitar o seu prazer. No dia em que a maior tragédia da sua vida completa dez anos, Eva, inesperadamente, depara-se com um homem exatamente igual ao seu antigo amor. Será um devaneio? Um delírio? Uma alucinação? O que Eva ainda não sabe é que o passado e o presente estão entrelaçados e, na tentativa de descobrir como um homem pode possuir o mesmo rosto de outro, acaba deixando-se envolver. Apaixona-se e cai nos braços do ardente e irresistível Thomas Valente, um médico temperamental e sedutor que cheira a encrenca e a sexo. O tórrido romance, repleto de desejo e segredos, vivido por Eva e Thomas os transforma completamente e faz com que as suas vidas sofram uma enorme reviravolta.

Onde Encontrar:

Livraria: Saraiva  e Cultura 


Booktrailer:

No segundo livro, Eva Fiore está completamente envolvida por Thomas Valente, o clone do seu falecido noivo, e o ajuda a descobrir o seu passado até então desconhecido até por ele mesmo. Contudo, os segredos descobertos abalam a relação dos dois e é necessário elaborar um plano para que ambos possam voltar a se relacionar... Contudo, como nada é fácil na vida de Eva, novos segredos surgem e ela precisará desvendá-los.

As Duas Faces do Destino
A Escalada de Eva II - A Face Revelada
 Título: A Escalada de Eva I
Subtítulo: A Face Revelada
Autora: Elaine Elesbão
Gênero: Romance Erótico
Assunto: Romance, Mistério, Erotismo, Drama.
Editora: Isis
Idioma: Português
Ano de Lançamento: 2014
Número de páginas: 300
Público-alvo: Adulto
Sinopse: Eva Fiore nunca mais foi a mesma desde o seu encontro com o apaixonante, temperamental e misterioso doutor Thomas Valente, quando o amor que os arrebatou trouxe uma nova perspectiva para as suas vidas. Agora, eles irão descobrir que a semelhança entre Thomas e Nicolas não é um mero acaso e entenderão que o passado e o presente estão entrelaçados de maneira surpreendente. O que Eva ainda não sabe é que os segredos, quando revelados, têm o poder de mudar o curso de uma história e de transformar as pessoas. O que Thomas ainda não sabe é que o amor muitas vezes pode não bastar, mesmo quando é imenso, intenso e verdadeiro. Será que a forte e controlada Eva Fiore será capaz de enfrentar o seu maior receio? Será ela capaz de superar novamente o abismo? E o Thomas saberá lutar contra seus demônios interiores e provar que merece um lugar de destaque na vida que lhe foi roubada? E você será capaz de compreender que alguns acordos merecem ser descumpridos? Desvende segredos, encante-se, emocione-se e apaixone-se com A Face Revelada, o segundo livro da trilogia A Escalada de Eva, que promete mexer com seus conceitos e incendiar a sua libido.
Onde Encontrar:
Livraria: Saraiva e Cultura 
Booktrailer:
Opinião do Leitores:

Saleitura (Skoob)

 “É um romance erótico, tem muitas cenas de sexo, vai mexer com sua libido, mas não é só isso. São personagens bem construídos e uma história muito envolvente. Encontramos outros personagens importantes na história, conhecemos os dramas familiares e há o grande mistério de porque Thomas é tão parecido com Nicolas, que Eva precisa desvendar. Com certeza, quem gosta desse gênero, vai se apaixonar, se envolver e não vai querer parar de ler.”

Paula Juliana (Skoob)

“Realmente amei muito, A Face Revelada. Eva me surpreendeu mais uma vez. Thomas me conquistou e reconquistou! Um ótimo romance, um livro imperdível para os amantes das boas histórias de amor, superação, família e reencontro de almas.”

TamiresCipriano (Skoob)

“O livro é hot, possui muitas partes que contenham sexo. O livro é um lindo romance que desde que começa a leitura não consegue parar mais, um dos melhores e que ficará marcado em minhas leituras de 2013 com toda certeza. Possui alguns erros de revisão, muito pouco mesmo, tipo uns dois ou três mas nada que atrapalhe a leitura.”

Clã dos Livros (Skoob)

“A história é linda... tensa... triste.. Como sofrem esses dois! O enredo é muito envolvente, com um pouco de tudo, amor, suspense, drama, e boas cenas quentes! Amei... e o final, CLARO me deixou tensa.. e ansiosa pela continuação.

  • Confira a Resenha dos livros: A Escalada de Eva
  • Elaine também escreve contos, poesias e textos. Vou mostrar uma que particularmente gostei muito e se quiser clique aqui ver suas autorias.

