Tecnologia do Blogger.

14/04/2015

RESENHA – Porque Até a Morte Terei Fome (Patrícia Colmenero)

         Recado: Eu tive o prazer de conhecer a autora deste livro pessoalmente. Inteligente e muito divertida, foi minha professora de Introdução à Fotografia no curso de Jornalismo. Convivi e aprendi com ela durante alguns meses. A experiência foi muito rica e eu aflorei a paixão por fotografia e vídeo durante este período. Aqui, deixo as minhas impressões e homenagem a essa escritora.


Ficha técnica:
Referência bibliográfica: COLMENERO, Patrícia. Porque Até a Morte Terei Fome.1ª edição. Brasília, 2012. 202 páginas.
Gênero: Romance, romance intimista
Categoria: Literatura nacional
Ano de lançamento: 2012






“Quem é que gostaria de se candidatar ao meu afeto? Quem é que gostaria de entrar, coração ante coração, na minha vida decaída? Quem é que gostaria de ser meu primeiro derradeiro amor, já que ainda não morri de nenhum anterior? Quem é que quer dar ao meu cotidiano de café e de filmes um infrene toque? Quem é que quer lábios com sede, e histórias de dor, e palavras cruas? Túlio não quis.”

“Porque até a Morte Terei Fome”, página 71.


            

            Patrícia é posta como um reflexo de todas as expectativas não superadas, os desejos não realizados e os amores mal vividos. Ela se perdeu buscando uma felicidade cujo o caminho ninguém lhe mostrou e, em meio a muitos conflitos internos, descobre que não há ninguém no mundo que vai trazer a felicidade pra ela se a própria não o fizer.
O livro “Porque Até a Morte Terei Fome” se inicia pelo fim. Pelo fim da louca paixão em que Patrícia se encontrava, onde a sua própria identidade estava exclusa, à mercê de um amor doentio encoberto por ilusões e expectativas. Paixão esta, que se aproxima da realidade de muitas mulheres que anulam suas próprias vidas em busca de um “felizes para sempre” e se esquecem que finais felizes não existem. Além disso, o emprego odiado, que só servia para preencher suas horas vazias e trazer um pouco de dinheiro no fim do mês, acomodam Patrícia em uma vida infeliz disfarçada de felicidade.


Edição da Academia Literária autografada

    Túlio, o personagem responsável pela trama da obra (já que o drama interno de Patrícia é desencadeado por ele) é um típico homem cosmopolita moderno, para quem o trabalho está em primeiro lugar e as pessoas e os outros assuntos parecem ser apenas peças substituíveis da vida. Mas para ela, Túlio é o centro da sua vida e todo o resto, inclusive ela, é o resto.
            Insanamente bem escrito, o livro deixa brechas para a imaginação e interpretação do leitor ser extensa. Algumas vezes, durante a leitura, eu tive que repetir a página para entender o que realmente aconteceu, e percebi então que a interpretação da obra é única para o leitor.
            A personagem principal tem o mesmo nome da autora do livro. As coincidências não param por aí, Patrícia (a personagem) tem a “urgência” de expressar seus sentimentos em palavras, como um digno escritor. Essas coincidências nos levam a questionar se essa obra é uma ficção, um diário ou uma mistura dos dois.
A perda do amor/obsessão, da identidade e da consciência são o estopim para a personagem principal então buscar a verdade de quem ela é, atrás de suas paixões e sonhos. Os dias vazios no trabalho se transformam em dias turbulentos em sua mente, sem ao menos sair do lugar. A busca pela sua identidade e ambições leva Patrícia a um caminho onde ela começa a descobrir o que lhe faltava quando ignorava o que deveria ser o mais importante: ela.
“Porque Até a Morte Terei Fome” é um romance intimista, aquele no qual a trama percorre os conflitos internos do(s) personagem(s). Todas as frases da obra são verdadeiras expressões poéticas.
A obra contém uma personagem principal, Patrícia, os outros poucos personagens compõem o cenário de conflitos externos de Patrícia. A narração é feita em primeira pessoa (adoro!) e o foco narrativo são os conflitos internos da personagem principal, uma temática perigosa pelas possibilidades do texto ficar maciço, cansativo e de difícil compreensão. Porém, a autora soube driblar as possibilidades de desastre e trouxe ao mundo uma obra genial.
A narrativa é truncada, com a presença de analepses. Os diálogos diretos foram empregados de forma diferente do habitual, dispensando travessões e aspas, dando ao leitor a intensa impressão de estar ali, dentro da cabeça da personagem. 


Páginas da obra de Patrícia Colmenero
O livro é minimalista e conta com elementos gráficos delicados que requerem atenção e, mais do que interpretação, imaginação para encaixá-los com o texto. As 202 páginas são bem diagramadas, assim como os diálogos, são diferentes do que se vê por aí. Algumas páginas contêm diálogos curtos, outros textos maiores e muitas contêm apenas uma frase de reflexão da personagem.


Elemento gráfico do livro "Porque Até a Morte Terei Fome"
Patrícia Colmenero, autora de “Porque Até a Morte Terei Fome”, tem 28 anos e sempre teve o dom tão aclamado da escrita. Escrevia peças na infância para crianças mais novas e com 15 anos seu dom poético saiu para o mundo. “Porque Até a Morte Terei Fome” é o seu primeiro grande romance publicado. É formada em Letras e especialista em Audiovisual pela Universidade de Brasília. Atualmente, Patrícia escreve roteiros para o cinema e está trabalhando em seu segundo romance.
          “Porque Até a Morte Terei Fome” é uma reflexão poética sobre a vida de uma mulher que anula sua vida para viver em prol de outra pessoa e, supostamente, perde tudo quando esta a deixa. Por ser muito rica tecnicamente, a experiência de ler um romance intimista deveria ser obrigatória para todos os que amam a leitura em geral. Eu recomendo a obra para todos, principalmente os amantes e simpatizantes de romance. Indico também até para os que não gostam de literatura, porque este livro é um amigo para aqueles que sofrem por amor. E disso ninguém está imune.




Bibliografia de Patrícia Colmenero 

Livros:
·         Porque Até a Morte Terei Fome, 2012.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!