Tecnologia do Blogger.

26/04/2016

RESENHA - Nove regras a ignorar antes de se apaixonar (Sarah MacLean)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: MACLEAN, Sarah. Nove regras a ignorar antes de se apaixonar. 1ª edição. São Paulo, Arqueiro, 2016. 384 páginas.
Gênero: Romance de Época.
Temas: Aristocracia. Romance. Inglaterra no século XVIII.
Categoria: Literatura Estrangeira.
Ano de lançamento: 2016.
Série: Nove regras a ignorar antes de se apaixonar (livro 1); Dez formas de fazer um coração se derreter (livro 2); Onze leis a cumprir na hora de seduzir (livro 3).








“Nick tinha razão: Callie queria amor. Gabriel soubera disso desde o início – ela não escondia sua crença no poder da emoção, sua fé inabalável nisso. Ele parou de tocar, imaginando como seria acreditar tanto no poder do amor em fazer o bem. Em trazer felicidade.”
*Nova regras a ignorar antes de se apaixonar (pág. 219).



Lady Calpúrnia Harwell só queria ser amada. A jovem, com 28 anos, já é declarada como uma solteirona para a sociedade londrina de 1823. Sonhadora, Callie – como prefere ser chamada – não se casou porque nunca fora tirada para dançar ou flertara com alguém que lhe chamasse a atenção. O dote da família Allendale era a única coisa que tornava Callie atraente para todos.
                Depois de anos se portando como uma incrível dama da sociedade, lady Calpúrnia se cansa de fazer tudo para agradar os que estão em volta. Certa de que irá passar o resto da vida como uma solteira que fica nos cantos dos salões de baile, Callie decide, então, experimentar tudo que um dia quisera. A moça cria uma lista com nove coisas que mais quer fazer – se descoberta em meio à aventura, a reputação de Callie estará arruinada.
                Gabriel, o marquês Ralston, é um pervertido que não se importa nem um pouco com o que a sociedade pense dele. Ele foi o único homem que deu atenção à Callie, há muitos anos, em uma única noite. Desde então, lady Calpúrnia não se esqueceu de Gabriel, apenas o guardou na sua mente como algo que nunca poderá ter; até que os ventos mudam e os dois voltam a se reencontrar. Em uma guerra de desejos, aventura e prazeres, Lady Calpúrnia e o marquês de Ralston se deparam com um sentimento arrebatador que mudará a vida de ambos.
“Nove regras a ignorar antes de se apaixonar” é um romance que precisa ser lido por todos. Antes de tudo, gostaria de explicar o nome extravagante da protagonista. A mãe de lady Calpúrnia a batizou assim em homenagem à terceira mulher de Júlio César, o famoso líder político romano. O nome incomum é explicado na obra como fruto do caráter singular da condessa Allendele, mãe de Callie.
Lady Calpúrnia é, na verdade, uma mulher que havia se perdido. A recatada e passiva Callie era o retrato do que todos esperavam que ela fosse – e o que, de fato, a jovem se tornou por comodidade e conveniência. Até que então (para a alegria dos leitores) Lady Calpúrnia se rebela e decide experimentar tudo o que moças não deveriam fazer. Callie então cria uma lista com nove itens escandalosos: Beijar alguém, apaixonadamente; Fumar charuto e beber uísque; Montar com as pernas abertas; Esgrimir; Assistir a um duelo; Disparar uma pistola; Jogar (em um clube para cavalheiros); Dançar todas as danças de um baile e ser considerar linda, pelo menos uma vez.