PALAVRAS
Cataloguei as palavras que flutuam em minha mente,
dei a elas lugar no universo da memória…
Mas as ingratas me açodam diariamente,
desejam fugir de encontro ao papel.
Se eu soubesse o perigo que seria
dar ouvido as palavras que retumbam,
teria lançado âncora à terra firme,
ignorado os seus lamentos,
e me impedido de voar.
Agora cada partícula do meu corpo urra
sentindo o poder criador
que me reporta para muito além
do recôndito da minha alma incauta,
e nada no mundo me comove mais
que dar sentido às palavras teimosas.
Elaine Elesbão
Trecho do livro:
Gostaram? Esperamos sua presença no evento!

Leia Mais ►

18/07/2014

Parceira da Semana do Livro Nacional: Patrícia Colmenero

Olá, queridos leitores da Academia Literária DF! 
Opa opa vocês acham que acabaram nossas parcerias - nananinanão - estamos recheados de autores nacionais para vocês. Hoje vamos falar de uma linda escritora, roteirista de cinema e graphic novel...já sabe quem é? Se você disse Patrícia Colmenero acertou em cheio. Ela é nossa parceira da Semana do livro Nacional. Então se você gosta de romance e de poesia não pode deixar de conhecer a autora e sua obra. Vamos então saber mais e não esqueçam de prestigiá-la na Semana do Livro Nacional DF.


Patricia Colmenero
Conhecida por Patrícia Colmenero Moreira de Alcântara e artisticamente por Patrícia Colmenero, é escritora, roteirista de cinema e graphic novel. A autora nasceu em 4 de junho de 1986, com o nascer do sol, depois de uma madrugada de contrações, e só deixava a mãe dormir se lhe dessem uma máquina de escrever para ficar batendo nas teclas. Quando criança escrevia peças de teatro para apresentar as crianças mais novas. Com 15 anos, começou a escrever poesia e “Porque até a morte terei fome” que é o seu primeiro romance, seu poema grande, escrito dos 18 aos 21 anos. É formada em Letras e especialista em Audiovisual pela Universidade de Brasília. Está escrevendo seu segundo romance, roteiros para cinema e tem uma graphic novel em andamento.                     Autora de “Porque até a morte terei fome”.

Links de redes sociais:







O livro conta a história de Patrícia, uma escritora vivendo numa crise amorosa com seu namorado, Túlio, que também é seu chefe na empresa na qual detesta trabalhar. Sua crise não se limita no amor esgotado, mas também na prisão que é seu emprego sempre lhe impedindo de seguir carreira como escritora. “Porque até a morte terei fome” é um romance que se materializou em 191 páginas poéticas , que apresentam uma personagem realista e sádica misturando a delicadeza e a agressividade que uma mulher pode encarnar nas desventuras da vida.



Porque até a morte terei fome
Título: Porque até a morte terei fome Autor: Patrícia Colmenero Gênero: Romance Assunto: romance e poesia Editora: Independente Idioma: Português Ano de Lançamento: 2013 Número de páginas: 200 Público-alvo: Adulto Sinopse: Uma mulher num salto agulha prestes a chorar como uma criança, assim se apresenta a personagem principal de "Porque até a morte terei fome". Intensidade e desespero marcam o cotidiano da escritora "de algo urgente" que se fantasia por vezes de funcionária padrão em um escritório de advocacia, por outras de esposa servil do próprio chefe. O fim do relacionamento faz pulsar em meio ao caos o sentimento de perda. Amor ou hábito? Das entrelinhas brilhantes no teto do quarto restam agora somente as marcas de mofo.

Onde Encontrar:

Espaço de Fotografia f/508 na 413 norte

Entrevista: 


Opinião de Leitores

Dosh Crisci (Facebook)
“Cara Patricia, encantada com seu livro!”


O romance de formação de Patrícia Colmenero instiga o desejo de uma mulher tão determinada quanto assustada. Aprendendo a ser só, a personagem (assim como a autora) adentra em um labirinto de ausências, compondo um fluxo poético que se revela como a escritura da própria dor. 


O formato do livro é bastante intimista , o texto se comprime à um pedaço das folhas que dão a impressão de serem parte de manuscritos em moleskine ,com  seus desenhos em pontilhismo que convidam o leitor à imersão total às palavras de  Patrícia Colmenero.





Além deste livro temos um Kit-projeto contendo materiais sobre o novo romance da escritora brasiliense Patrícia Colmenero, a ser entregue para editoras.



Case para o projeto Mirta, de Patrícia Colmenero.





Se já conhece o livro, junte-se  a fanpage


Trecho do livro:

Parte I – Borboletas de carne
∞ Ao leitor ∞

Eu nasci para amar e eu amarei esse amor para sempre. Eu sabia que ele viria.
 Encontrá-lo não foi uma surpresa agradável ou um terrível ardil do destino, era a
concretização de quem eu sou.

E essa é só mais uma história de amor.

Mas é pus, casa de botão vazia. Meu rastro.

Venho denunciar esta paixão.

A matéria-prima deste livro é o suco que sobra do beijo de todos os 
apaixonados.

{Deleite-se como eu me joguei sentindo}



Gostaram? Esperamos sua presença no evento!

Leia Mais ►