Tecnologia do Blogger.

18/03/2014

RESENHA - O Destino de Daenerys (Márjorie Barth)

 Ficha técnica:
Referência bibliográfica: BARTH, Márjorie. O Destino de Daenerys. 1ª edição. Porto Alegre, Imagini, 2013. 120 páginas.
Gênero: Romance
Temas: Anjos e demônios
Categoria: Literatura nacional.
Ano de lançamento: 2013.
Série: O Destino de Daenerys (Livro 1).















“Estou livre – pensou ela sentindo uma estranha leveza. Ao fechar os olhos, por uma fração de segundos, ouviu algo arrebentando.
A corda de segurança se partiu e o último som que a jovem ouviu antes de atingir o rio foi a voz de Randall gritando seu nome. Surrado pelo forte impacto, o corpo de Kate seguiu para as profundezas negras do rio. ‘Eu vou morrer aqui’ – Catarina tentou desesperadamente voltar à superfície, prendeu a respiração o máximo que pôde, o ar comprimiu seu peito e o terror inevitável aconteceu. Kate tentou respirar, mas a água fria inundou seus pulmões, queimando-lhes, causando uma dor excruciante.”
*O Destino de Daenerys (pág. 7).


                               
                Aquele era para ser apenas mais um passeio. A jovem Catarina estava sendo guiada por Randall, experiente instrutor de salto. Ambos caminhavam por uma trilha que levava até a ponte onde seria o salto. O instrutor fazia aquilo desde os quinze anos de idade e sua experiência de mais de quinze anos de salto deu a Catarina a coragem que lhe faltava para seguir adiante com aquilo. Porém, a coragem havia se transformado em imprudência e um acidente estragou toda a diversão do momento. Catarina, entregue à foice da morte, é salva por um ser, um homem misterioso e sedutor. A partir de então, tudo na vida da jovem muda da água para o vinho, seu destino a mercê de forças que ela ainda não compreendia.
              Márjorie Barth nos apresenta nessa obra a jovem Catarina. Uma adolescente, como muitas espalhadas pelo mundo, aparentemente sem nada de especial, até o dia em que ela sofre um acidente e quase morre. Após ser salva, tenta voltar a sua rotina habitual, mas coisas estranhas começam a acontecer a ela e às pessoas ao seu redor, além de que uma figura misteriosa e sedutora aparece em sua escola, despertando sua curiosidade e logo seu interesse. O que considero interessante na trama é o modo como a autora nos leva a pensar e refletir o que realmente está acontecendo com Catarina, já que alguns eventos se desenrolam sem que possamos saber quem ou o que está envolvido nos acontecimentos. Algumas respostas são postergadas ao intrigante final da obra, enquanto outras questões são levantadas e deixadas a cargo da imaginação do leitor, principalmente as que se referem a Kate, pois em alguns momentos da trama ela tem mudanças drásticas de emoções e até mesmo o cenário a sua volta muda sem que o leitor consiga entender o porque sem avançar mais na história. Porém, esse mesmo desenrolar de eventos é confuso e muitas vezes eu tive de voltar um pouco no texto para compreender o que se passava. 

Alerta de Spoiler, clique para ver!
                O que definitivamente não me atraiu na obra é o fato do homem misterioso ser um anjo. Até ai tudo bem, adoro histórias com anjos, mas este afirma diversas vezes que é um celestial e como tal não pode se apaixonar por uma mortal, os sentimentos dele são diferentes dos da raça humana e mesmo assim suas ações e expressões falam exatamente o contrário. Diversas vezes ele a seduz e mantém contato próximo (não necessariamente no único intuito de protegê-la), atiçando ainda mais o desejo da garota.
                Algumas reações dos personagens também não condizem com a realidade da trama. Catarina é uma mulher normal, a coisa mais bizarra que poderia lhe acontecer é arrumar um vestido que não combine com os sapatos (ela e a amiga são extremamente vaidosas). Então, a presença de um ser místico (ou dois) deveria ter dado um nó em seu cérebro por mais que ela tente entender o que estava acontecendo. O anjo, mesmo sendo uma entidade diferente dos mortais, acaba por se relacionar com Catarina ao ponto de ir contra as ordens de seu criador, entre outras ações que o leitor pode achar ou não condizente.
  “O Destino de Daenerys” é uma história narrada em terceira pessoa, usando-se um narrador onisciente. A narrativa se foca na vida da protagonista, com alguns trechos dedicados a personagens coadjuvantes, explicando o que eles estavam fazendo em determinados momentos da trama. A construção dos personagens é gradativa e ao longo da trama mais detalhes sobre eles vão sendo paulatinamente fornecidos. Por ser uma história curta, a narrativa é bem simples e rápida, de forma que um leitor devora o livro em pouquíssimo tempo. A capa ficou muito bem elaborada e cada capítulo conta com uma ilustração (a mesma da capa do livro, porém em preto e branco e com marcas d’água). A narrativa é um tanto confusa e carece de maior fluidez, com passagens que fazem o leitor ter de prestar muito atenção no que está acontecendo para não se perder na trama. A correção ortográfica infelizmente é sofrível. Há algumas falas dos personagens sem a indicação do travessão, palavras erradas e outras incompletas. Palavras oriundas do Japonês com a grafia errada. Alguns erros são bem sutis, coisas que podem passar despercebidos por qualquer um, mas outros são gritantes ao ponto de incomodar até mesmo leitores que não se importam tanto com a revisão da obra. Nota: a obra foi lida em ebook, não tenho dados sobre o livro físico.
                A autora por trás da obra é mãe, escritora e editora. Márjorie Barth divide seu tempo entre sua família e os livros. A escrita tornou-se passatempo ainda na infância e agora se transformou em profissão. Desenvolvedora de projetos educativos, ela viu na literatura o caminho para o desenvolvimento da arte criativa.
                 A obra é destinada aos que se identificam com romances com uma forte pegada sobrenatural.

               

Bibliografia de Márjorie Barth (ordem cronológica):

Livros:


  • A saga de Júlio no Parque dos Delírios – Redes Editora (2010).
  • Júlio e a Ira dos Deuses – Editora Rígel (2012)
  • O Destino de Daenerys – Editora Imagini (2013).


Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Se a protagonista fosse fã de RPG, até daria pra entender ela ter aceitado bem, mas pelo que li ela não é nem um pouco. -Q

    ResponderExcluir
  2. O livro me lembrou muito a ideia de Fallen, Então para quem gosta de romance com sobrenatural é uma boa. A critica é em relação a erros e que ao meu ver pode ser corrigidos por ser ebook. (:

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!