Tecnologia do Blogger.

23/10/2017

Horóscopo dos livros: Escorpião

signo-de-escorpiao-e-suas-caracteristicas-by-nanaths.jpg (1742×2000)   Quase... <3 ;-)
Fonte: @nanaths - imagem retirada do Pintrest "tão feminino"

Olá, amigos leitores,

A partir de hoje (23/10) o sol entrou na casa de Escorpião, que são pessoas conhecidas por serem intensas e misteriosas. É isso mesmo? Temos alguma escorpiana por aqui?
As revelações abaixo foram extraídas do site Personare, que contém os dados que tratam do deste signo e da carta de tarot sorteada.

Lembrando que este post tem o intuito apenas de descontrair.

Escorpião (23 de outubro - 21 de novembro)

Elemento: Água (Possui uma força penetrante e sutil e está simbolicamente associado à função psíquica do sentimento)

Regente: Plutão (Representa a forma como você lida com as questões relacionadas à morte e ao renascimento. Plutão vai mostrar a existência de um poder maior que você e como geralmente você lida com essa descoberta. Está ligado aos ciclos de vida e à descoberta de grandiosidades maiores que você)

Cor: Vermelho escuro (É estimulante, afasta a tristeza, tira o desânimo. É a cor das conquistas, das paixões e da sexualidade)

Flores: Peônias vermelhas, tulipas, cravos vermelhos, papoulas (As exóticas peônias vermelhas representam romance e poder para o sensual e apaixonado Escorpião. Outras opções são tulipas, cravos vermelhos e papoulas)

Pedras: Hematita, rubi, granada e obsidiana negra

Perfil: Em Escorpião, podemos encontrar um criador de seu próprio destino. É também um signo transformador. E está sempre envolvido com suas emoções, que geralmente são muito intensas e profundas.

Características: intensidade, transformação e mistério

Principal frase: “Eu transformo, logo existo”

Personagem feminina: Sherazade do livro “A Fúria e a Aurora”, da Renée Ahdieh.

Sinopse do livro: Personagem central da história, a jovem Sherazade se candidata ao posto de noiva de Khalid Ibn Al-Rashid, o rei de Khorasan, de 18 anos de idade, considerado um monstro pelos moradores da cidade por ele governada. Casando-se todos os dias com uma mulher diferente, o califa degola as eleitas a cada amanhecer. Depois de uma fila de garotas assassinadas no castelo, e inúmeras famílias desoladas, Sherazade perde uma de suas melhores amigas, Shiva, uma das vítimas fatais de Khalid. Em nome da forte amizade entre ambas, Sherazade planeja uma vingança para colocar fim às atrocidades do atual reinado. Noite após noite, Sherazade seduz o rei, tecendo histórias que encantam e que garantem sua sobrevivência, embora saiba que cada aurora pode ser a sua última. De maneira inesperada, no entanto, passa a enxergar outras situações e realidades nas quais vive um rei com um coração atormentado. Apaixonada, a heroína da história entra em conflito ao encarar seu próprio arrebatamento como uma traição imperdoável à amiga.  Apesar de não ter perdido a coragem de fazer justiça, de tirar a vida de Khalid em honra às mulheres mortas, Sherazade empreende a missão de desvendar os segredos escondidos nos imensos corredores do palácio de mármore e pedra e em cenários mágicos em meio ao deserto.

Breve avaliação: A Sherazade tem uma determinação incrível, além de uma língua afiada, que foi o ponto chave da história. Acredito que o seu jeito misterioso conquistou o rei de Khorasan.

Para ler a resenha deste livro, clique aqui.

Personagem masculino: Wulfric Bedwyn do livro “Ligeiramente Perigosos”, da Mary Balogh.

