Tecnologia do Blogger.

22/05/2018

RESENHA – Apaixonada por um Highlander (Maya Banks)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: BANKS, Maya. Apaixonada por um Highlander – série “Os irmãos McCabe”. 1ª edição. São Paulo, Universo dos Livros, 2017. 336 páginas. Tradução: Alline Salles.
Gênero: Romance de época
Temas: vingança, Escócia, honra, romance medieval
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura norte-americana
Ano de lançamento: 2011 nos Estados Unidos da América e 2017 no Brasil
Série: Atraída por um Highlander (livro 1), Seduzida por um Highlander (Livro 2) e Apaixonada por um Highlander (livro 3).



“Só porque tinha começado de um jeito, não significava que não poderia mudar para algo totalmente diferente. Ela queria o amor dele. Sim, ela exigia.”
Apaixonada por um Highlander – Livro 3 (pág. 115)

Queridos leitores, este é o último livro da trilogia irmãos McCabe. Se você não leu os anteriores da série, recomendo a leitura, pois, além de serem bons, facilitará um pouco a compreensão do enredo. Contudo, se por um acaso você desejou pulá-los e ir direto para este, também não tem problema, haja vista que as histórias são independente.
Neste romance vamos conhecer o irmão mais novo da família McCabe, Caelen, e a herdeira do clã McDonald, Rionna McDonald.
O pai dela queria aliar forças com os McCabes, e, por isso, fez uma aliança para casá-la com o líder deles, Ewan. Porém, não deu muito certo, então, ela foi prometida ao Alaric, irmão do Ewan. Infelizmente, também não foi possível o casamento (eu sei, coitada da moça!), então só restou que se comprometesse com o irmão mais novo.
O Caelen não queria saber nada de romance, até porque ele foi traído por causa de um grande amor que quase levou o seu clã à destruição. Contudo, como o Alaric havia se apaixonado pela Keeley e eles precisavam da aliança com os McDonald, o guerreiro resolveu assumir a responsabilidade de se casar com a herdeira dos McDonald na condição de que se tornasse, imeadiamente, o novo laird (chefe do clã) e, consequente, o pai dela fosse deposto do cargo.
Óbvio que o pai não gostou, mas como eles tiveram o aval do rei, David, a cerimônia foi realizada.
A Rionna tinha um comportamento diferente das outras moças, pois ela se vestia e lutava como a um guerreiro. Apesar de ser linda, as maneiras dela incomodavam as pessoas ao seu redor.
Então, queridos leitores, imaginem como foi para a moça lidar com as expectativas do seu novo marido, que queria que ela exercesse atividades típicas de uma esposa de um laird, sendo que ela nunca teve muito contato com essas atividades. Afinal, o que ela sabia mesmo era lutar e treinar junto com os outros homens. Nem vou mencionar que não deu muito certo.
A Maya Banks é a autora bestseller, do New York Times e do USA Today, de gêneros como o romance erótico, o suspense romântico, o romance contemporâneo e o romance histórico escocês. Já escreveu mais de 50 romances. Maya vive no Texas com o marido, três filhos e vários animais de estimação.
O livro possui 34 capítulos, além do prólogo e epílogo, e é narrado de forma linear cronológica. Ele foi escrito em terceira pessoa, com ponto de vista alternado entre a Rionna e o Caelen.
Da trilogia, admito que este livro foi a história que eu mais gostei, inclusive dos personagens, apesar não ter tantos embates entre a Rionna e o Caelen (eu sei, sou maldosa) como eu esperava.


