Tecnologia do Blogger.

04/11/2013

ENTREVISTA: Marcelo L. Pontes


Bom dia, leitores! Hoje trago a vocês a entrevista descontraida que fizemos com o autor +Marcelo Pontes. Confiram:



Academia: Para começar, quem é o homem Marcelo? E o escritor Marcelo L. Pontes?
Marcelo: Acho que o “homem” Marcelo e o “escritor” Marcelo não se distinguem, pois ambos são sonhadores. Claro que tenho uma vida comum, rotinas comuns, uma família linda e dois trabalhos (nutricionista e escritor), mas não há nenhum fato em minha vida que difere de qualquer trabalhador neste país que procura sustentar sua família e realizar seus sonhos.

Academia: Em 1997 você publicou sua primeira obra. Qual foi? Conte-nos um pouco sobre ela.
Marcelo: No início da década de 90, afogado em água conturbadas, guiado pelo universo do RPG (Role-playing game), comecei a escrever meus primeiros trabalhos que, como mencionou, em 1997 se transformou no primeiro livro publicado: um sistema genérico de RPG chamado SIGNUS – Algo inédito no Brasil.

Academia: Depois dessa primeira experiência literária, houve uma pausa na sua carreira. Quais as causas?
Marcelo: Naquele período o mercado literário sofreu uma queda, muitas editoras fecharam suas portas e, mais uma vez na minha vida, sofri frustrado com minha própria arte.

Academia: De que modo sua formação como nutricionista influência na sua carreira literária?
Marcelo: Não digo o curso, mas a faculdade lhe concede uma experiência única que converge conhecimento em maturidade. Hoje, sou guiado por esta maturidade, apesar de que, não misturo minhas carreiras, cada uma em sua praia.

Academia: É fato notório que a carreira de escritor no Brasil é árdua. Felizmente, aparentemente esse cenário está mudando. Quais as dificuldades que você enfrentou no seu início de carreira?  Quais as que você ainda enfrenta?
Marcelo: Na verdade, não apenas a carreira de escritor, mas, todo trabalho artístico é infame. Posso dizer isso, pois já trabalhei em outras áreas, desde músico a escultor. É engraçado pensar que, no mundo artístico, o sustento tem uma relação direta com seu talento, mas não é assim que acontece, pois ele segue a mesma lei do capital: dinheiro faz mais dinheiro, ou, dinheiro faz sucesso. Claro que essa regra não é unânime, mas no geral é assim que acontece. Desta forma podemos refletir sobre o termo popular, talvez, a arte seja condicionada pelo capital e não expressa em seu talento.

Academia: Qual foi sua maior decepção desde que começou a levar a sério a carreira de escritor? E qual foi a maior conquista?
Marcelo: Talvez a maior decepção seja a desconfiança gerada pela insegurança do processo, digo, acreditar em seus sonhos e agarrar todas as oportunidades para realiza-los incomoda os descrentes que foram podados por uma sociedade que foca o comum. É triste quando essa insegurança parte de pessoas íntimas de seu círculo.
Agora, conquista, tenho muitas, pois considero cada leitor satisfeito uma grande conquista. O que podemos querer mais, estamos falando de dar a vida às folhas, telas e partituras em braço. É o mais próximo que podemos chegar de Deus.

Academia: Vamos falar um pouco sobre seu livro “Algoritmos Sagrados: Almas seladas”. Qual foi o pontapé inicial para começar a escrevê-lo?
Marcelo: Bem, eu tinha uma grande bagagem de conhecimento em profecias e, algo sempre me incomodou: O que rege a vida das pessoas? Será que o livre arbítrio é uma força unânime?
Com o passar do tempo, muitas perguntas foram respondidas, outras não, mas decidi passar esse conhecimento através de uma história intrigante de amor.

Academia: Quanto tempo levou pesquisando sobre a trama?
Marcelo: Foram 20 anos de pesquisa.

Academia: Quais as principais referências usadas para construir o universo em torno do livro?
Marcelo: Livros históricos do cristianismo, culturas antigas, rabinos, apócrifos, literatura Cabala e claro não podendo excluir a própria Bíblia.  Devo ressaltar que, apesar de algumas denominações terem discriminação a determinados livros, quando falamos sobre o universo Cristão não podemos desassocia-los.

Academia: Sabemos que se trata de uma saga. Quantos livros você pretende publicar? Há alguma previsão de lançamento para o próximo livro?
Marcelo: A saga terá cinco livros que seguem os anos que foram desenvolvidos, assim como sua cronologia histórica. - 2008, 2009, 2010, 2011 e 2012. (Máscara Reveladas foi confirmado pela Modo Editora para 2014).

Academia: Todos os escritores tem um método de trabalho. Qual o seu?
Marcelo: Eu respeito em primeiro lugar a criatividade e deixo fluir o texto naturalmente, pois não gosto daquela escrita automatizada, rebuscada e clichê. A linguagem deve fluir, sem padrões, respeitando é claro o bom senso. Acredito que a diversidade é o que torna nosso mundo maravilhoso, e deve ser expressa nas linhas de um livro.

Academia: Você, como muitos dos representantes da nova geração de escritores brasileiros, também gosta de RPG (Roling Playing Game), um jogo composto basicamente por criação e interpretação de histórias. Esse foi o motivo que o levou a começar a escrever? Há alguma influência de suas experiências RPGisticas nas suas histórias?
Marcelo: Com toda certeza. Para escrever o sistema genérico de RPG, fiz uma pesquisa nas veias da psicologia buscando formas para facilitar na hora da representação. Hoje, utilizo meu velho livro de RPG como fonte para criar meus personagens.

Academia: Uma perguntinha clichê, porém muito válida: qual seu escritor ou escritora favorito? E qual o gênero literário que mais te empolga? Por quê?
Marcelo: Escritores preferidos: Internacionais (J. J. Benitez e J. R. R. Tolkien) Nacionais (Erico Veríssimo e Monteiro Lobato).
Gêneros preferidos: ficção, aventura, sobrenatural, romance sobrenatural, fantástica e, o que admiro muito: história.
Adoro a ficção em geral, pois não há outro gênero que expressa melhor a criatividade do homem.

Academia: Qual autor (a) você indicaria para ser nosso “Parceiro da Academia”?
Marcelo: Lhaisa Andria autora de Almakia - A vilashi e os Dragões.

Academia: Algum recado para os fãs e aos que sonham em se tornar escritores?
Marcelo: Para os fãs, quero agradeço o esforço de todos que acompanham e estão ajudando na divulgação do meu trabalho, afinal, temos o mesmo objetivo em mente: o sonho de um país mais educado. Para aqueles que desejam seguir a carreira de escritor, trabalhem duro, persistam e o mais importante, façam tudo por amor, pois dinheiro não deve ser a causa do seu trabalho e sim a consequência dele.


A Academia Literária DF agradece a você, Marcelo Pontes, pela atenção, carinho e por aceitar o convite em fazer parceria com o blog. Muito Obrigado!


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!