Sinopse do livro: Aos 35 anos, Wulfric Bedwyn, o recluso e frio duque de Bewcastle, está ávido por encontrar uma nova amante. Quando chega a Londres, os boatos que correm são os de que ele é tão reservado que nem a maior beldade seria capaz de capturar sua atenção. Durante o evento social mais badalado da temporada, uma dama desperta seu interesse: a única que não tinha essa intenção. Christine é impulsiva, independente e altiva – uma mulher totalmente inadequada para se tornar a companheira de um duque. Ao mesmo tempo, é linda e muito, muito atraente. Mas ela rejeita os galanteios de todos os pretendentes, pois ainda sofre para superar as circunstâncias pavorosas da perda do marido. No entanto, quando o lobo solitário do clã Bedwyn jura seduzi-la, alguma coisa estranha e maravilhosa acontece. Enquanto a atração dela pelo sisudo duque começa a se revelar irresistível, Wulfric descobre que, ao contrário do que sempre pensou, pode ser capaz de deixar o coração ditar o rumo de sua vida.

Breve avaliação: Enquanto a Christine Derrick, personagem principal do livro, foi a escolhida para representar o signo de libra, o Wulfric Bedwyn representa muito bem os signo de escorpião. De todos os personagens da série, o Wulfric era o mais temido, talvez por ser o mais misterioso, com sua personalidade fria e arrogante. Contudo, ao passo que o conhecemos, é possível perceber um personagem intenso e que de “frio” ele não tem nada.

Para ler a resenha deste livro, clique aqui.

Carta de tarot sorteada:
.
.
.
.

Fonte da imagem: www.iquilibrio.com
O arcano VIII do Tarot, chamado “A Justiça”, emerge como arcano conselheiro para este seu momento em particular, Academia Literária DF, lembrando a importância da reflexão fria e analítica em relação aos fatos do mundo. Há momentos em que de nada adianta reagir emocionalmente às circunstâncias, em que é melhor se recolher e avaliar as coisas a partir de uma perspectiva mais fria, mais elevada. O importante, no momento, é julgar da forma mais imparcial possível. Procure ao máximo agir de maneira diplomática neste momento, Academia Literária DF. Você vai precisar, pois o momento assim exige. As circunstâncias poderão ficar bem difíceis e a tentação de agir de uma maneira impulsiva será muito grande. Segure a onda!

Livro relacionado à carta: Leitores, depois que li a interpretação desta casa, lembrei-me da Ella Harper, do livro “Princesa de papel” (autora Erin Watt), por conta da sua impulsividade em querer resolver algumas coisas, acredito que ela tem muito o que amadurecer e, por isso, esta carta se direciona à ela.  

Para ler a resenha deste livro, clique aqui.








Dicas: queridos leitores, para quem quiser curtir uma seleção de músicas ou livros que se relacionam com os escorpianos, basta acessar os links abaixo.

  • Livros para os escorpianos:  lista da Amazon (para acessar, clique aqui)
  • Músicas para os escorpianos: playlist do Superplayer (para acessar, clique aqui)

É isso, até a próxima, queridos leitores!
Astróloga literária (rsrsrs) Gabi Crivellente




Leia Mais ►

21/10/2017

RESENHA – Magia Explosiva (Ilona Andrews)

Ilona Andrews
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: ANDREWS, Ilona. Magia Explosiva – série Hidden Legacy. 1ª edição. São Paulo, Universo dos Livros, 2017. Tradução Suria Scapin. 448 p.
Gênero: Romance, fantasia
Temas: magia, investigação, crimes
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura norte-americana
Ano de lançamento: 2014 nos Estados Unidos da América e 2017 no Brasil
Série: Magia Explosiva (Livro 1)

“Fazia total sentido que Louco Rogan, um homem rico, lindo, atlético e Superior, fosse um imbecil egocêntrico. O que não fazia nenhum sentido era o fato de que, a cada vez que ele me olhava ou pronunciava meu nome, eu precisasse de dez segundo para voltar à realidade.”
Magia Explosiva – Livro 1. (pág. 328)