Bibliografia da Maya Banks (ordem cronológica):

Livros:

  • Devoção total -  Harlequin (2010)
  • Obsessão -  Leya (2013)
  • Marcados pelo desejo – Harlequin (2013)
  • Doces Carícias – Harlequin (2013)
  • Beijos Tentadores – Harlequin (2013)
  • Delírio -  Leya (2013)
  • Fogo -  Leya (2014)
  • Rebeldia – Harlequin (2014)
  • Traição – Harlequin (2014)
  • Rendição – Leya (2014)
  • Doce Entrega  – Novo Século (2014)
  • Submissão – Leya (2015)
  • Devoção – Leya (2015)
  • Proteja-me – Gutenberg (2015)
  • Doce Persuasão – Novo Século (2015)
  • Seduzida por um guerreiro escocês – Universo dos livros (2016)
  • O Mais Desejado dos Highlanders – Universo dos livros (2016)
  • Atraída por um Highlander – Universo dos livros (2017)
  • Seduzida por um Highlander – Universo dos livros (2017)
  • Apaixonada por um Highlander – Universo dos livros (2017)
Leia Mais ►

21/05/2018

Sesc promove o evento "Café com Leite Materno"

Olá, queridos leitores! Como estão? Hoje divulgamos mais um evento promovido pelo Sesc DF. Teremos um encontro muito bacana com escritoras seguido de sessão de autógrafos no evento "Café com Leite Materno". Vamos conferir mais sobre o evento?


O que é?


               Uma das características mais importantes da literatura é ampliar as perspectivas e desconstruir mitos. A maternidade, por exemplo, é um assunto que gera bastante discussão. Os rituais maternos, o estereótipo da mãe ideal, o comportamento que a mulher deve ter, o que se deve fazer com os filhos, a criança em sua família, a participação do pai no processo, a criação não violenta e preventiva, além de incentivo à amamentação. Todos esses assuntos serão discutidos no bate papo Café com Leite Materno, dia 25 de maio, às 19h, na unidade do Sesc na 504 sul. Com entrada franca, o encontro é destinado a mães, pais, cuidadores, doulas e parteiras, professores, bibliotecários e profissionais da atenção primária. Cada vez mais as mães têm se interessado e aderido à maternagem como forma de criação. O termo, segundo a pediatra Thelma B. de Oliveira, corresponde ao processo de criação que gira em torno da mãe. Autora dos livros Pediatria Radical e O Livro da Maternagem, Thelma e a autora da obra Falando de Maternidade, Simone de Carvalho, serão as responsáveis pelo debate.

Quando?


Dia 25 de Maio (Sexta), às 19h.

Onde? 


Sesc DF (Estação 504 Sul)

Mapa:




A entrada é gratuita!

Até a próxima ;)

Leia Mais ►

18/05/2018

Lançamento de Laís Rodrigues alterna entre duas histórias de amor

Olá, queridos leitores!!! Tudo certinho? A divulgação da vez é sobre um lançamento de uma velha conhecida da Academia, a autora Laís Rodrigues. Seu novo livro, Do Outro lado do Oceano, está sendo lançado pela editora Pedra Azul. Acompanhem-me para mais detalhes:


Capa por: Gisely Eliza Fernandes 


Sobre a obra: 

Intermediando passado e presente, Do outro lado do Oceano desenvolve duas grandes histórias de amor. Lady Catherine foi criada para ser submissa, recatada e para se casar com um rico aristocrata. Porém, a despeito de seu contínuo esforço e da educação rígida de sua preceptora, ela não consegue se comportar como uma perfeita dama. Para piorar, acha todos os cavalheiros enfadonhos, até conhecer um belo e sedutor estrangeiro. Quando uma tragédia choca a pequena cidade de Backhan, Lady Catherine vê-se em uma encruzilhada: deve buscar a verdade, mesmo que isso a faça perder as pessoas que ama? No presente, Cathy Murray é uma garota tímida e sonhadora de uma cidade pacata da Califórnia que escreve e publica contos usando um pseudônimo. Quando seu talento secreto é descoberto por uma das maiores editoras da Europa, ele tem a oportunidade de mudar-se para a Inglaterra, onde conhece um fascinante estrangeiro, Apesar de sua desconfiança em relação ao sexo oposto, Cathy encontra-se cada vez mais envolvida por um homem que mal conhece, e cuja família é rodeada por segredos e mistérios.


