Tecnologia do Blogger.

11/03/2017

RESENHA – E viveram felizes para sempre (Julia Quinn)

Julia Quinn
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: QUINN, Julia. E viveram felizes para sempre – série “Os Bridgertons”. 1ª edição. São Paulo, Arqueiro, 2016. 256 páginas. Tradução: Viviane Diniz.
Gênero: Romance histórico
Temas: família, segundos epílogos
Categoria: Literatura Estrangeira, Literatura Americana
Ano de lançamento: 2006 nos Estados Unidos da América e 2016 no Brasil
Série: O Duque e Eu (Livro 1), O Visconde que me amava (Livro 2), e Um perfeito cavalheiro (Livro 3), Os segredos de Colin Bridgerton (Livro 4), Para SirPhillip, Com Amor (Livro 5), O Conde Enfeitiçado (Livro 6), Um Beijo Inesquecível (Livro 7), A Caminho do Altar (Livro 8) e E Viveram Felizes para Sempre (Livro 9).




“Você pode me amar mais, mas vou amá-la melhor.”.
E viveram felizes para sempre – Livro 9. (pág. 233)

Leitores, este livro finaliza a série “Bridgerton”, e a autora nos concedeu a possibilidade de revisitar todos os personagens da série. Ela criou um segundo epílogo para cada irmão Bridgerton, e um conto sobre a história da Violet (matriarca da família) com o seu falecido marido, Edmund.
          Após terminar a leitura deste livro, confesso que fiquei matutando a melhor forma de escrever essa resenha para vocês, pois corria o risco de falar muito mais que o necessário. Então resolvi falar brevemente sobre cada epílogo.

Julia Quinn

         Gostei bastante de reviver todos personagens, alguns mais que outros, principalmente a Daphne, que foi o primeiro livro da série e eu já havia me esquecido do quanto ela e o Simon eram legais. Adorei ver o que aconteceu com a saga da Hyacinth e fiquei bastante apreensiva com a última gravidez da Lucy, que até me bateu uma aflição no coração. Mas, de todos o que eu amei foi a Violet e Edmund. Inclusive, a história mexeu tanto comigo que me peguei em vários momentos pensando no que eu faria no lugar dela. Não sei se eu seria tão corajosa quanto ela.
       Os epílogos se passam em momentos diferentes, então, não se espantem se os tempos não se encaixarem. Então, vamos começar:

  • O Duque e eu (Daphne e Simon): esse livro terminou com a Daphne entregando as cartas do pai do Simon, duque de Hastings, para ele decidir se as leria ou as jogaria fora. Porém, o duque nunca se sentiu confortável em lê-las, então decidiu guardá-las. Todavia, um problema na família que o faz ter a necessidade de lê-las. A grande questão é: o que será que o pai do nosso duque favorito deixou escrito para ele? Lógico que não contarei aqui (rsrsr).
  • O Visconde que me amava (Kate e Anthony): no livro deles foi possível perceber o quão competitivos esses dois eram, principalmente depois que a Kate passou a jogar com a família Bridgerton o jogo Pall Mall, uma versão de críquete do século XIX. Eles jogavam todo ano, e sempre um queria a revanche sobre o outro. O mais engraçado eram as estratégias para ganhar. Confesso que me diverti muito com esse casal.
  • Um perfeito cavalheiro (Sophia e Benedict): não sei se vocês sabem, mas o livro “Um perfeito cavalheiro” foi a homenagem da autora à princesa Cinderela. Como ela é uma das minhas princesas favoritas, então, nada mais justo que o livro também fosse um dos meus favoritos da série. Porém, no epílogo extra a autora resolveu focar no final feliz da Posy, meia-irmã da Sophia. Admito que fiquei um pouquinho triste por não saber mais sobre esse casal. Contudo, conhecer um pouco mais sobre a Posy foi legal.
  • Os segredos de Colin Bridgerton (Penelope e Colin): no livro que conta a história da Eloisa (Para Sir Phillip, com amor), mostra quando ela sai escondida de uma festa para ir conhecer o Sir Phillip. Porém, o momento em que ela saiu foi justamente quando a Penelope revelou seu grande segredo, que ela era a Lady Whistledown (uma “jornalista” que sempre revelava escândalos para toda a sociedade londrina). Desta forma, esse epílogo conta a “saia justa” que a Penelope passou ao ter que revelar esse segredo para a sua melhor amiga. Adorei esse epílogo, foi bem divertido.
  • Para Sir Phillip, com amor (Eloise e Phillip): neste epílogo a autora resolveu mudar um pouco, pois foi o único que ela escreveu em primeira pessoa e sob a perspectiva da Amanda, enteada da Eloise, quando a garota já estava adulta. Foi muito bom conhecer a Amanda, inclusive, acredito que ela deveria ter um livro só para ela, pois o epílogo foi muito pouco.
  • O conde enfeitiçado (Francesca e Michael): a Francesca sempre quis ter um filho. Tanto que o casamento dela com o Michael resultou na vontade dela de engravidar. Todavia, ela nunca conseguiu, por isso, a autora resolveu responder as perguntas dos leitores, se ela engravidaria ou não. Obviamente, não contarei aqui o que o destino reservou para eles.
  • Um beijo inesquecível (Hyacinth e Gareth): o livro deles termina com uma grande interrogação, será que a Hyacinth alguma vez conseguiria encontrar as joias? Até eu fiquei com uma “pulga” atrás da orelha. Aqui, a Julia Quinn vai trabalhar essa questão das joias, porém, o que eu achei mais legal foi como a nossa personagem lidava com sua filha Isabella, que tinha uma personalidade bem parecida com a dela. Diverti-me bastante com esse epílogo.
  • A caminho do altar (Lucy e Gregory): esse foi o epílogo que mais deixou meu coração apreensivo, tanto que nem vou comentar muito aqui. Sofri junto com o Gregory com o que acontece com a Lucy.
  • O florescer de Violet (Violet e Edmund): nossa, como suspirei nesse conto! Por favor, Julia Quinn, eu quero um livro sobre esse casal, mesmo sabendo do final trágico deles nos outros livros. O conto se inicia quando a Violet tinha apenas 8 anos e Edmund 10 anos. Eles se conheceram quando ele visitava os vizinhos dela. Foi muito fofo, sério! Todavia, não quero comentar mais aqui para não estragar a história deles para vocês.
  • Os Bridgertons
A Julia Quinn, autora do livro, começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons. É formada pelas universidades Harvard e Radcliffe. Seus livros já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times e foram traduzidos para 26 idiomas. Foi a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, e atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico.
Por fim, o meu próximo passo será a leitura completa da série “Quarteto Smythe-Smith”, dessa mesma autora, composta por quatro livros já lançados aqui no Brasil pela editora Arqueiro.