Queridos leitores, antes de iniciar a resenha deste livro, gostaria de adiantar que eu amei a história dele. Este é o primeiro livro da série “Hidden Legacy” (legado escondido, em tradução livre) que conta a história da Nevada Baylor e do Conor Rogan.
Há alguns anos, um soro que tinha o poder de despertar talentos mágicos nas pessoas foi desenvolvido, ele era voltado, principalmente, para os soldados aumentarem as suas forças. Infelizmente, esse soro se espalhou e muita coisa mudou no mundo. Claro que não contarei aqui para vocês.
A Nevada era uma detetive particular, e sua magia consistia em perceber quando alguém mentia, o que ajudava em muito no seu trabalho. Ela administrava os negócios da família, a Agência de Investigação Baylor. Porém, por conta de alguns problemas financeiros, foi preciso hipotecar a agência para a Montgomery Investigações Internacionais. Como a empresa da Nevada era pequena, eles trabalhavam basicamente com casos mais simples, como fraudes contra seguradoras e casos de adultério, e, quando necessário, eles eram obrigados a assumir alguns casos da Montgomery.
Para o desespero dela, o Augustine Montgomery demandou uma missão praticamente impossível, que era encontrar o Adam Pierce, um pirocinético (habilidade de dominar o fogo), e entregá-lo para a mãe dele, uma socialite que sempre passava a mão na cabeça do filho. A Nevada precisava encontrar o rapaz antes da polícia, pois ele estava sendo procurado por ter cometido vários crimes, sendo que o último foi o assassinado de um policial.
Claro que essa missão era praticamente suicida para a Nevada, haja vista que sua equipe era composta por ela, sua mãe (que tem uma deficiência na perna), sua avó, suas duas irmãs e seus dois primos. Sendo que três desses eram menores de idade.
Desta forma, ela teve que assumir o caso, pois se não assumisse, os Montgomery tomariam a empresa dela. Eles, mesmo com mais recursos, não queria assumir o caso, já que era provável que não conseguiriam levar o rapaz para a família e ainda teriam muitas “baixas” de recursos humanos na empresa.
Ao longo das investigações, ela se deparara com o Conor Rogan, também conhecido como “Louco Rogan”. Ele recebeu esse apelido por ser um cara extremamente perigoso. O Conor ficou famoso por intervir, com sua magia, nos conflitos de uma guerra dos Estados Unidos da América com o México. Ele era um dos telecinéticos (poder de levitar objetos) mais poderosos que existiam no mundo e, por isso, era muito temido. Nem vou comentar que ele era milionário e lindo.
O Rogan começou a procurar pelo Adam também, tendo em vista que o seu sobrinho, Gavin Waller, estava envolvido nesse acidade com o policial, e o garoto estava desaparecido, juntamente com o Pierce.
No decorrer da história, leitores, tanto a Nevada quanto o Conor precisaram trabalhar juntos para conseguirem capturar o Adam. A história foi muito bem construída, e apesar da atração desses dois, o foco não ficou neles, mas na busca pelo rapaz. Confesso que quero mais romance desses dois no próximo livro.
Para quem não sabe, Ilona Andrews é o pseudônimo de um casal de escritores. Ilona é nascida na Rússia, e Gordon é um sargento de comunicações aposentado do exército norte-americano. Ao contrário da crença popular, Gordon nunca foi oficial de inteligência com licença para matar, e Ilona nunca foi a espiã russa misteriosa que o seduziu. Eles se conheceram na faculdade, na aula de Introdução à Escrita em Inglês, na qual Ilona tirou notas melhores que as dele (e Gordon ainda se ressente por isso). Gordon e Ilona residem atualmente no Oregon com seus dois filhos, três cachorros e um gato. Eles escrevem em conjunto duas séries de best-sellers nos gêneros fantasia e romance: Kate Daniels e The Edge.
O livro possui 15 capítulos, e é narrado de forma linear cronológica em primeira pessoa, pelo ponto de vista da Nevada. Os autores têm uma ótima escrita. Tentei ao máximo ler devagar o livro, pois é muito ruim quando você gosta da história e a continuação ainda não foi lançada aqui no Brasil.
O final é deixar o leitor de queixo-caído (pelo menos eu fiquei). Além disso, foi disponibilizado um trecho da sequência para deixar o leitor ainda mais ansioso pela continuação.
Magia Explosiva

Bibliografia de Ilona Andrews (ordem cronológica):

Livros: 
  • Sangue Mágico – série Kate Daniels – Saída de Emergência Brasil (2015)
  • Magia Explosiva – série Hidden Legacy – Universo dos Livros (2017)
Leia Mais ►

20/10/2017

Obra distópica de Day Fernandes ganha 2º Edição

Olá, queridos leitores da Academia! Como estão? Hoje é dia de divulgação de livro! Apresentamos para vocês uma distopia nacional escrita pela autora Day Fernandes. Conheçam a obra "A Fortaleza: mundo sombrio".




