Tecnologia do Blogger.

08/09/2013

FANFIC - Anything Could Happen - Capitulo 2


Título: Anything Could Happen
Capitulo: 2 - And I don’t think I need you.
Classificação: 18+
Gênero: Romance, Ação, Drama, Fantasia.
Original: Teen Wolf
Aviso: Homossexualidade


Sinopse: Antes de morrer, Jennifer lança uma maldição sobre Derek, dizendo que a mesma só chegaria ao fim, quando o lobo fizesse alguém de coração puro se apaixonar por ele. Mas o tempo de Derek estava correndo, ele só teria até a quinta lua cheia, ou se transformaria permanentemente em uma besta horrenda, esquecendo-se completamente de quem ele é e dos que lhe são importantes.

Anything Could Happen

And I don’t think I need you.


Stiles passou a visitar Derek com frequência, sempre querendo saber o que o mais velho tinha, mas ele não falava. O garoto então decidiu ficar com Derek no apartamento do mesmo, para ajudar Cora no que precisasse. Seu pai de início foi contra, depois de tudo o que havia passado nas mãos de Jennifer, com Melissa e Chris, mas o garoto insistiu e alegou que podia ajudar melhor estando perto, que Cora não conseguiria aguentar tudo sozinha e John acabou concordando que seu filho fosse passar uns tempos no apartamento de Derek.

O Stilinski estava hospedado com Derek e Cora fazia duas semanas, e não havia um minuto sequer que o garoto e o mais velho não estivessem brigando. Stiles continuava insistindo para saber o que Derek tinha e ele não contava.

- Ah, qual é, Derek! – disse Stiles – Diga logo, o que você tem?

- Eu já disse que não, Stiles! – respondeu Derek – Pare de insistir.

- Não mesmo! – disse Stiles novamente – Não vou parar até descobrir o que você tem.
- E se eu arrancar a sua cabeça? – perguntou Derek com raiva.
O lobo sentiu o cheiro de medo exalando do menor e começou a rir em tom de deboche.
- Você não faria isso. – respondeu Stiles.
- Quer pagar pra ver? – Derek fez um esforço para se aproximar do garoto, mas começou a se sentir mal.
- Já chega! – disse Cora – Derek pare de agir feito um idiota! Stiles, você vem comigo.
Cora puxou Stiles pela camiseta e o levou até o outro cômodo, deixando Derek sozinho no quarto.
- Como alguém consegue aguentar ele? – perguntou Stiles cansado.
- Não aguenta, esse é o problema! – respondeu Cora.
- Mas o que custa dizer o que ele tem? – perguntou o garoto novamente – Será que ele não percebe que todos só queremos ajudá-lo?
Cora olhou para o Stilinski e respirou fundo. Ela sabia o que o irmão tinha, mas havia jurado que não contaria para ninguém. Mas Stiles tinha razão, como Derek queria quebrar o feitiço, sendo que ele não compartilhava isso com ninguém? Os garotos queriam ajudá-lo, mas ele era sempre rabugento, afugentando todos eles. Ela realmente não sabia o que fazer, e não queria perder seu irmão, afinal, eles já ficaram tanto tempo afastados.
- Olha, a única coisa que posso dizer é que Derek foi amaldiçoado. – começou Cora – Ele tem até a quinta lua cheia para reverter isso, senão ele se transformará permanentemente na besta. Se ele não conseguir desfazer o feitiço até lá, irá se tornar um monstro horrendo e não se lembrará de quem ele é.
Stiles, mesmo já tendo passado por tudo o que passou, não conseguia acreditar no que a garota estava lhe dizendo. Seu ceticismo só o fazia pensar que a mesma estava fazendo piada à custa dele.
- Sério Cora? Isso é o melhor que você consegue? – perguntou ele.
- Eu estou falando a verdade, Stiles! – disse a garota, séria.
- E eu sou apaixonado por Derek! – disse ele sarcástico. Mas o que intrigou Cora, é que ela não conseguiu ver mentira no que Stiles disse.
- Bom, é isso. Se você não quiser acreditar, o que posso fazer? – finalizou ela.
- Mas não faz sentido, Cora! – disse Stiles.
- Claro, porque é super normal também que existam lobisomens, certo? – ironizou a garota.
- Ok, ok. Digamos que isso seja real. – começou Stiles – Como fazemos para reverter?
Cora ficou sem saber o que dizer nesse momento. Ela não podia simplesmente contar para Stiles, Derek a fizera jurar. Seria como trair o irmão.
- E-eu. Eu não sei, Stiles. – respondeu ela – Talvez o Deaton saiba, não?         
- É, talvez ele saiba. – disse Stiles, sabendo que aquela conversa havia chegado ao fim.

