Tecnologia do Blogger.

27/03/2014

Clássicos Nacionais - Machado de Assis

Joaquim Maria Machado de Assim, considerado um dos mais importantes escritores brasileiros, nasceu no Rio de Janeiro, em 21 de Junho de 1839, filho de uma família muito pobre. Por ser mulato, também foi vítima de preconceito. Perdeu sua mãe durante a infância, sendo então criado pela madrasta. E, mesmo com todas as dificuldades daquela época, conseguiu superá-las e tornar-se um grande escritor.



Trabalhou como aprendiz de tipógrafo, foi revisor e funcionário público. Publicou seu primeiro poema, “Ela”, na revista Marmota Fluminense. Trabalhou também como colaborador de algumas revistas e jornais do Rio de Janeiro. E, além disso, foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras – e seu primeiro presidente.

Suas obras podem ser divididas em duas fases: A fase romântica, onde seus personagens possuem características românticas, sendo o amor e os relacionamentos amorosos os principais temas de seus livros. Dessa fase destacamos “Ressurreição” (1872), “A Mão e a Luva” (1874), “Helena” (1876) e “Iaiá Garcia” (1878).


Sua segunda fase foi a realista, onde Assis abre espaço para questões psicológicas dos personagens. É nesta fase em que o autor retrata – e muito bem – as características do realismo literário. O autor faz uma análise profunda e realista do ser humano, destacando seus defeitos, qualidades, vontades e necessidades. Desta fase destacamos “Memórias Póstumas de Brás Cubas” (1881), “Quincas Borba” (1892), “Dom Casmurro” (1900) e “Memorial de Aires” (1908).


Além dessas obras, Machado de Assis também escreveu alguns contos, como “Missa do Galo”, “O Espelho” e “O Alienista”. Escreveu vários poemas, crônicas sobre o dia-a-dia, peças de teatro, além de críticas literárias e teatrais. O autor morreu aos 69 anos, vítima de câncer, em sua cidade natal, no ano de 1908.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!