Tecnologia do Blogger.

16/08/2016

RESENHA - INTENSO (ROBIN YORK)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: YORK, Robin; tradução de Cássia Zanon. Intenso. 1ª edição. São Paulo, Arqueiro, 2016. 272 páginas.
Gênero: Romance.
Temas: Revenge Porn. Vingança Pornô.
Categoria: Literatura norte-americana.
Ano de lançamento: 2016.
Série: Profundo (livro 1); Intenso (livro 2).










“Há um motivo pelo qual se fala que alguém “caiu de amores”. É por causa da forma como o amor nos vira de cabeça para baixo e sacode a nossa vida, com força. Não há nada parecido. Não existe droga melhor. Nenhuma aventura é mais fantástica. O amor muda as coisas. Muda a gente.”
*Intenso (pág. 195).

Após a separação forçada, o destino reúne Caroline Piasecki e West Leavitt mais uma vez. Quando West imaginou que poderia alcançar um futuro melhor, diferente da vida que levava em Silt, a responsabilidade pela família desestruturada o chamou mais uma vez. E ele foi, deixando Caroline e o futuro promissor para trás.
Para cuidar da irmã mais nova, Frankie, West se vê diante de vários problemas envolvendo a mãe e a morte misteriosa do pai. Meses depois de abandonar os amigos em Des Moines, ele chama Caroline para ajudá-lo. Os dois irão, mais uma vez, enfrentar os piores medos juntos.
Robin York se superou. No primeiro livro da duologia, Profundo (leia a resenha aqui), fomos colocados diante da agonia de Caroline Piasecki, vítima de revenge porn (ou vingança pornô, em português). A protagonista teve fotos íntimas espalhadas pela internet pelo ex-namorado – que não se conformava com o término pacífico do relacionamento. Ela, então, teve a ajuda de West, um cara totalmente estranho (em primeiro momento) e conseguiu sair da depressão e dos TOCs (Transtornos Obsessivos-Compulsivos) que criou com toda a exposição e o sofrimento posterior.
Em “Intenso”, Caroline e West terminam o relacionamento porque ele teve que voltar à cidade natal, no interior. Porém, logo no início da trama, ele já implora pela ajuda de Caroline, que pega o primeiro voo para encontrá-lo. Depois disso, vivi uma agonia por longas páginas até que o casal finalmente se acertou. Minha relação com essa duologia é de muita admiração. Os personagens criados por Robin York são jovens adultos que passam por sérias complicações na vida, como acontece de verdade. O primeiro livro me despertou para a importância de se entender o que é uma vingança pornô e as consequências dramáticas dessa atitude, que acontece muito com meninas e meninos de todo o mundo.
A forma como os personagens lidam com as dificuldades é o grande triunfo de Robin York. Dessa vez, West precisa criar a irmã mais nova, mas ele não tem a menor noção do que é ser um pai – e esse é o ponto principal do enredo. As novas descobertas são emocionantes, porque os protagonistas nunca antes tiveram contato com tal realidade. A ideia de que um recomeço sempre é possível nos enche de esperança diante da vida.
Muito amor pelas capas dos dois livros 


O livro é narrado em primeira pessoa pelos dois protagonistas, como na primeira obra da duologia. Esse tipo de narração é bem interessante, porque conseguimos perceber emoções que são difíceis de ser apresentadas por um narrador onisciente, por exemplo. Cada capítulo possui a narração de um dos dois, sendo que os acontecimentos não se repetem, mas são continuados pelo próximo narrador. A leitura é bem fluida, com palavras coloquiais na maioria das vezes. A relação temporal da obra é linear, com poucas analepses. O livro, infelizmente, não possui ilustrações ou interferências gráficas pertinentes. Porém, os capítulos e início das narrações tiveram um cuidado especial e têm fontes diferentes.
Robin York já foi indicada ao prêmio RITA, pela publicação com o pseudônimo Ruthie Knox. Ela é uma das autoras best-sellers do The New York Times. Robin diz não saber por que nunca escreveu para jovens adultos antes.
Nessa série, em especial, indico que a leitura seja feita de acordo com a sequência. “Profundo”, o primeiro livro da duologia, é especial para que o leitor se aprofunde na história proposta pela autora. Todo mundo deveria ler as duas publicações, por se tratar de um tema relevante para entender as consequências de atitudes impensadas nas redes sociais. Por fim, confesso que essa é a série temática contemporânea que mais me cativou até hoje. 



Bibliografia de ROBIN YORK (ordem cronológica):

Livros:
  • Profundo – Arqueiro (2016).
  • Intenso – Arqueiro (2016).



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!