Derek continuava a agir grosseiramente, o que deixava Stiles ensandecido. O que o mais novo não sabia, era que toda essa grosseria, o fato de Derek ter ficado mais rabugento, era efeito da maldição. Jennifer havia feito com que o lobo ficasse assim, para dificultar a aproximação das pessoas, para que ele não conseguisse quebrar o feitiço.
Mas isso não fez com que o humano desistisse, por mais que ele já tenha cogitado essa hipótese, ele não deixaria Derek naquele estado.
- Vamos, Derek. Você precisa comer. – disse o garoto enquanto tentava dar de comer para Derek. Stiles segurava um prato com canja em uma mão e com a outra tentava alimentar o mais velho.
- Não. Eu não quero! – respondeu Derek rispidamente. O mais velho empurrava o braço de Stiles com a colher toda vez que o mesmo se aproximava dele.
- Mas você precisa comer, criatura! – disse Stiles novamente, tentando fazer Derek comer um pouco.
- Mas eu NÃO QUERO comer, Stiles! – Derek tirou a colher da mão do garoto e jogou longe – Você não consegue entender isso?
Stiles se irritou com a atitude do mais velho, desistindo assim de alimentar Derek.
- Então morra de fome! – disse ele saindo de perto de Derek.
Depois disso, eles ficaram sem se falar por dois dias. O fim de semana havia acabado e Stiles precisava voltar a escola.
- Assim que minha aula acabar estarei de volta. – disse ele para Cora, enquanto se dirigia para a porta.
- Tudo bem. – disse ela para o humano – Acho que consigo me virar sozinha enquanto você está fora.
Stiles sorriu e saiu em direção a escola.

- Como Derek está? – perguntou Scott quando Stiles chegou a escola.
- Insuportável, como sempre. – respondeu ele fazendo seu amigo rir.
- Ainda não entendi o porquê você quis ir ficar lá, honestamente. – disse Scott.
- Nem eu. – respondeu o humano com sinceridade.
Os dois seguiram pelos corredores da Beacon Hills High School e foram para suas aulas. No almoço eles voltaram a se encontrar, junto com todos os outros no refeitório.
- Allison, sua família sabe alguma coisa sobre maldições? – perguntou Stiles.
- Não sei, Stiles. Talvez meu pai saiba algo. – respondeu a Argent – Vou falar com ele, e se ele souber de algo, te aviso.
- Ah sim, obrigado. – agradeceu Stiles.
- Mas por que você quer saber sobre isso, Stiles? – perguntou Lydia.
Stiles olhou para todos na mesa, ele sabia que iria soar idiota.
- Cora me disse que o que Derek tem é fruto de uma maldição. – respondeu ele.
Como ele imaginou, havia soado idiota. Todos começaram a rir.
- Como é? – perguntou Scott.
- É, eu sei. Isso é idiota! – começou Stiles – Mas Cora disse com toda a seriedade do mundo e cá entre nós, lobisomens também não deveriam existir, concordam? Nem Banshees, nem Darachs, nem Kanimas. Mas todos existem.
Todos na mesa ficaram em silêncio.
- Agora que você disse, faz sentido. – disse Allison.
- E como é esse feitiço? – perguntou Lydia curiosa.
- Eu não sei. Cora não quis entrar muito em detalhes. – respondeu Stiles – O que ela me disse, é que Derek foi amaldiçoado, e por isso ele se transforma na besta. Ela me disse também que ele só tem até a quinta lua cheia para quebrar o feitiço, ou então se tornará a besta permanentemente.
- Nós precisamos fazer alguma coisa! – disse Scott olhando para todos.
- Mas o que? – perguntou Isaac, falando pela primeira vez desde que começaram a falar sobre Derek.
- É isso que eu quero saber. – respondeu Stiles – O que podemos fazer.
O sinal do fim do almoço tocou e logo eles foram para suas aulas. O dia passou e quando menos Stiles esperava, o sinal do fim da aula tocou. Ele correu para o estacionamento de alunos. Queria ir direto para o apartamento de Derek.

E assim o tempo foi passando, e novamente veio a lua cheia... a terceira.

