Tecnologia do Blogger.

03/05/2016

RESENHA - O Amante (Jodi Ellen Malpas)

ATENÇÃO!
A obra resenhada apresenta cenas eróticas. Leitura não recomendada para menores de 18 anos.


Ficha técnica:
Referência bibliográfica: MALPAS, Jodi Ellen. O Amante – This Man. 1ª edição. São Paulo, Essência, 2014. 424 páginas. Tradução: Viviane Pires de Araújo.
Gênero: Erotismo
Temas: Romance, Bad Boy, Hot
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura Inglesa
Ano de lançamento: 2012 na Inglaterra e 2014 no Brasil
Série: O Amante (Livro 1); Eu, Submissa (Livro 2); Desculpa, Eu Te Amo (Livro 3)










 “Não vou soltar você – ele murmura sombriamente. Se soltar, você pode esquecer como é. Você pode mudar de ideia.”
O Amante – Livro 1. (posição 1442 de 6.398 - E-book via Amazon)

 Ava O’Shea é uma talentosa designer de interiores da empresa Rococo Union. Apesar da pouca idade, 26 anos, ela se tornou bem-sucedida nesse ramo com muito trabalho e dedicação.
É bom comentar aqui que a empresa em que ela trabalha se divide em dois estilos de decoração, sendo o moderno – casas localizadas na cidade, pelas quais Ava e Victoria são responsáveis, e o tradicional – normalmente casas localizadas no campo, que ficam por conta de Tom e do chefe Patrick.
Ela mora, de forma provisória, com sua melhor amiga, Kate, dona de uma confeitaria. Antes disso, ela morava com seu então namorado (agora ex), Matt. Kate é aquela típica amiga para todas as horas. É linda, inteligente, super companheira e dona de uma Kombi chamada Margô, cor de rosa que tem 20 anos. E espero que no futuro Jodi escreva um livro só para ela, pois a ruivinha merece.
Por conta do seu trabalho no luxuoso prédio “Lusso”, voltado para pessoas muito ricas (um apartamento básico custava 3 milhões), ela foi convidada a visitar “O Solar”, um hotel localizado no interior da cidade.
Inicialmente ela estranhou, já que não era o seu estilo de decoração, mas como o hotel solicitou sua presença ela foi lá para fazer o briefing do projeto.  Como não podemos julgar um livro pela capa, ela logo imaginou que o proprietário seria um senhor, metido, gordo, fumante de charuto e de casaco impermeável. Mas ela se enganou completamente, pois o nosso mocinho é o irresistível Sr. Jesse Ward, vulgo Senhor do Solar.
Como um típico mocinho, ele é muito alto, loiro, olhos verdes-musgo... ok, parei de falar, ele é lindo de morrer.
No decorrer da visita ao hotel, ela conhece Sarah – assistente de Jesse, mas que se comporta como namorada –, Sam e Drew, amigos de Jesse.
É nítido que, logo de início, surgiu uma química muito forte entre eles. E é tanta que a nossa protagonista tenta fugir de todas as formas dele, inclusive cogitando passar o novo projeto para Tom ou Patrick.
Nesse quesito Jodi tem que ser parabenizada, pois o que vemos em muitos livros por aí é que a mocinha sempre se rende de primeira. Não é o caso de Ava, que, no início, não quer se envolver em um relacionamento com um homem que ela acha estar comprometido. E tenta escapar de todas as investidas, nada discretas, do Sr. Ward.
A trama gira tanto tempo entre a Ava fugindo e ele correndo atrás, que em certo ponto chega a ser cansativo. O tempo todo ela questiona o passado dele e, principalmente, sua idade, mas ele não dá nenhuma pista, o que nos deixa sempre com uma pulga atrás da orelha.
Apesar de ele ser gentil, carinhoso e apaixonado (só a Ava que não percebeu), ele demonstra muito ciúme. E, nesse ponto, acredito que ela deveria ter sido mais incisiva no que queria fazer.  
No decorrer da história senti que, apesar da idade, os dois demonstraram muita imaturidade.
O livro em si é muito bom, tirando a parte deles não conversarem mais sobre o que acontece entre eles, com o que sentem e o que querem.
Apesar da trama ser diferente, ela lembra muito o livro “Cinquenta tons de cinza (E. L. James)”. Nesse primeiro livro teve muitas cenas de sexo, mas nenhuma com BDSM. Então, se você não curte sadomasoquismo, recomendo muito.
O livro é narrado em primeira pessoa pela protagonista da trama, Ava O’Shea, de uma forma linear cronológica. Composto por 34 capítulos, sendo que um, no final, é um capítulo bônus com o ponto de vista do Jesse – sobre um dos encontros que eles tiveram. 
  Jodi Ellen Malpas trabalhou para o pai, em tempo integral, no ramo de construções, ela tentou ignorar a vontade de escrever O amante por muito tempo, até que foi impossível. Jodi aproveitou a coragem e a oportunidade para autopublicar o livro na internet e provocou incríveis reações em mulheres do mundo todo.
Após o sucesso, a autora decidiu largar o emprego e se dedicar à nova e inesperada carreira de escritora, fazendo com que seus livros fossem publicados em vários países.
Jodi nasceu e foi criada na Inglaterra, na cidade de Northampton, onde viveu com a família.
 Por fim, gostaria de dizer que, infelizmente, tive um problema com o livro (não sei se foi um problema só na minha versão do livro, em formato e-pub, do Kindle - Amazon), mas um dos capítulos foi invertido, ou seja, entre o capítulo 8 e 9 foi inserido o capítulo 14. O que prejudicou a leitura, pois estava em uma narrativa e de repente mudou para outra, o que me deixou bastante confusa para entender o que tinha acontecido. Mas, tirando isso, o texto fluiu tranquilamente. Encontrei poucos erros de português, que não prejudicaram em nada a interpretação textual.
Confesso que não estava empolgada para ler a sequência, mas no final Jodi Ellen me deixou completamente curiosa para saber o desenrolar dessa história, pois tiveram alguns pontos que ficaram abertos, talvez para você entrar no mar da curiosidade. Mas, o que mais me arrebatou foi querer saber o que vai acontecer com a descoberta que a Ava faz, já no final do livro, lógico, sobre Jesse.