Os nove itens listados por Calpúrnia


A lista é a melhor coisa que Callie poderia fazer para recuperar a autoestima. As cenas em que esta cumpre os itens – nem sempre de forma como pensara em princípio – são hilárias. Coincidentemente, Gabriel sempre estava presente, antes mesmo de fazer parte efetiva das aventuras de Lady Calpúrnia. Acredito que a autora pecou neste ponto, pois as intervenções do marquês são forçadas e a protagonista poderia viver algumas aventuras por si só. No entanto, tenho que admitir que o reaparecimento de Gabriel contribui para que as cenas se tornassem cômicas ao invés de trágicas, algo que certamente aconteceria caso Callie fosse pega.
Em princípio, Anne, a fiel criada de Callie, é quem a ajuda a cumprir os desejos da jovem. Sarah MacLean não poderia ter produzido uma personagem mais simpática, perspicaz e a perfeita imagem da ternura. Mesmo diante de fatos horríveis, Callie se mantém intacta e se preocupa mais com os outros do que consigo.
O relacionamento entre o marquês de Ralston e Lady Calpúrnia não é diferente de outros apresentados em romances de época, porém, não é totalmente um clichê. Gabriel é um homem muito machucado por guardar a mágoa da traição e do abandono da mãe e, desde o início, não promete amor à Callie. A moça, por sua vez, é leitora assídua de romances clássicos e acredita que, sem amor, não há nada que sustente uma vida a dois. A autora soube formá-los como um casal com maestria e bem próximo ao que vemos na vida real. Os dois, mais do que amantes, são parceiros, e é isso que destaca a obra.
Outros personagens são fundamentais para os desenrolar da trama. Juliana, a recém reconhecida meia-irmã de Gabriel e do irmão gêmeo Nicholas é a linha que liga Lady Calpúrnia ao marquês. A moça, filha da mãe dos gêmeos com um italiano, precisa ser apresentada a sociedade e Callie é a escolhida para “amadrinhar” Juliana. A italiana é encantadora e logo constrói sólida amizade com Callie e a irmã desta, Lady Mariana. Com uma beleza exuberante, diferentemente de Callie, Mariana chama a atenção de todos. O mais extraordinário é que a irmã mais velha não se importa nem um pouco com isso.
                A trama de “Nove regras a ignorar antes de se apaixonar” se passa em 374 páginas divididas em vinte e quatro capítulos e um epílogo. A obra é narrada em terceira pessoa por um narrador onisciente e, algumas vezes, há intervenções dos pensamentos de personagens, destacados em texto em itálico. O foco narrativo se restringe à evolução do romance de Lady Calpúrnia com o marquês de Ralston. O enredo inicia com o primeiro encontro dos dois, em 1813, e logo se passam dez anos; a partir daí, o livro não possui mais analepses e segue com a relação temporal linear. O título de Sarah MacLean não possui características gráficas marcantes, o que é comum nos romances de época publicados pela editora Arqueiro.
Aos 37 anos, Sarah MacLean é colunista do jornal estadunidense The Washington Post. Ela é formada pela Smith College e pela Universidade de Harvard. Com romances traduzidos para 20 idiomas, a autora já venceu o prêmio RITA de romances de época.
“Nove regras a ignorar antes de se apaixonar” é um livro surpreendente. A fé inabalável de Callie pelo amor é uma lição para todos nós, desiludidos ao passar dos anos pelos acontecimentos marcantes da vida. Eu recomendo para todos, sejam amantes de romances ou não, o primeiro livro da série “Os números do amor” porque ele ultrapassa o limite de literatura por entretenimento – o livro é uma perfeita obra didática de como continuar acreditando nas pessoas, independente do que estas façam.



Bibliografia de SARAH MACLEAN (ordem cronológica):

Livros:
·         Entre a culpa e o desejo – Gutenberg (2015).
·         Entre o amor e a vingança – Gutenberg (2015).
·         Nunca julgue uma dama pela aparência – Gutenberg (2015)
·         Entre a ruína e a paixão – Gutenberg (2016).

·         Nove regras a ignorar antes de se apaixonar – Arqueiro (2016).
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Ahhh, como quero ler esse lindo! Já fiquei ansiosa por ele por causa do gênero e ver que é bom é ainda melhor, porque parece ser daqueles livros que mesmo que tenha um clichê ali são inesquecíveis pela linda história. Tem umas lições muito bonitas ali, gostei disso nele.
    E obrigado por explicar o nome da garota! Não tinha visto isso em nenhuma resenha ainda e me perguntava se era algum nome histórico ou de livro e tal, porque é bem diferente. Legal saber. Agora é aguardar pra poder ver mais quando ler o livro. Torcendo pra lançarem mais da série rapidinho =)

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cristiane! Essa história é, realmente, inesquecível. É importante explicar um nome que é tão difícil de até pronunciar! haha. Estou muito ansiosa pelos próximos livros também.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Quero muito ler esse livro, gosto muito dos romances de época e a tenho alguns livros da Sarah MacLean na minha lista de leitura e esse com certeza está dentro dos livros que quero ler, gostei muito da historia principalmente da ideia da lista que para aquela sociedade deveria mesmo ser bem escandaloso e gostei desse casal e dessa cumplicidade entre eles!!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!