O clima de tensão no apartamento era evidente. A lua cheia estava aí, e tanto Derek quanto Cora sofreriam os efeitos dela. Stiles não conseguia esconder seu nervosismo e isso não facilitava as coisas com Derek, que parecia mais rabugento e estressado do que nunca.
- Fique calmo, Stiles. – disse Cora – Vai dar tudo certo. Nós ficaremos trancados nas salas de contensão e você só precisa se assegurar de que as portas fiquem trancadas, ok?
Stiles olhava para a garota Hale e via que ela também não estava calma, embora tentasse demonstrar isso. Ele apenas acenou para ela em resposta e ficou olhando para Derek sentado na cadeira enquanto o tempo passava. Ele estava com medo, mas não só de se machucar, tinha medo que os irmãos se machucassem também. Tinha medo de que Derek escapasse e machucasse alguém por aí. Isso geraria uma confusão enorme com os Argents, e Stiles não queria isso. Ele precisava se assegurar de que aquelas portas ficariam devidamente fechadas.
- Stiles, é agora. – disse Cora olhando para o relógio – Derek, vamos.
Ela foi até o irmão e o ajudou a se levantar. Ele parecia conseguir ficar de pé, graças as vitaminas que Deaton lhe deu, mas ainda não estava totalmente bem.  Derek se equilibrou no ombro esquerdo de sua irmã e permitiu que Stiles o apoiasse no ombro direito. O garoto tinha um cheiro bom, ao ver de Derek.
Eles o levaram até a sala onde Derek ficaria e o deixaram lá, enquanto Stiles seguia Cora até onde ela ficaria.
- Tome cuidado. Feche o apartamento todo. – ela disse – E sob nenhuma circunstância, abra uma dessas portas, ouviu? Mesmo se implorarmos. Principalmente Derek. Se ele sair daquela sala, Stiles, pode até te matar.
Stiles engoliu em seco com o que Cora disse. Ele não queria nem imaginar isso acontecendo.
- Vamos, tranque as portas. – disse Cora.
Stiles trancou todas as portas e janelas do apartamento, guardando as chaves consigo. Depois voltou até a porta de Cora e acenou para a garota Hale, enquanto a trancava lá dentro. Em seguida, Stiles foi até a porta de Derek, parando por um segundo para olhar o mais velho. O humano gostaria de saber algo que fizesse com que o outro melhorasse. Por pior que ele fosse, não queria vê-lo daquele jeito.
Foi durante esse tempo que a lua começou a fazer efeito, fazendo Stiles acordar de seus devaneios com o início da transformação de Derek. O garoto entrou em pânico e não conseguiu trancar a porta a tempo. Derek de repente havia se transformado na besta, e emitiu um rugido animalesco que fez com que Stiles quase sujasse as calças.
Stiles continuou tentando trancar a porta, mas foi lançado para o chão ao longe, quando a besta bateu na porta, fazendo ela se escancarar com uma força absurda. Derek saiu da sala de contensão e foi direto até Stiles, puxando o garoto pela perna e o arrastando pelo apartamento. O garoto não sabia o que fazer e gritava sem parar. Ao passarem pelas portas das salas de contensão, Stiles pode ouvir as batidas fortes na porta de Cora, o que fez com que o garoto pensasse que ela queria sair para ajuda-lo.
Derek largou Stiles no chão, que se virou, ficando de frente para ele. Era o fim, Stiles podia sentir. Ele iria morrer, e pelas mãos de Derek. Os batimentos do garoto ficaram altíssimos, ao ponto de até ele conseguir escutar.
A besta se preparou para o ataque, e quando o fez, Stiles levantou um braço, por instinto, fazendo com que Derek o acertasse. Tudo aconteceu em uma fração de segundo que Stiles não conseguiu entender. Derek machucou o braço dele, deixando marcas de suas garras e sangue escorrendo. Havia sangue também nas garras da besta, que se estava se afastando de Stiles? Isso mesmo. Quando Derek atingiu o braço de Stiles, o sangue em suas garras lhe fez sentir o cheio do garoto de forma acentuada, fazendo com que ele lembrasse quem era Stiles. Derek então se afastou de Stiles, emitindo um gemido, meio que um choro, não se sabe. Ele se moveu em direção a sala de contensão em que estava antes de se transformar e se encolheu lá dentro, onde ficou até o efeito da lua passar.
Stiles ficou perplexo com tudo o que aconteceu. A única coisa que ele conseguia fazer era ficar olhando para Derek. Ele nem se preocupou com o braço ferido, até que viu o sangue no chão e decidiu enrolar um pano no braço.
Quando o efeito da lua finalmente passou, Stiles viu Derek voltando ao normal e as batidas de Cora na porta.
- Stiles! Stiles! – gritava ela, tentando ser ouvida – Abra a porta, Stiles!
Ele foi até a porta e destrancou, libertando Cora, que saiu desesperada da sala de contensão e olhava para todo o apartamento, vendo o sangue de Stiles no chão.
-           O que houve? – ela perguntou olhando para o braço dele – Derek fez isso?
- Foi um acidente. – disse o garoto – Eu não consegui trancar a porta a tempo. A culpa é minha.
Cora então virou-se para a outra sala de contensão, vendo seu irmão lá dentro, desmaiado.
- Me ajude a levar ele para o quarto. – pediu ela a Stiles enquanto ia até Derek.
Eles levaram Derek até o quarto, deixando-o deitado sobre a cama, enquanto Cora tentava fazer algo em relação ao braço de Stiles. Ela parecia preocupada com o braço do menino.
Cora então usou seu dom de cura da licantropia em Stiles, colocando sua mão sobre o braço do garoto, enquanto veias negras subiam pelo braço dela, puxando um pouco da dor de Stiles.

