Tecnologia do Blogger.

23/11/2013

ENTREVISTA: Karen Soarele

Bom dia, leitores! Hoje tem entrevista com nossa prestativa autora parceira +Karen Soarele!


Academia: Em primeiro lugar, estamos muito contentes que você tenha aceitado ser nossa parceira da Academia! Vamos começar pela autora. Quem é Karen Soarele?
Karen: Oi, pessoal! Para mim é um prazer enorme estar aqui, admiro muito o trabalho que a Academia tem feito na divulgação de autores nacionais e, principalmente, na disseminação da leitura.
Eu sou paranaense, mas moro em Campo Grande/MS. Tenho 25 anos, me formei em Publicidade e Propaganda e me pós-graduei em Comunicação: Linguagens, construção textual e literatura. Além de escritora, trabalho como ilustradora, atuando principalmente na criação de revistas infantis. Amo cinema, jogos e livros, sou uma pessoa apaixonada por tudo o que é mágico e emocionante!

Academia: Fazia parte dos seus planos de vida tornar-se escritora ou foi algo que veio com o tempo?
Karen: Ser escritora foi algo que fluiu naturalmente. Desde pequena, eu sempre fui apaixonada por criar personagens e contar histórias. No início, eu escrevia poesias e desenhava histórias em quadrinhos. Ainda tenho algumas guardadas, é muito nostálgico! Mas, à medida que eu criava, as cenas se tornavam mais complexas, até que senti a necessidade de escrever histórias mais longas.

Academia: O que a levou a escrever as Crônicas de Myríade?
Karen: O tédio durante as aulas de química?
Brincadeiras à parte, eu comecei a criar o universo de Myríade quando ainda era adolescente, e não tinha um objetivo muito bem definido para todo aquele universo e personagens. Com o passar dos anos joguei fora muitas das coisas que eu tinha criado, refiz algumas, inventei outras. Foi um processo longo, em que me livrei do que não servia e desenvolvi melhor o universo. Muitas histórias se passam em Myríade, então por fim eu precisei escolher a que mais gosto para escrever os livros.

Academia: Como foi o processo de pesquisa? Há muitas referências em sua obra?
Karen: O que existe bastante na minha obra são influências. Não apenas dos grandes autores que já li, como também de tudo o que já vivi e presenciei. Também tive que fazer muita pesquisa:
geografia, relevo, navegação, construções medievais, só para citar algumas. A pesquisa que fiz não é visível no texto, você não vai encontrar um manual de navegação, por exemplo, mas é importante evitar falar bobeira, para criar um mundo no qual as pessoas acreditem.

Academia: E quanto aos próximos livros da saga? Pode nos adiantar alguma coisa?
Karen: O segundo livro da série acabou de ser lançado, com a promessa de deixar todos de queixo caído. E consegui! Muitas pessoas terminam a leitura sem saber se me amam ou me odeiam, um sentimento contraditório muito forte. Nos próximos, os personagens estarão mais calejados, marcados pelos acontecimentos de até então. E cada um vai em busca daquilo em que acredita, nem que isso signifique contrariar uns aos outros. Vocês vão encontrar muita aventura, emoção e aquele gostinho de magia no ar!

Academia: Como é seu processo de criação e de trabalho? Você é metódica ou segue a inspiração?
Academia: Eu gosto de saber onde vou chegar antes de sentar na frente do computador, e isso significa lapiseira e caderno! Gosto de escrever, em tópicos, quais serão os principais acontecimentos do livro. Contudo, as falas dos personagens e detalhes da narrativa são decididos durante a escrita no computador.

Academia: Você é ilustradora mas, segundo nossa pesquisa, quem cria as capas dos seus livros é seu marido, Luís Brüeh. Como é o processo de criação e composição das capas? Você faz marcação cerrada ou deixa tudo a cargo da imaginação e do talento dele?
Karen: O meu estilo de ilustração é infantil demais para os meus livros, que são infantojuvenis, por isso o Luís faz essa parte do livro. É uma delícia ver as ilustrações dele ficarem prontas! Inclusive, já aconteceu de eu acrescentar detalhes à descrição de um personagem por causa de um desenho que ele fez.
Antes de criar uma capa, o Luís conversa bastante comigo. Por eu ser ilustradora – e também por ser muito exigente e mandona – ele sempre quer ouvir a minha opinião antes de começar o trabalho. No mais, deixo ele livre. Ele também adora histórias de aventura e fantasia, e sabe muito bem o que fica legal e o que não fica.