Em uma sala branca, amarrados juntos a mesas metálicas de uma espécie de laboratório, cinco pessoas gritavam enquanto dezenas de agulhas pequenas lhes perfuravam a pele.
- A Fortaleza: Mundo Sombrio




A obra:

O sangue é a única saída.
2070. A escuridão caminha lado a lado com o que restou da raça humana. Após uma guerra nuclear, a vida na superfície terrestre se extinguiu. Habitando gigantescos complexos estruturais subterrâneos, conhecidos como as Fortalezas, os sobreviventes tentam resistir à extinção. Entretanto, na Fortaleza n° 7, um império regado a sangue se ergueu.
Medo, sombras e sacrifícios fazem parte dos dias de Camille. Ainda jovem, ela herdou de seu pai a posição de liderança do grupo de rebeldes da Fortaleza n° 7. Contudo, nem mesmo os diários deixados por ele poderiam tê-la preparado para os segredos que acabaria por escavar. Durante uma missão de resgate, Camille salva a vida de um desconhecido, mudando o destino de si mesma e de toda a raça humana.
Em um mergulho profundo no coração da Fortaleza, ela descobrirá cenários de terror e mentiras. Nesse Mundo Sombrio, o fim pode vir tão rápido quanto uma batida de coração. A diferença entre viver ou morrer consiste em um único obstáculo: enfrentar as sombras dentro e fora de si. E, claro, sobreviver.

Olha, preciso comentar que eu ADORO distopias. E essa sinopse me lembrou a obra SILO, do Hugh Howey. Alguém ai já leu? Tem resenha dele neste link. Então vocês já podem entender o quanto estou empolgado com essa obra. Ainda não li nada da autora, mas amigos blogueiros já me recomendaram a leitura. E lembrando que o livro está em sua segunda edição, com extras! Mas, Luciano, quais extras? Então... teremos nessa nova edição uma nova revisão, a capa mudou, a diagramação, tem mapa (VEI, UM MAPA!) e um capítulo extra. E se não for o suficiente, ainda contém 10 ilustrações ao longo da história. Vale ou não vale investir?



Sobre a autora:

Day Fernandes tem 26 anos, é psicóloga, escritora, casada e natural da cidade de Brasília-DF. Apaixonada por romance, ficção científica e teorias da conspiração, começou a escrever aos treze anos, criando histórias em quadrinhos.  A Fortaleza: Mundo Sombrio é seu primeiro romance publicado e obteve uma excelente recepção do público jovem em algumas plataformas digitais. A autora também possui outros dois romances intitulados: "Uma ilha no Atlântico" e "Uma Maré de azar!".
Dayanne também adora escrever contos e possui publicações em antologias diversas, nos gêneros de terror, sci-fi, suspense, romance e fantasia.


O que acharam, leitores? O livro está em pré-venda e pode ser adquirido com a autora por este link. E corre que está acabando! Vai até o dia 31. E no ato da compra, você ainda ganha um kit com poster, marcadores, botton e um bloquinho de anotação. Que tal? Muita coisa legal, não acham? Comprem o seu exemplar e ajudem a literatura nacional 😘.

Até a próxima.


Leia Mais ►

17/10/2017

RESENHA – Seduzida por um Highlander – (Maya Banks)


Ficha técnica:
Referência bibliográfica: BANKS, Maya. Seduzida por um Highlander – série “Os irmãos McCabe”. 1ª edição. São Paulo, Universo dos Livros, 2017. 384 páginas. Tradução: Alline Salles.
Gênero: Romance de época
Temas: vingança, Escócia, honra, romance medieval
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura norte-americana
Ano de lançamento: 2011 nos Estados Unidos da América e 2017 no Brasil
Série: Atraída por um Highlander (livro 1), Seduzida por um Highlander (Livro 2) e Apaixonada por um Highlander (livro 3).