E viveram felizes para sempre

Bibliografia da JULIA QUINN (ordem cronológica):
Livros:
  • O Duque e Eu – Arqueiro (2013)
  • O Visconde que me amava – Arqueiro (2013)
  • Um perfeito cavalheiro - Arqueiro (2014)
  • Os segredos de Colin Bridgerton – Arqueiro (2014)
  • Para Sir Phillip, Com Amor – Arqueiro (2015)
  • O Conde Enfeitiçado – Arqueiro (2015)
  • Um Beijo Inesquecível – Arqueiro (2016)
  • A Caminho do Altar – Arqueiro (2016)
  • E Viveram Felizes para Sempre – Arqueiro (2016)
  • Simplesmente o paraíso – Arqueiro (2017)
  • Uma noite como esta – Arqueiro (2017)
  • A soma de todos os beijos – Arqueiro (2017)
  • Os mistérios de sir Richard – Arqueiro (2017)

Top Comentarista n°12: clique para participar

Comentários
8 Comentários

8 comentários:

  1. Oi Gabi,
    Já estou começando a ficar com vergonha de dizer que tenho os primeiros 3 livros da série, mas ainda não li, mas lerei. Agora, Felizes para sempre, foi uma ideia genial da Julia Quinn, pois os leitores da série poderão conhecer a matriarca da família e ainda ter um pouquinho mais de cada casal apresentado nos livros anteriores. Eu, como uma adoradora de epílogos tenho certeza de que irei apreciar muito esta leitura!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gislaine, os três primeiros livros são os melhores da série, na realidade a série toda foi ótima ;)

      Excluir
  2. Sou completamente apaixonada por essa série. Julia Quinn me conquistou desde o primeiro livro.
    Amo romances de época e esse já está na minha listinha de desejados.
    Ter a oportunidade de rever a história de todos nesse livro é animador.
    Espero ler em breve. Sua resenha me deixou ainda mais curiosa :)
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Caroline, se você gostou da série, acredito que gostará deste livro ;)

      Excluir
  3. Oi Gabi.
    Sou louca por está série e estou ansiosa para ler esse último livro já que os outros já tenho.
    Adorei que separou os contou e contou um pouco sobre os personagens, também fiquei com essa pulga no sétimo livro e estou louca pelas respostas.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Gabi!
    Lindo ver uma série terminar a contento e trazendo vários contos com finais felizes, inclusive a da matriarca da família que merecia mesmo destaque, porque através dela que tudo se gerou.
    “Ouse saber!(Sapere aude)” (Immanuel Kant)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!