Sobre a autora:


Laís Rodrigues é uma advogada de 32 anos que lê desde criança. Ao contrário da maior parte dos autores, nunca havia sonhado em escrever. No entanto, depois que começou, apaixonou-se totalmente pela escrita, e, para a sorte do leitor, não consegue mais parar. Além de Do Outro Lado do Oceano, é dela também Primeiras Impressões, ambas adaptações contemporâneas de obras de Jane Austen, de quem é grande fã. Ela também é autora de Heart of Fire, fantasia para jovens adultos que faz parte da série The Elements. Laís é baiana e mora no Rio de Janeiro com o marido e três gatos, pois acabou de resgatar outro, há três meses. 



O livro já está sendo vendido como Kindle na Amazon. Acessem o link para mais informações. Mas atenção, sua versão física SOMENTE será acessível em uma pré-venda posterior, logo, se a quiserem, terão que ficar atentos, pois somente a terão se comprarem através desta pré-venda. Do contrário, somente serão capazes de obtê-lo em formato digital. Acompanhem a autora nas redes sociais para saberem quando a pré-venda irá começar: @laisrodriguesauthor

Se vocês querem conhecer um pouco mais sobre a autora, cliquem aqui para conferirem uma entrevista que a Laís nos concedeu. 

É isso pessoal, espero que tenham gostado da novidade. Não deixem de comentar suas opiniões ou dúvidas, estamos sempre a disposição para ouvi-los. Também não se esqueçam de compartilhar esse post, a literatura agradece, haha.  

Beijão!!! Até mais. 😉💖

Leia Mais ►

15/05/2018

RESENHA – Lady de Lyon (Julie Garwood)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: GARWOOD, Julie. Lady de Lyon. 1ª edição. São Paulo, Universo dos Livros, 2018. 464 páginas. Tradução: Natália Tadeu.
Gênero: Romance de época
Temas:
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura norte-americana
Ano de lançamento: 1988 nos Estados Unidos da América e 2018 no Brasil












“Nenhuma mulher já havia levantado a voz para ele... tampouco muitos homens, percebeu Lyon. No entanto, Christina o fizera. Quando ele gritava com ela, recebia o troco na mesma altura”.

Lady Lyon (pág. 375)



Queridos leitores, como fã de carteirinha da autora Julie Garwood, não tenho como não dizer que os livros dela são maravilhosos, e este superou todas as minhas expectativas.
Neste romance de época vamos conhecer a Christina, uma jovem que foi criada pelos índios dakotas. Isso aconteceu porque a mãe dela, Jessica, assim que descobriu que estava grávida, fugiu do marido, um governante mal caráter de um pequeno principado próximo à fronteira da Áustria.  Após alguns anos de fuga, ela se deparou com uma índia, Alegria, e seu filho, Água Branca, presos em um cativeiro prestes a serem assassinados. 
Por conta disso, a Jessica os salvou e as duas mulheres se tornaram amigas, com a promessa de que uma cuidaria do filho da outra, caso algum acidade acontecesse.
Tempo depois, após a morte da Jessica, a Alegria conseguiu retornar para a sua tribo e levou a Christina sob sua guarda. Desta forma, a menina foi criada pelos índios mas sabendo que, quando atingisse a maioridade, precisaria voltar à Inglaterra, por conta da sua história do passado.
Sendo assim, antes de ir diretamente para Londres, ela precisou ficar um tempo com a sua odiosa tia para aprender os costumes ingleses, afinal uma moça criada pelos índios, mesmo sendo considerada uma princesa, por conta do título do pai, não seria aceita pela sociedade. 
O Lyon, Marquês de Lyonwood, era um homem frio e arrogante, que não acreditava em falsas promessas de amor, haja vista que ele sofreu uma grande desilusão no leito de morte da sua esposa, que contou que o traiu com o próprio irmão.
Por ser antissocial, ele evitava de todas as formas possíveis os eventos que era convidado. Contudo, como sua irmã havia sido recentemente apresentada à sociedade, o Marquês resolveu acompanhá-la.
Foi justamente nesta festa que a Christina apareceu pela primeira vez em Londres, já que o paradeiro da princesa era desconhecido. Ninguém sabia o que tinha acontecido com ela depois que a sua mãe havia fugido sob a alegação de ser louca.
Ela encantou todos os presentes com a sua beleza, inclusive o próprio Lyon. Contudo, ele ficou intrigado com ela, pois, em alguns momentos, ela aparentava ser uma dama delicada e em outros uma pessoa misteriosa que não respondia suas perguntas diretamente, como ele era sempre acostumado.
Por conta disso, o Lyon ficou tentando a desvendar os segredos da bela dama. Claro que não comentarei mais nada aqui para vocês, apenas digo que a história é excelente. Então, leiam!
A autora do livro, Julie Garwood, é referência em romances de época e romances contemporâneos policiais. Autora campeã de vendas, ela teve seus romances publicados em mais de 30 países. Com mais de 35 milhões de livros impressos e 26 bestsellers no The New York Times, ela conquistou seu lugar entre os escritores de ficção preferidos do público. Nascida e criada em Kansas City, atualmente ela vive em Leawood e está desenvolvendo seu próximo romance.
O livro possui 17 capítulos, e é narrado de forma linear cronológica, escrito em terceira pessoa, com ponto de vista alternado entre a Christina e o Lyon.  
Por fim, gostaria de registrar apenas um ponto negativo (que não é tão negativo assim), que era ter mais história, além das 463 páginas, sobre o casal, principalmente do retorno dela a sua tribo. Como tudo não é perfeito, apesar de achar que isso não vai acontecer, eu gostaria muito que tivesse uma continuação desta história. Não custa nada sonhar, não é mesmo?


