Tecnologia do Blogger.

29/04/2016

Cine Academia #02: Mogli - O Menino Lobo

Olá, leitores da Academia! Hoje é dia de Cine Academia! Vamos falar de um filme lindo que estreou a poucas semanas no Brasil. Uma adaptação maravilhosa do clássico "Mogli - O Menino Lobo". Vamos conferir?



Filme: Mogli - O Menino Lobo
Direção: Jon Favreau
Duração: 
Lançamento: 14 de abril de 2016 
Classificação: Livre
Sinopse: Dirigido por Jon Favreau, baseado nas eternas histórias de Rudyard Kipling e inspirado no clássico longa de animação da Disney, Mogli - O Menino Lobo chega uma aventura épica inédita sobre Mogli, um menino criado por uma família de lobos. Mas Mogli sente que não é mais bem-vindo na floresta quando o temido tigre Shere Khan, que carrega cicatrizes causadas por caçadores, promete eliminar o que ele considera uma ameaça. Forçado a abandonar o único lar que conhece, Mogli embarca em uma cativante jornada de autoconhecimento, guiado pela pantera e mentora Baguera e pelo alegre urso Baloo. Pelo caminho, Mogli encontra criaturas da selva que não são exatamente bondosas, incluindo Kaa, uma cobra cuja voz sedutora e olhar penetrante hipnotizam o menino-lobo, e Rei Loiue, o nobre de fala mansa que tenta convencer Mogli a contar o segredo da ilusória flor vermelha mortal: o fogo.


História do filme
            Mogli (Mowgli no original) é um personagem do conto “O Livro da Selva”, do autor Rudyard Kipling. Na história, Mogli é uma criança selvagem que teria sido criado e alimentado por uma alcetéia de lobos. Quem já assistiu ao clássico da Disney (chamado de The Jungle Book nos Estados Unidos) lançado em 1967 deve saber que a história do garoto criado por lobos se passa na Índia. Mogli é um menino que aparentemente foi abandonado na selva e encontrado por uma pantera negra de nome Baguera. Este entrega o pequeno aos cuidados de uma alcateia de lobos, que o adota como membro legitimo. Porém Mogli com o passar do tempo sente que não pertence àquele local e é constantemente reprendido por seus parentes por usar seus “truques” (por conseguir usar ferramentas que ele mesmo constrói). Tudo piora quando a estiagem assola seu lar e a figura do perigoso e mortal Shere Khan aparece prometendo eliminar o garoto por considerá-lo uma ameaça ao mundo dos animais. Por conta da ameaça, Mogli decide por conta própria abandonar o único lar que conhece e partir em uma aventura cheia de perigos e descobertas.


Pontos Altos
              Acredito que o que me chamou atenção no filme logo de cara foi a computação gráfica. Visualmente falando o filme está maravilhoso. Não só a selva por onde Mogli caminha, que é belíssima, mas principalmente, os animais. Que são tão realistas que da para se perguntar se foram usados animais de verdade, pelos menos até eles abrirem a boca para falar. Ai é quando você percebe o trabalho magnífico feito no longa. Os animais foram fieis a seus originais, com exceção, acredito eu, do Rei Loiue, que se transformou em um símio gigante estilo King Kong e claro, a ambientação mais madura e realista deles.
             O ator que interpretou Mogli também mandou muito bem. Sendo uma criança, é bem natural que ele tenha curiosidade quando se depara com algo novo, que pergunte sobre tudo e constantemente desafie as ordens dos adultos. O realismo também está presente em Mogli que frequentemente aparece machucado, cheio de hematomas e cortes pelo corpo, embora em alguns momentos os ferimentos "sumam" em um claro erro de continuidade, mas são apenas pequenos detalhes frente a grandiosidade do filme.
Reparem nos cortes que Mogli exibe pelo corpo

             Outra coisa que gostei, mas creio que alguns pais por ai podem não ter gostado tanto assim: os animais estão muito mais perigosos que na versão da Disney e o humor meio pastelão da animação da lugar a uma linguagem um pouco mais pesada e cenas que remetem a violência. Algumas delas, inclusive, podem provocar alguns sustos (em dois momentos minha namorada pulou da cadeira). O vilão Shere Khan e a cobra Kaa, por exemplo, estão muito mais ameaçadores e assustadores, sendo os responsáveis pelos sustos na plateia. Sou meio suspeito para falar de animais perigosos, eu gosto da maioria deles… (coisa para outro post).
Quem pulou da cadeira nessa cena levanta a mão ai.
            Eu assisti a versão dublada. E elas estavam muito boas, não tenho do que reclamar, mas já me disseram que a dublagem original esta fabulosa. Também, com um time de estrelas como esse: Bill Murray (o urso Baloo) e Ben Kingsley (Bagheera) a Idris Elba (Shere Khan) e Christopher Walken (Rei Louie), fica difícil não querer ir no cinema de novo para ver com a dublagem original.

Pontos Fracos
         Não tenho quase nada o que reclamar desse filme. Apenas queria salientar a ausência dos abutres. Eu me recordo deles na animação (faz muitos anos que eu vi) e lembro do humor comico do quarteto que encontra Mogli e se refere a ele como “Monte de ossos esquisitos”.      


Conclusão
            Mogli é certamente um filme espetacular que trouxe a nostalgia do clássico da Disney para o público moderno. Como grande parte das animações da Disney, é um filme que deve ser visto por toda a família. Sai do cinema satisfeito com a animação e empolgado com as notícias que circulam pela internet de que outros filmes clássicos podem ganhar os mesmos tons de Mogli e que o próximo cotado possivelmente será “O Rei Leão”. Já até imagino como vai ser o Scar em versão CG.
             Vamos esperar para ver.

Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Oi!
    Quero muito assistir Mogli, já assistir a animação que gostei muito e me conquistou e quando vi o trailer dessa nova versão fiquei muito curiosa para poder assistir, com certeza deu para ver esse ar mais sombrio do filme o que achei interessante e concordo que acaba nos trazendo esse ar de nostalgia da infância, espero que fação o filme do O Rei Leão !!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!