Tecnologia do Blogger.

20/05/2017

RESENHA – Raio de Sol (Kim Holden)

Kim Holden
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: HOLDEN, Kim. Raio de Sol. 1ª edição. São Paulo, editora Planeta, 2016. 443 páginas. Tradução: Regiane Winarski
Gênero: Ficção, Romance, New Adult
Temas: faculdade, doenças, amizade
Categoria: Literatura Estrangeira
Ano de lançamento: 2014 no exterior e 2016 no Brasil
Série: Raio de Sol (Livro 1)


“Você me disse para fazer épico. Eu tento. Você conseguiu. Você fez todos os dias épicos.”
Raio de Sol – Livro 1 (posição 6.646 - E-book via Amazon)



Leitores, confesso que antes de iniciar a leitura deste livro eu julguei (ok, podem me criticar!) o título dele. Pensei: “nossa, a personagem “Raio de Sol” deve ser um porre de tão doce”. Porém, admito que me surpreendeu, e muito, este livro.
Aqui vamos conhecer a Kate Sedgwick, uma garota simples e que tenta sempre ver o lado bom das coisas. Mas não se enganem, como eu. Ela não tem nada de coitadinha ou sem graça. Inclusive, ela fala muito palavrão. A mãe dela, Janice, tinha problemas psicológicos e não deu muita atenção para ela e sua irmã mais velha, Grace, que tinha Síndrome de Down. Por conta disso, a Kate assumiu a responsabilidade de cuidar da irmã.
O Gus Hawthorne era vizinho da Kate e o seu melhor amigo, desde a infância. Foi ele quem apelidou a Kate de “Raio de Sol”. Já a Audrey, mãe do Gus, sempre tratou as irmãs como se fossem também membros da família, por conta da convivência delas com o filho.
           A história começa com a separação física dos dois amigos. Haja vista que o Gus tinha uma banda de rock, Rook, que entraria em uma turnê. Já a Kate conseguiu uma bolsa de estudos em uma faculdade que ficava distante da cidade deles.
          Confesso que nunca torci tanto para que a mocinha ficasse com o melhor amigo. O Gus é simplesmente demais, o melhor cara para se ter como amigo, namorado, parceiro...
           Antes de chegar à cidade, ela precisou se hospedar com a vaca  irmã da sua mãe, Maddie. Elas não se conheciam muito bem, tendo em vista que a Kate só soube da existência da tia no enterro do avô. Nem vou perder muito tempo aqui falando sobre ela, pois a mulher era muito tosca, uma das mais egoístas e narcisistas que eu já conheci.
            A Kate fez algumas amizades na faculdade, entre elas com o Clayton, que sofreu preconceito, por alguns membros da faculdade, por ser gay. Não posso deixar de comentar aqui sobre o Keller Banks, um cara que além de lindo era misterioso. No primeiro momento em que os dois se conheceram eles sentiram uma atração. Todavia, ele não estava disposto a se envolver, por guardar alguns segredos que não queria revelar.
         Queridos leitores, não posso mais contar sobre o livro. Contudo, é uma leitura muito bacana. Não vou mentir, o final do livro me fez derramar algumas gotinhas de lágrimas. Em vários momentos eu pensei: “Será que a autora vai ter coragem de fazer? Como pode?”.
          A autora do livro, Kim Holden, estreou na literatura em 2013, com o romance juvenil “All of it”, e conquistou milhares de fãs com Raio de Sol, publicado nos Estados Unidos da América em 2014 sob o título “Bright Side”. Casada e mãe de um garoto, mora em Denver, no Colorado. Adora andar de bicicleta e é apaixonada por café gelado e música. Seus livros têm influências de bandas como The Cure, Sunset Sons e Teenage Bottlerocket. Para saber mais sobre a autora, clique aqui.
O livro foi narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista da Kate e do Keller. Os capítulos se iniciam com datas, para situar o leitor na cronologia da história.
Gostei do livro, pois ele abordou várias questões (homofobia, bulimia, aborto...) que nos levam a refletir mais sobre a vida. Estou ansiosa para ler a continuação, lançada no exterior em 2015, que contará a história do Gus, um dos meus personagens favoritos.
Bibliografia da KIM HOLDEN (ordem cronológica):
Kim Holden

Livros:

  • Raio de Sol – Planeta (2016)
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Gabi!
    Estou com o livro aqui para leitura, e pelo visto, terei de passar na frente dos outros, porque o enredo é bem do jeito que gosto com dramas e superação, sem contar que os assuntos abordados são bem atuais e merecem ser discutidos.
    Valeu pela análise.
    “A solidão é a mãe da sabedoria.” (Laurence Sterne)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rudy, pode preparar o lencinho, pois vão cair muitos ciscos nos seus olhos :)

      Excluir

Deixe o seu comentário!