Tecnologia do Blogger.

07/01/2017

RESENHA - LAVA JATO (VLADIMIR NETTO)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: NETTO, Vladimir. Lava Jato: o juiz Sérgio Moro e os bastidores da operação que abalou o Brasil. 1ª edição. Rio de Janeiro, Primeira Pessoa - Selo da Editora Sextante, 2016. 384 páginas.
Gênero: Policial. Livro-reportagem.
Temas: Lava Jato. Investigação policial. Política brasileira contemporânea. Corrupção.
Categoria: Literatura brasileira.
Ano de lançamento: 2016.









“Não foi a primeira, nem será a última operação contra a corrupção, mas, a partir dela, ficará difícil repetir com a mesma tranquilidade um esquema de roubo aos cofres de uma estatal. E não foi uma empresa qualquer, foi a maior delas. A Petrobras perdeu valor de mercado, teve troca de diretoria, ficou meses sem balanço auditado, perdeu o grau de investimento, teve um prejuízo recorde. A operação ajudou a estancar a retirada de recursos em cada contrato da empresa, por isso não pode ser acusada pelos problemas atuais. Pelo contrário. A fragilidade financeira da Petrobras foi resultado dos crimes desvendados. A Lava Jato é, na verdade, a possibilidade de recuperação da empresa.”
*Lava Jato (pág. 277).

Narrando os principais fatos da operação Lava Jato desde o início, em março de 2014, Vladimir Netto compila dados importantes da investigação que revelou a grande cadeia de corrupção dentro da Petrobras, a maior estatal do Brasil. Detalhes não contados em inúmeras reportagens sobre as mais de 30 fases da Lava Jato, em dois anos, podem ser encontrados nesta obra.
Com o juiz Sérgio Moro, de Curitiba, no centro dos acontecimentos que envolvem também o Supremo Tribunal Federal, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal, Vladimir Netto conta com riquíssimos detalhes o desenrolar dos fatos da operação. A leitura deste livro é, sem dúvida, muito difícil – são muitos personagens envolvidos no esquema complexo de corrupção, dos quais vários são presos e resolvem colaborar com a Justiça por meio de polêmicas delações.
Fica exposta a admiração do autor pelo juiz que julga a maioria dos processos elucidados pela investigação. No início do livro, Vladimir faz um perfil de Sérgio Moro, inclusive contando como ele conheceu a esposa, Rosângela, que foi aluna dele em uma universidade.
Muito discreto, chegava pontualmente às 10h e saía às 19h. Não conversava sobre a vida pessoal dos servidores, não fazia piadas. Almoçava no restaurante do tribunal em 20 minutos e voltava ao trabalho. Era um chefe justo e eficiente e logo se tornou uma das pessoas no gabinete com maior acesso à ministra [Rosa Weber]. Ela gostava de conversar com ele.” *Lava Jato (pág. 30).
Fica claro que Vladimir teve informações privilegiadas, com ricos detalhes de encontros de bastidores da operação, como uma conversa informal entre procuradores, em um hotel no Ceará, antes de um evento. Há, também, detalhes sobre a prisão de Delcídio do Amaral – este, inclusive, concedeu entrevista exclusiva ao autor.

Vladimir encerra os fatos com o suposto envolvimento do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, do PT – mais precisamente, suspeito de ser o cabeça de tudo, segundo os investigadores. Há, também, o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, que, na época, havia sido afastada pelo Senado.
O que o país fará com o resultado do trabalho do juiz Sérgio Moro, dos procuradores da República e dos policiais federais ainda não está definido. A Lava Jato é uma oportunidade para se elevar a qualidade de nossa democracia. As mudanças podem acontecer ou não. A escolha está nas mãos dos brasileiros.” *Lava Jato (pág. 376).
Demorei cerca de três meses para finalizar o livro de quase 400 páginas não pela extensão, mas pela complexidade dos dados e pela forma que estes são colocados nos capítulos. Apesar de fazer uma narrativa leve, com linguagem simples, o autor enrola os acontecimentos e não os faz por ordem cronológica. É, porém, uma obra riquíssima pelos pormenores, que nos oferece a oportunidade de entender, de uma só vez, o que é essa megaoperação da força-tarefa da Lava Jato.
Um livro-reportagem é, na verdade, uma grande reportagem em formato de livro, ou seja, dividida em capítulos e com um grande volume de páginas. No caso da Lava Jato, o autor extrapola os limites da imparcialidade – o “norte” do trabalho jornalístico – e até expõe suas opiniões e faz interferências durante o texto, como um narrador onisciente. A relação temporal é truncada, ligando os fatos ao aparecimento de novos personagens na história: ou seja, assim que surge uma nova pessoa, o autor conta como ela se envolveu em acontecimentos já retratados no livro, o que dá um certo nó na cabeça do leitor.
O livro foi muito bem revisado e a formatação é simples, com os nomes dos capítulos em páginas ímpares e o do livro nas pares. A obra é dividida em 12 capítulos, cada um contendo vários intertítulos para dar respiro ao texto que, por muitas vezes, se torna cansativo. Há imagens soltas no meio do texto: algumas de prisões de empresários, como o ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e outras de fatos relacionados à operação, como a manifestação de 13 de março, na qual os manifestantes pediam a saída da então presidente Dilma Rousseff.
Vladimir Netto produziu o livro Lava Jato durante 17 meses – de janeiro de 2015 a maio de 2016, com a ajuda de amigos e fontes que facilitaram a apuração de informações, inclusive algumas privilegiadas. Ele é repórter da TV Globo e vice-presidente da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo). Formado em jornalismo pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), já trabalhou no Jornal do Brasil, Veja e O Globo. Nos últimos anos, recebeu vários prêmios, como o Embrapa de Reportagem, em 2008. Vladimir é filho dos jornalistas Miriam Leitão e Marcelo Netto.
Para quem não conseguiu acompanhar a gama de notícias sobre a operação e os complicados fatos que se enrolavam a cada descoberta, o livro-reportagem é uma ótima dica. Apesar de ser publicado antes de novos polêmicos acontecimentos na operação, como a prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, em outubro deste ano, a obra nos expõe os dois primeiros anos de investigação. Esse livro é recomendado para todos, afinal, a operação abalou a estrutura política partidária do Brasil.



Bibliografia de VLADIMIR NETTO (ordem cronológica):

Livros:
  •  Lava Jato: o juiz Sérgio Moro e os bastidores da operação que abalou o Brasil – Primeira Pessoa (2016).


Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Isadora!
    Desde o lançamento do livro que quero demais ler junto com o maridão, porque ele é fissurado na política de nosso país e somos fãs do Moro e de seu pulso forte.
    Quero saber os 'podres' dos bastidores e de forma embasada.
    “O silêncio é de ouro e muitas vezes é resposta.” (Sabedoria popular)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Rudy!

    Leia mesmo! Esse é um bom livro para aprofundar o conhecimento sobre as mudanças políticas oriundas da operação. Mas, lembre-se: mantenha o senso crítico durante a leitura.

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!