©Megan Laurie/LSL Photografy Ltd.
  
Bibliografia de Jodi Ellen MALPAS (ordem cronológica):


Livros:

  • O amante – Essência (2014)
  • Eu, submissa - Essência (2014)
  • Desculpa, eu te amo - Essência (2015)
Top Comentarista nº1: Clique para participar
Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Parece interessante. Mas esse gênero...não rola mais pra mim. Fujo disso até não poder mais.
    Pra quem curte e quer um com menos intensidade, nada de sadomasoquismo e tal deve ser uma boa dica. Ele tem um jeito de ser mais leve e bom de ler. Só não é pra mim mesmo =/

    ResponderExcluir
  2. Oi Cristiane, confesso que também ando um pouco cansada dessa temática.
    Você gosta mais de qual estilo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Romance de época/histórico e etc é o que mais me agrada. Mas gosto de tudo, no geral se a história chamar atenção eu leio. Só que esse tema aí acho que já li até demais da conta xD

      Excluir
  3. Oi Cristiane, também amo romances históricos. ;)

    ResponderExcluir
  4. Olá. Muito boa sua resenha, como sempre. Mas não é muito meu estilo de leitura. Gosto de ler de tudo um pouco, dependendo do momento. Mas prefiro suspense, policial, fantasia, distopia e romances de época. Mas como disse, leio qualquer gênero, desde que a sinopse me atraia e as resenhas me deixem com vontade de conhecer melhora a obra em questão. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Márcia, também gosto de ler de tudo um pouco ;)

      Excluir

Deixe o seu comentário!