Academia: Agora duas coisas bem pessoais: a) heróis ou vilões, quais você prefere? B) de todos os personagens que criou, qual o seu preferido e por quê?
Karen: Eu gosto daquele personagem que se comporta como herói, está do lado dos heróis, mas que, por algum motivo, sente-se superior aos demais. O personagem arrogante. Gosto muito de dois que não se encaixam totalmente nessa descrição, mas chegam perto: Kaled e Dimitri. Dois personagens de histórias diferentes, tempos diferentes, mas que compartilham o mesmo carma.

Academia: Vimos que seus personagens têm personalidades muito bem definidas e marcantes. Você se inspirou em pessoas reais para cria-los ou tudo saiu de sua imaginação?
Karen: É impossível não se basear na realidade, seja de forma proposital ou não. Não me baseei em ninguém em específico, mas sem dúvidas há características de pessoas que conheci em alguns personagens.

Academia: Quais foram às dificuldades que você enfrentou até que o seus livros chegasse às mãos dos leitores?
Karen: Por ter alguma experiência com o mercado editorial, antes de publicar meu primeiro livro eu já sabia quais dificuldades viriam pela frente. Não quer dizer que tenha sido fácil! A maior dificuldade que encontrei foi a distância: eu moro no Mato Grosso do Sul, enquanto os maiores eventos e grande parte dos meus leitores estão espalhados pelas capitais mais importantes do país. Fazer o quê, viajar? Inventar eventos por aqui mesmo? Com certeza! Eu tenho feito as duas coisas! :)

Academia: Como tem sido o retorno do público, dos seus leitores?
Karen: Maravilhosa!!!! De vez em quando eu faço concursos culturais e gincanas na fanpage, e é uma delícia ver o nível de interação dos leitores com os personagens e com o universo como um todo! Sem falar na minha caixa de e-mail, que nunca mais ficou vazia...


Academia: Os leitores que apreciam o gênero fantasia costuma fazer o tipo fã de carteirinha. Sendo uma autora de fantasia, como é seu contato com seus leitores?
Karen: Eu procuro atender a todo mundo, sem deixar ninguém sem resposta. Às vezes isso é difícil, principalmente quando estou viajando, mas sei que o pessoal compreende. São mesmo fãs de carteirinha, e isso é muito gratificante!

Academia: Como leitora, quem são seus escritores favoritos? Quais autores são referência para o seu trabalho?
Karen: No topo da lista vem C. S. Lewis, seguido por Rowling, Tolkien, Emily Rodda e John Flanagan. Gosto de tudo o que é mágico!

Academia: Como autora nacional, você sabe bem que essa profissão é cheia de obstáculos e de caminhos sinuosos. Qual o recado que você deixa para aqueles que estão começando agora a trilhar os caminhos em busca do sonho de ser um escritor?
Karen: Não deixem que os problemas do dia a dia impeçam vocês de seguirem os seus sonhos. Batalhem, perseverem e esforcem-se muito! Dificuldades todos encontram, em qualquer profissão, mas são elas que dão aquele gostinho de desafio e a satisfação ao concluir uma etapa importante em nossas vidas. O importante é não desanimar. Mãos à obra! :)


Academia: Para finalizar, quem você indicaria para ser o próximo parceiro da Academia?
Karen: Indico Camila Dornas, Mauricio Gomyde e Vanessa de Cássia <3 i="" nbsp="">


A Academia Literária DF agradece a você, Karen Soarele, pela atenção, carinho e por aceitar o convite em fazer parceria com o blog. Muito Obrigado!




Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Karen como sempre muito simpática e linda. Adorei a entrevista e o apoio da escritora para os iniciantes.

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!