Bibliografia da Julie Garwood (ordem cronológica):

Livros:

  • A Confissão- Landscape (2002)
  • O Testamento - Landscape (2003)
  • Prazer de matar – Landscape (2004)
  • Marcada para morrer – Landscape (2006)
  • A próxima vítima - Landscape (2005)
  • A Dança das Sombras - Landscape (2007)
  • Meu Querido Guerreiro - Landscape (2007)
  • Desejo rebelde - Landscape (2008)
  • Música das Sombras - Landscape (2008)
  • Fogo e gelo - Landscape (2009)
  • Um amor para Lady Johanna – Universo dos Livros (2016)
  • Esplendor da Honra – Universo dos Livros (2017)
  • Lady de Lyon – Universo dos Livros (2018)
Leia Mais ►

14/05/2018

Autor Judivan Vieira lança a obra "Sivirino com I" e o deus da pedra do navio

Olá, queridos leitores da Academia! Como estão? Trago para vocês a indicação de um livro da Chiado Editora. A Novela Satírica do autor Judivan Vieira trabalha de forma bem humorada o bullying do personagem por conta do seu nome tido como estranho. Vamos conferir um pouco mais sobre a obra? 😊



O livro:

Trago às suas mãos esta novela em linguagem satírica, em que Sivirino com “I”, um nordestino brasileiro apelidado “demônio devorador de livros” viaja no tempo e questiona pessoalmente e, sem qualquer pudor, ensinamentos de deuses, profetas e mestres como Buda, Jeová, Confúcio, Zaratustra, Alah, Maomé, Jesus. Conseguirão eles vencer a astúcia e perspicácia de Sivirino com “I”? Suportarão a análise filosófica e irônica de seus sistemas religiosos e políticos?
Nesta novela cabe ao narrador o uso rebuscado da língua portuguesa. Entretanto, ao personagem central, Sivirino com “I”, é concedida licença poética para usar expressões com erros ortográficos (assinalamos com aspas), a fim de divulgar e preservar o folclore e a musicalidade do dialeto falado por mais de ¼ da população brasileira, principalmente na região do Agreste e do Sertão Nordestino.
A obra foi escrita para você. Gostar ou não será o resultado de uma leitura completa e atenta. Do contrário, ela morrerá até que seja ressuscitada pela História.