“Lembre-se de mim com carinho. Nunca vou me esquecer do nosso tempo juntos, Vou guarda-lo sempre em meu coração.”
Seduzida por um Highlander – Livro 2. (pág. 311)

Queridos leitores, este é o segundo livro da trilogia irmãos McCabe. Se você não leu o primeiro livro da série, “Atraída por um Highlander”, recomendo a leitura, pois o livro é bacana. Contudo, se por um acaso você desejou pulá-lo e ir direto para este, não tem problema, pois a história é independente da outra.
Neste romance vamos conhecer mais sobre o Alaric, irmão do Ewan McCabe (personagem principal do livro anterior) e da Keeley McDonald. Por conta de uma possível guerra entre os clãs, o Alaric aceitou se casar com a Rionna McDonald, herdeira do clã McDonald. O casamento tinha como objetivo fortalecer as defesas dos dois clãs.
Essa foi uma boa oportunidade para ele, já que o rapaz não era o próximo da linha de sucessão dos McCabe, pois o Ewan, o laird, já tinha um herdeiro.
Assim, ao viajar para a terra da Rionna, ele e os seus soldados sofreram um ataque. Todos morreram e ele saiu gravemente ferido que o deixou inconsciente.
A Keeley pertencia ao clã McDonald. Porém, por conta de algumas desavenças com o laird dessa terra, ela foi expulsa. Ela ficou muito ressentida, já que era prima e melhor amiga da filha dele, a Rionna, que não a defendeu quando ela foi mandada embora. Para se sustentar, ela se tornou uma boa curandeira e passou a atender os aldeões que buscavam ajuda. Em um belo dia, ela se deparou com um cavalo carregando um guerreiro inconsciente. Desta forma, ela não teve como evitar ajudá-lo.
Após alguns dias do sumiço do Alaric, o Ewan e o seu outro irmão mais novo, Caelen, conseguiram descobrir que o guerreiro estava sendo tratado por uma curandeira. Por conta disso, ele resolveu levá-la para o seu clã para que pudesse terminar o tratamento do Alaric e cuidar do parto da sua esposa, Mairin, que estava próxima de ganhar bebê.
Com o passar dos dias, e com a melhora dele, eles ficaram cada vez mais próximos e, naturalmente, se apaixonaram.  Todavia, o Alaric não podia desmanchar o acordo de casamento, pois poderia colocar em risco o clã dele e seus irmãos. Sendo assim, o casal entrou em conflito, haja vista que nem sempre podemos seguir o que o coração quer, não é mesmo?  
A Maya Banks é a autora bestseller, do New York Times e do USA Today, de gêneros como o romance erótico, o suspense romântico, o romance contemporâneo e o romance histórico escocês. Já escreveu mais de 50 romances. Maya vive no Texas com o marido, três filhos e vários animais de estimação.
O livro possui 39 capítulos, além do prólogo, e é narrado de forma linear cronológica. Ele foi escrito em terceira pessoa, com ponto de vista alternado entre a Keeley e o Alaric. Ao final, foi disponibilizado um trecho do último livro da série, “Apaixonada por um Highlander”, que contará a história do Caelen McCabe.
Admito que gostei mais da história do Alaric do que da história do Ewan, apesar de que se eu fosse a autora teria colocado muito mais intrigas nesta história (eu sei, sou maldosa). Estou bastante ansiosa para ver o desfecho desta séria e, ao que tudo indica, o próximo livro terá tudo para ser o melhor.

Bibliografia da Maya Banks (ordem cronológica):

Livros:
  • Devoção total - Harlequin (2010)
  • Obsessão - Leya (2013)
  • Marcados pelo desejo – Harlequin (2013)
  • Doces Carícias – Harlequin (2013)
  • Beijos Tentadores – Harlequin (2013)
  • Delírio - Leya (2013)
  • Fogo - Leya (2014)
  • Rebeldia – Harlequin (2014)
  • Traição – Harlequin (2014)
  • Rendição – Leya (2014)
  • Doce Entrega – Novo Século (2014)
  • Submissão – Leya (2015)
  • Devoção – Leya (2015)
  • Proteja-me – Gutenberg (2015)
  • Doce Persuasão – Novo Século (2015)
  • Seduzida por um guerreiro escocês – Universo dos livros (2016)
  • O Mais Desejado dos Highlanders – Universo dos livros (2016)
  • Atraída por um Highlander – Universo dos livros (2017)
  • Seduzida por um Highlander – Universo dos livros (2017)
Leia Mais ►

14/10/2017

RESENHA – Honey (Kristen Ashley)

ATENÇÃO!
A obra resenhada apresenta cenas eróticas. Leitura não recomendada para menores de 18 anos.