No outro dia, de manhã, Stiles decidiu que não iria a aula. Ele não saberia explicar o que houve com o braço dele, e isso geraria comentários desnecessários. Ele ficou sentado no sofá de Derek assistindo televisão, até a hora que o mais velho acordou e foi até ele.
- Como você está? – ele perguntou seco.
- Melhor. – Stiles respondeu.
Derek deu a volta no sofá, ficando entre Stiles e a televisão, pegando o braço do menino e examinando o que havia feito. Ele ficou olhando por alguns minutos, enquanto Stiles o olhava quieto. Derek então colocou sua mão sobre o braço do garoto e fez a mesma coisa que Cora, tirando a dor de Stiles, enquanto veias negras subiam pelo braço musculoso de Derek.
Stiles fechou os olhos enquanto Derek o curava. Ele não queria falar nada naquele momento, sabia que seria inútil.
Derek então retirou sua mão do braço do garoto e continuou parado em frente a ele.
- Eu quero que você vá embora. – disse Derek.
- Eu, hã? Como assim? – perguntou Stiles.
- Simples, eu quero que você vá embora. – disse Derek novamente.
Stiles ficou boquiaberto durante um segundo, enquanto o lobo o olhava nos olhos.
- Não! – disse ele – Não mesmo! Eu não vou embora, Derek.
- Você não entende o que aconteceu aqui? – perguntou Derek elevando a voz – Eu poderia ter matado você, Stiles!
- Mas não matou! – respondeu Stiles rapidamente – É sério, Derek. Eu não vou embora. Prometi que ajudaria Cora e que encontraria uma cura para você, e é o que eu vou fazer.
Derek o olhou por algum tempo, sem falar nada. Ele respirou fundo e piscou duas vezes.
- Stiles, por favor. – disse ele – Eu não quero você aqui.
Aquilo foi como uma facada no peito de Stiles. Não foi como das outras vezes que Derek falara aquilo. Dessa vez, Stiles conseguiu sentir que Derek realmente não o queria ali. Que ele o queria longe.
Stiles ficou imóvel no sofá, sem palavras. Ele não sabia o que dizer e fazer em relação a isso. Ele só queria sumir.
Derek então, sentindo a tristeza do menino, e vendo-o ali parado, decidiu agir como sempre fazia, com grosseria. Ele foi até o quarto onde o garoto estava hospedado e recolheu todas as suas coisas, levando-as até a porta do apartamento. Depois ele voltou até Stiles e o puxou pelo braço que não estava ferido, o levando até a saída.
- Derek, por favor. – disse Stiles olhando nos olhos do outro – Deixe-me ajudar.
O mais velho olhou nos olhos de Stiles e respirou fundo. Ele precisava fazer aquilo, ou então o garoto iria se ferir mais ainda. Foi então que ele pegou as coisas do garoto e abriu a porta, colocando tudo no chão. Puxou Stiles novamente pelo braço o levando até o lado de fora do apartamento, entrando logo em seguida e ficando na porta.
- Eu não preciso de você, Stiles! – disse ele – Agora, SUMA DAQUI!
E com isso, Derek fechou a porta do apartamento na cara de Stiles. Deixando o garoto ali, com suas coisas ao chão, sem saber o que fazer.

< CapituloAnterior - Próximo Capitulo >          

Autor: Raphael Fernandes
Idade: 18 anos
Localidade: Brasília
Redes Sociais: Facebook, Twitter, Tumblr
Quer saber como enviar o seu conto? Clique aqui.
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Deixe o seu comentário!