Sobre o autor:

Judivan Juvenal Vieira, em arte Judivan Vieira, nasceu no sítio Dois Riachos e foi registrado na cidade de São José de Caiana-PB/Brasil, no seio de uma família pobre. Mudou-se com os pais para Brasília, a capital do Brasil, com cinco anos de idade. Na capital trabalhou como vendedor em feiras livres e em lojas de sapato. Trabalhou por mais de cinco anos como agente de cargas no Aeroporto Internacional de Brasília, na extinta empresa de aviação Varig/Cruzeiro S.A., e em outros subempregos diversos, até ser aprovado em concurso público para o Superior Tribunal de Justiça, sendo chamado para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região, com sede em Brasília, no qual foi servidor de nível médio efetivo por seis anos. Após fez concurso e foi aprovado para os quadros da Advocacia-Geral da União, na qual exerce desde 1996 o cargo de Procurador Federal.

Serviço: 

Depois de passar por Portugal e por Recife, o escritor paraibano radicado em Brasília, Judivan Vieira, lançará em Brasília a novela satírica "Sivirino Com “I” e o Deus da Pedra do Navio (Chiado Editora, R$ 45,00). O evento será realizado na terça-feira, 15 de maio, no Carpe Diem Restaurante (104 Sul), das 19h às 22h. Tendo como pano de fundo motivador, o bullying recebido ao se receber um nome tido como estranho, de maneira divertida, o personagem principal viaja no tempo e questiona pessoalmente e, sem qualquer pudor, ensinamentos de deuses, profetas e mestres, no melhor estilo do imaginário popular nordestino.

Uma ótima oportunidade para conhecer o autor e sua obra! Fica a dica para os nossos leitores de Brasília irem prestigiar o evento.

Até a próxima ;)




Leia Mais ►

Sesc promove oficina de criação literária

Olá, queridos leitores! Como estão? Vocês lembram quando fiz um post falando sobre o projeto "Arte da Palavra"? Não? Clica aqui neste link para saber mais sobre. Como dito naquele post, o Sesc iria promover um Circuito de autores, de Oralidades e de Criação Literária. E é justamente sobre este último que vamos falar neste post. 


O que é?


A Arte da Palavra é um projeto realizado pela rede Sesc de leituras que tem como objetivo promover a literatura no Brasil. Nesse projeto estão o Circuito de autores, que irá promover bate papo com autores de diversos estilos. Também será realizado o Circuito de oralidades, que reunirá manifestações como narrações de histórias, saraus, performances e slam poetry (modalidade da poesia falada em formato de batalha de versos) e o Circuito de criação literária, que contará com oficinas para aspirantes a escritores. Hoje (14/05) até sexta (18/05) teremos no circuito de criação literária a escritora Milena Azevedo, que ministrará a oficina "Técnicas de escrita de roteiro para histórias em quadrinhos".


Quando?


Dia 14 de Maio (Segunda) até 18 de maio (sexta)

Onde? 


Sesc Presidente Dutra (Setor Comercial Sul)

Mapa:




As inscrições devem ser feitas pelo email: teatrosescsilviobarbato@gmail.com. Corram que as vagas são limitada! Mais informações: (61) 33194441. Vagas limitadas. Entrada franca.

Até a próxima ;)

Leia Mais ►

13/05/2018

CINE ACADEMIA - As mães roubaram a cena

Olá, queridos leitores!!! Tudo certinho com vocês? Venho trazer a indicação de cinco filmes em que as mães, essas pessoas super especiais em nossas vidas, roubaram a cena e conquistaram nossos corações. Como homenagem para o dia delas, aproveitem essas sugestões para assistirem um filminho em família e dessa forma compartilharem um momento terno. Vamos lá!

1- Para assistir com a mães duronas que fazem de tudo por nós: O quarto de Jack

Jack tem cinco anos de idade e não conhece nada do mundo, além do quarto onde nasceu e foi mantido em cativeiro ao lado de sua mãe. 