Kristen Ashley
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: ASHLEY, Kristen. Honey – série “Honer”. 1ª edição. São Paulo, Universo dos Livros, 2017. 512 páginas. Tradução: Alline Salles.
Gênero: Erotismo
Temas: BDSM, clube erótico
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura Americana
Ano de lançamento: 2017 nos Estados Unidos da América e 2017 no Brasil
Série: Honey (Livro 1) e Passion (Livro 2)

“Mas há aqueles de nós que compreendem a vida e há aqueles que desejam viver do lado de fora mesmo que precisem do que podem ter nos momentos em que se permitirem.”
Honey (Livro 1). (pág. 433)



Caros leitores, tanto pela capa quanto pela sinopse deste livro você já percebe que a história será erótica. Contudo, mesmo sabendo disso, e sendo fã de romance erótico, eu nunca li um livro que se aprofundasse tanto nas cenas de BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo). Calma que vou explicar melhor.
Se você me perguntar: Gabi, afinal, você gostou da história? Eu te direi que sim, eu gostei. Mas o que mais gostei foi que ele me tirou da minha zona de conforto, principalmente dos estereótipos que eu já estava acostuma nesses tipos de livro. Em vários momentos eu me peguei pensando: “não, isso não pode ser verdade. Será?”. E isso foi positivo, pois gerou uma curiosidade para saber como é a vida de um casal que pratica BDSM, será que eles têm vergonha? Será que assumem que praticam esse “jogo”? Agora que me expressei, vou falar mais sobre a história.
Neste livro vamos conhecer a Amélie Hélène Strand, também conhecida como Ama Amélie, uma dominatrix respeitada e cobiçada no clube de elite erótico “The Bee's Honey”, que era voltado para dominação e submissão. Muitos submissos a procuravam por conta do seu estilo de jogar.
A Amélie além de linda, ela era riquíssima e tudo na sua vida ia bem, menos na parte amorosa, pois, para a sua infelicidade, há um bom tempo não encontrava nenhum submisso que a satisfizesse fora do clube. Os que ela gostava de “jogar” sempre se mostravam que não seriam bons parceiros fora do clube, e ela havia chegado numa fase da vida que queria constituir uma família.
Quando ela retornou de uma viagem exaustiva e foi para o clube, a ama se deparou com o novato Olivier Hawker (Ollie). Por conta do seu porte, ele chamou a sua atenção logo de cara. Determinada a testar até que ponto o submisso aguentaria, ela não perdeu tempo e o levou para uma sala de jogos.
O Olivier era bombeiro. Sabe aquele tipo de bombeiro que faz as mulheres suspirarem por aí? Sim, ele é esse cara. Apesar de ser um macho alfa, ele sempre curtiu a submissão. Todavia, ele não tinha experiência. Ele havia passado por duas dominadoras, mas nenhuma foi satisfatória, inclusive, uma delas o fez mais sentir dor do que prazer.
Como ele buscava uma boa “ama”, ele conseguiu ser aceito no Honey. Com isso, ele logo descobriu que a melhor para ele seria a Amélie.
Os dois perceberam que tinham muita química e passaram a descobrir que eles tinham muita afinidade.
O livro tem várias cenas picantes, sendo que 80% dos capítulos se passam dentro do Honey. Além disso, você vai vivenciar cenas totalmente diferente das quais podia imaginar ler em um livro, mas elas são bem trabalhadas, o que prende a atenção.
Leitores, a personalidade da Amélie foi um diferencial para mim. Confesso que nunca tinha lido nenhum livro em que os papeis foram invertidos, ou seja, da mulher ser, literalmente, a dominadora e rica e o homem ser o submisso pobre, pois a maioria é sempre a mocinha inexperiente que vai aprender com o cara “fodão” bilionário, como os livros “Cinquenta tons de cinza”, “Toda sua”, “Eu, submissa”, entre outros tantos livros que existem por aí.
Além disso, apesar da Amélie ser bem resolvida com a sua vida sexual, o Ollie ainda está preso na vergonha de assumir que é um submisso e que frequenta um clube erótico. Por conta disso, esse casal teve que lidar com alguns dramas cotidianos para que pudessem, ou não, superar as questões mal resolvidas.
A Kristen Ashley, autora do livro, é a irmã caçula de uma típica família de Indiana, Estados Unidos. Seu sonho sempre foi escrever, e alcançou esse objetivo com maestria tornando-se uma autora best-seller do The New York Times e do USA Today com mais de cinquenta romances publicados e seus grandes sucessos traduzidos em mais de dez línguas.
O livro é composto por 20 capítulos, e é narrado pela Amélie e pelo Olivier, de uma forma linear cronológica, em terceira pessoa. Ao final do livro foi disponibilizado um trecho do próximo da série Honer, Passion, que contará a história de dois personagens que aparecem, rapidamente, no livro: Brunch e Evangeline.  
Confesso que estou bem ansiosa para saber mais sobre esse novo casal. O Branch tem uma áurea misteriosa e fiquei muito curiosa para saber o que aconteceu com a Evangeline no clube.
Honey
Fonte: http://www.kristenashley.net/

