Tecnologia do Blogger.

22/07/2014

Parceiros da Semana do Livro Nacional: Escritores mirins


Boa noite, leitores!
Prontos para mais emoções?
Temos uma grande surpresa para vocês. Vamos divulgar aqui os últimos quatro escritores que irão participar do evento Semana do Livro Nacional. Mas um detalhe: são todos crianças.

Isso mesmo que você leu, são autores mirins! *-*


Vamos descobrir quem são esses guerreiros, suas obras e prestigiá-los na Semana  do Livro Nacional!


Maria Eduarda B. A Diniz




Sobre a Autora: A autora Maria Eduarda tem atualmente 10 anos e lançou o referido livro aos sete anos de idade. Estuda o 5º ano do Ensino Fundamental e frequenta, uma vez por semana, o Atendimento ao Estudante com Altas Habilidades Superdotados. Desde que lançou o livro a autora tem apresentado seu trabalho em feiras da cidade de Sobradinho e Brasília, escolas bem como em escolas públicas e privadas. Está previsto o lançamento do segundo livro para este ano com o título O Sapo na Igreja.

Sobre o Livro: Trata-se de um livro destinado ao público infantil, apresentando uma emblemática fábula, na qual seus personagens, apesar das diferenças entre si - pois são de distintas espécies - são capazes de conviver, de fazer amizade e viver em harmonia. Então a autora nos instiga a pensar: e nós seres humanos, não podemos viver em paz apesar das diferenças de cada um?  Com esse livro pode-se fazer um trabalho direcionado na educação infantil e nas séries iniciais do ensino fundamental, como o levantamento de valores essenciais para a convivência em sociedade.


Henrique Souza Moraes





Sobre o Autor: O autor tem atualmente 13 anos e cursa o 8º ano do Ensino Fundamental e frequenta, uma vez por semana, o Atendimento ao Estudante com Altas Habilidades Superdotados, onde escreveu o livro. O escritor já apresentou seu trabalho em feiras de livro em Sobradinho e Brasília, além de expor em escolas públicas e privadas quando solicitado.

Sobre o Livro: Assunto: é um livro que expressa o espírito de aventura, com brincadeira e jogos, tema  comum a qualquer garoto ou garota. Está é a proposta de Henrique, que sendo um garoto, dialoga com os leitores da sua faixa etária, de uma forma lúdica, convidando-os a entrar na trama, na qual ao vencer etapas poderá ser premiado com distintivos e  decidir o  final da história. Dessa forma interativa entre texto e leitor,  o autor espera cativar novos adeptos ao fantástico mundo da literatura! É destinado ao público infantil e juvenil.


Nur Nidale Karajá








Sobre a Autora: A autora cursa o 6º ano do Ensino Fundamental e frequenta, uma vez por semana, o Atendimento ao Estudante com Altas Habilidades Superdotados, onde escreveu o livro. A escritora já apresentou seu trabalho em feiras de livro em Sobradinho e Brasília, além de expor em escolas públicas e privadas quando solicitado.
Links para

Sobre o Livro: Foi escrito e ilustrado pela autora quando esta tinha apenas 8 anos de idade. Primeiras memórias de Nur trata das memórias de uma criança e o encontro de culturas tão diferentes a muçulmana e a brasileira. Uma narrativa na terceira pessoa, que no decorrer da história aborda informações relevantes sobre a religião Islã e a cultura Árabe. Sob a visão de uma criança o livro elucida a cultura muçulmana, destacando o quanto o Brasil é um país acolhedor e sabe conviver com outras culturas, revelando a sua característica multicultural.


Anna Rubi Leal Rodrigues Ribeiro





Sobre a Autora: Aluna do 2º ano do ensino fundamental, Anna Rubi Leal Rodrigues Ribeiro, 7 anos, quer continuar a escrever. “Quero ser uma grande escritora”, diz a menina. A paixão pela escrita começou com o interesse pela leitura e com as histórias infantis contadas pela mãe dela, Maristela. A iniciativa permitiu que a garota tivesse contato com diversos autores. Logo, Anna despertou para a narrativa de fábulas populares. Mas, em vez de reproduzi-las, a pequena as recontava, com personagens e locais diferentes e novas características. A partir de então, a criança passou a inventar as próprias histórias. Há um ano, criou o Calango Tango e deu início a outro projeto, sobre uma fábrica de borboletas.

Sobre o Livro: O calango Tango tinha uma mania engraçada: dormia com os olhos abertos e passava o dia de olhos fechados. Isso rendeu a ele várias trapalhadas. Ainda assim, o jovem réptil não conseguiu se livrar do problema, mas, no fim, foi feliz porque soube aceitar a própria condição.


O que acharam da boa nova, leitores? Se nenhum dos 5 motivos para ir a Semana do Livro Nacional te convenceu a ir, talvez esses quatro pequenos te convençam do contrário. rs

Vejo vocês no evento.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!