Um filme daqueles que mostram até onde uma mãe pode ir pelo belo bem de seu filho. Toda mãe de verdade tem uma leoa dentro de si, capaz de enfrentar qualquer pessoa ou situação.



2- Para assistir com as mães românticas: MaMa Mia 

Donna, a proprietária de um hotel nas ilhas gregas, está preparando o casamento de sua filha com a ajuda de duas amigas. Enquanto isso, a noiva Sophie convida três ex-namorados de sua mãe na esperança de conhecer seu verdadeiro pai. 


Com este filme a diversão é certa, é muito interessante para se assistir com a mãe pois a protagonista foi mãe solteira e sua filha vai em busca do passado misterioso que ronda essa maternidade. Feito com as musicas do grupo musical Abba a obra é ideal para os amantes de musicais.




O filme terá sua continuação lançada esse ano, em breve estará nos cinemas. Nela o passado de Donna será ainda mais explorado e a diversão em família irá continuar.



2- Para assistir com as mães doidinhas: Minha mãe é uma peça 

Dona Hermínia é uma mulher de meia idade, divorciada do marido, que a trocou por uma mais jovem. Hiperativa, ela não larga o pé de seus filhos Marcelina e Juliano, que já estão bem grandinhos. Um dia, após descobrir que eles a consideram uma chata, resolve sair de casa sem avisar ninguém, deixando todos, de alguma forma, preocupados com o que teria acontecido. Mal sabem eles que a mãe foi visitar a querida tia Zélia para desabafar suas tristezas do presente e recordar os bons tempos do passado.


Se for para rir de uma artista nacional, é com o Paulo Gustavo mesmo. Caiam na gargalhada com sua mãe do lado aos perceberem quantas vezes ela já foi a própria Donna Hermínia em suas atitudes. 



3- Para assistir com as mais que aguentam as loucuras de um adolescente: Fala sério Mãe 

Ângela Cristina, mãe da adolescente Maria de Lourdes, precisa lidar com as dificuldades e delícias de guiar sua filha durante uma das fases mais complicadas da vida. Ela vive uma montanha-russa de emoções, medos e frustrações. Por outro lado, a filha Malu, como prefere ser chamada, também tem suas insatisfações.


Toda mãe tem uma certa dificuldade em ver que seu filho ou filha cresceu, difícil mesmo é quando eles chegam naquela fase em que se acham auto suficiente,  neste filme a relação de mãe e filha vai divertir e emocionar.


5- Para assistir com aquele pai que também é mãe: Pais & Filhas 


Um novelista mentalmente instável tenta criar sozinho a filha de cinco anos. Vinte anos depois, a garota cuida de crianças com problemas psicológicos e ainda tenta entender sua complicada infância.


O dia é das mães, mas nem sempre mãe é uma mulher. Já falamos sobre mães solteiras e agora vamos falar de pais que são mães. Trouxe esse filme para ser inclusiva quando se trata de uma data muitas vezes tão específica para as diversas situações familiares que existem nessa vida. Um filme de uma profundidade ímpar, que acima de tudo trata-se do amor parental.




Eu coloquei características definidas para cada tipo, mas no fundo as mães são uma junção de tudo isso. Elas não são apenas doidinhas ou românticas, muito menos só comandantes e guerreiras pelo filho. As mães, sejam elas como forem (de sangue; adotivas; pais que são mães; tias que criam; avós que criam), têm algo em comum, para terem a honraria de serem chamadas como tal, são pessoas que estão por nós, cada uma com sua peculiaridade e lado especial, mas sempre com muito amor no coração e vontade de que os filhos cresçam bem. Neste dia das mães, não se esqueçam de dizer a elas o quanto são importantes. 


Espero que tenham gostado do post. Não se esqueçam de compartilhar esse post com as mães e os familiares de vocês. Também deixem um comentário, é sempre bom sabermos o que acharam.

Beijão!!! Até a próxima. 😉💖
Leia Mais ►