Bibliografia da KRISTEN ASHLEY (ordem cronológica):
 
Livros:
  • O estranho – série “O Homem dos Meus Sonhos” - Fábrica 231 (2016)
  • O selvagem – série “O Homem dos Meus Sonhos” – Fábrica 231 (2017)
  • Honey – série “Honer” - Universo dos Livros (2017)
Leia Mais ►

10/10/2017

Resenha - Dom Casmurro (Machado de Assis)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. Volume 1. Nova Aguilar: Rio de Janeiro, 1994.
Gênero: Romance.
Temas: Século 19.
Categoria: Literatura brasileira.
Ano de lançamento: 1899.









Tinha-me lembrado a definição que José Dias dera deles, ‘olhos de cigana oblíqua e dissimulada.’ Eu não sabia o que era oblíqua, mas dissimulada sabia, e queria ver se podiam chamar assim. Capitu deixou-se fitar e examinar. Só me perguntava o que era, se nunca os vira, eu nada achei extraordinário; a cor e a doçura eram minhas conhecidas. A demora da contemplação creio que lhe deu outra ideia do meu intento; imaginou que era um pretexto para mirá-los mais de perto, com os meus olhos longos, constantes, enfiados neles, e a isto atribuo que entrassem a ficar crescidos, crescidos e sombrios, com tal expressão que...”
*Dom Casmurro.

Dom Casmurro nem sempre foi casmurro, assim como o apelido o define. Ele foi Bentinho – o doce e inocente adolescente. Nesta obra, Dom Casmurro revisita o passado, quando, jovem, a mãe dele pensava em cumprir a promessa feita antes do nascimento: se sobrevivesse, seria padre. O menino, porém, se vê apaixonado pela vizinha e não quer saber da vida no seminário.
Os olhos de Bentinho são todos para Capitu. O amor dos dois se vê ameaçado diante dessa possibilidade de mudança, mas ambos prometem sobreviver às peças que o destino lhes pregará. Eles conseguirão?
Essa obra não é sobre o amor de Bentinho e Capitu, mas sobre a vida de Dom Casmurro. Apesar disso, toda a trama do livro gira em torno da paixão dele, tanto que, no início, o autor apresenta o exato momento em que Bentinho se descobriu amando. O leitor passa, então, a acompanhar as batalhas que Bentinho e Capitu enfrentam para ficarem juntos.  
As cenas criadas por Machado de Assis para este livro são hilárias. Muito detalhista, o autor não deixa passar nenhum pormenor das personagens, desde as que aparecem mais – como Bentinho, Capitu, Glória, tio Cosme e José Dias – até as secundárias. O livro é do século 19, contemporâneo ao autor e, por isso, carrega os costumes da época.
O engraçado é que as pessoas retratadas são fofoqueiras e interesseiras, assim como atualmente, mas aquelas se escondiam atrás de palavras rebuscadas, roupas pesadas e gestos cordiais. Machado de Assis é, claramente, crítico à sociedade e mostra isso muito bem por meio dos cenários e situações desta obra.
Nesse enredo, o leitor pode ser surpreender com a mudança de Bentinho. Na primeira parte de “Dom Casmurro”, o autor apresenta o jovem destemido e apaixonado que faz tudo para ficar ao lado de Capitu. Depois, quando ambos estão juntos, ele se transforma em um homem que vive com ciúmes dos atributos da mulher – os mesmos pelos quais, inclusive, ele se apaixonou.
Machado de Assis leva o leitor a sentir diferentes emoções – vão desde a alegria e a esperança em acompanhar o primeiro amor até a agonia de observar os pensamentos doentios de Bentinho adulto. Diferente do protagonista, porém, Capitu percorre toda a trama com a mesma personalidade. Ela sofre com a mudança do companheiro, e o leitor não fica imune disso.
Muita gente conhece essa obra pelo dilema: Capitu traiu ou não Bentinho? Não há resposta clara. Essa dúvida surge porque o protagonista enxerga uma suspeita aproximação entre o melhor amigo Escobar e Capitu. O que a trama mostra, no entanto, são as características de um homem ciumento que Bentinho adquire com o tempo.
A história de “Dom Casmurro” é contada em primeira pessoa pelo protagonista da trama, Bentinho, o próprio Dom Casmurro. A linguagem é rebuscada, uma vez que o livro é antigo. Para os amantes de português essa é uma boa experiência, pois podem conhecer palavras e construções antigas, que caíram em desuso, e algumas mais atuais do que nunca.
Machado de Assis é considerado um dos maiores autores brasileiros. Ele publicou o primeiro trabalho literário em 1854, quando tinha 15 anos. Machado de Assis é autor de obras emblemáticas, como “Memórias póstumas de Brás Cubas” e “Quincas Borba”. Ele foi jornalista, cronista, romancista e poeta. O escritor nasceu e morreu no Rio de Janeiro. Em vida, ainda fez parte da Academia Brasileira de Letras.
Todos deveriam conhecer ao menos uma obra de Machado de Assis. Como brasileiros, temos o dever se descobrir – ou ao menos tentar – por qual motivo ele é considerado um grande escritor. Com razão, “Dom Casmurro” ganhou fama por conta da história envolvente de Bentinho e Capitu. Os amantes de romance, acima dos outros, devem se encantar com essa obra.


Bibliografia de Machado de Assis (ordem cronológica):
Por conta da gama de obras do autor, decidimos deixar aqui uma lista com os livros disponíveis em PDF. O Ministério da Educação é o responsável pelo site: http://machado.mec.gov.br/obra-completa-mainmenu-123.

Leia Mais ►

05/10/2017

Encontro de fãs - Cassandra Clare

Olá, queridos leitores da Academia! Hoje tem divulgação de evento! Quem ai gosta das obras da autora Cassandra Clare? Pois saibam vocês que teremos neste sábado um encontro de fãs dedicado ao lançamento da obra "O Senhor das Sombras". 



O que é?

A Galera Record convida todos os leitores para participar do encontro de fãs da autora Cassandra Clare em comemoração ao lançamento da obra "Senhor das Sombras". O bate papo será mediado pela Jéssica Rodrigues, blogueira do Leitora Sempre e o blogueiro Rafael Capovilla, do Vale Literário! A Academia estará lá cobrindo o evento. Estão todos convidados 😉

Obs: A autora não estará no evento. Bom lembrar desse detalhe, não acham? rs 

Quando?

Dia 07 de Outubro (sábado), a partir das 15h00

Onde? 

Leitura - Conjunto Nacional

Link do evento: aqui.


Mapa:




Além do bate-papo o evento terá sorteio de brindes e de acordo com o Rafael, um sorteio SURPRESA para quem estiver presente. Imperdível, não acha?

Até a próxima 😉


Leia Mais ►