Tecnologia do Blogger.

13/08/2016

RESENHA - Sedução da Seda (Loretta Chase)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: CHASE, Loretta; tradução de Simone Reisner. Sedução da Seda. 1ª edição. São Paulo, Arqueiro, 2016. 304 páginas.
Gênero: Romance.
Temas: Romance londrino. Londres. Modistas.
Categoria: Literatura norte-americana.
Ano de lançamento: 2016.
Série: Sedução da Seda (livro 1).






“Sob o manto de ordem imposta pelo homem, a vida era uma total anarquia. Mesmo assim, toda vez que ela atrapalhava seus planos, Marcelline fazia outros e recuperava alguma coisa. Algumas vezes, até triunfava. Sua grande característica era a resiliência.
Independentemente do que acontecesse naquela noite, ela tiraria o maior proveito possível.”
*Sedução da Seda (pág. 59).

O que começa com uma busca implacável pelo sucesso termina pelo rumo à destruição. Mercelline Noirot é uma modista ambiciosa e talentosa, que desenha os mais luxuosos e escandalosos vestidos de Londres. Mas, para alcançar o sonho de obter maior clientela entre os aristocratas, ela precisa reformular o estilo da futura duquesa de Clevedon.
A conquista de Lady Clara Fairfax, no entanto, não é nada fácil. O caminho mais curto seria convencendo o futuro marido da jovem de que as más escolhas de roupas poderiam levar o casal à ruína social. Em um jogo de sedução e armadilhas, Marcelline se encontrará frente a frente com o dilema de assegurar um futuro melhor para sua família ou seguir o coração.
A nova série de Loretta Chase lançada pela Arqueiro me chamou a atenção logo de cara por nos prometer um mergulho no mundo da moda londrina do século XIX – a promessa foi cumprida com sucesso. O romance embutido entre o duque de Clevedon e Marcelline é apenas a cereja do bolo confeitado por Loretta. Marcelline é uma personagem de personalidade forte, segura de si e responsável pelas duas irmãs mais novas e pela filha de 6 anos, Lucie Cordelia, que é um charme à parte.
"E ele sabia que, com o passar do tempo, ele também a esqueceria. Mas, por esta noite, eu te amo. Ele não queria pensar nisso. Recusava-se a pensar nisso. O amor não fazia parte do jogo."
Ao se jogar em uma aventura que tem como objetivo cativar o duque para que ele se torne cúmplice nessa busca pela conquista das mulheres londrinas, Marcelline vai até Paris atrás do famoso inglês, que está de férias há algum tempo. O desenrolar do relacionamento dos dois é hilário, pois ambos são mestres na arte de seduzir. O problema é que o duque confunde as coisas e põe em risco a ambição da Noirot. Eu acredito que mais uma vez Loretta conseguiu nos apresentar uma mulher que, em pleno século XIX, é independente, trabalhadora e, para completar, é altruísta porque mantém uma casa que abriga mulheres e as ensina a arte da costura.
Cada capítulo inicia com uma citação de publicações da época em que se passa a trama sobre alguma característica curiosa da sociedade, seja de costura – como é a paixão da Noirot mais velha e das irmãs – ou dos costumes. Acredito que esse tenha sido o maior acerto da publicação. Conhecemos também Paris, por meio das minuciosas descrições do narrador e dos protagonistas. Ah, estes, então, são ótimos. O duque se mostra um homem ignorante e fútil, mas, ao longo da trama, se transforma em uma pessoa gentil, educada e apaixonada. As irmãs Noirot também são belíssimas personagens: são unidas, trabalhadoras e ambiciosas.

As nuances de azul são o que mais chamam atenção na capa

“Sedução da Seda” é narrada em primeira pessoa, por um narrador onisciente. Não há analepses no texto, que nos apresenta o passado quando os personagens decidem revelar a história a outrem. A obra tem uma leitura bem fluida, e a relação temporal do enredo é linear. A formatação do livro não foge muito à regra dos romances de época publicados pela Arqueiro, sem ilustrações ou qualquer interferência gráfica, com exceção das citações a cada novo capítulo – essa obra foi a primeira da editora em que eu vi esse detalhe.
Formada em inglês pela Clark University, Loretta Chase trabalhava como professora e escrevia roteiros quando conheceu um produtor que a inspirou a publicar suas histórias e logo se tornou seu marido. Loretta Chase publica romances históricos desde 1987, pelos quais ganhou vários prêmios.
Como de praxe, indico os livros da Loretta para todos, já que é uma leitura que nos aprofunda no mundo de mulheres independentes e nada convencionais, que desafiam a sociedade da época e a de atualmente. Os amantes de romances de época não podem deixar de ler essa obra pelo demasiado número de detalhes dos cenários e comportamentos da sociedade londrina. Quem ainda não leu qualquer romance desse tipo, essa é uma boa oportunidade para começar. Aguardo, ainda, ansiosamente pelos outros livros da série “As Modistas”: “Escândalo de Cetim”, “Volúpia de veludo” e “Romance entre rendas”. 



Bibliografia de NOME DO AUTOR (ordem cronológica):

Livros:
  • O Visconde Vagabundo – Editora Signet (2004).
  • O Príncipe dos Canalhas - Editora Arqueiro (2015).
  • O Último dos Canalhas – Editora Arqueiro (2015).
  • Sedução da Seda – Editora Arqueiro (2016).
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Gostei do que já li dela e esse foi outro que me chamou atenção, tem uma boa história aí. Só que vi algumas pessoas reclamando de umas atitudes da protagonista....Só lendo pra entender. De descrição de lugar ela é uma beleza, faz você visualizar bem, imaginar. Adoro isso nos livros dela. E os personagens, sempre fortes e marcantes. Acho que aí tem bastante gente que se destaca e quero ver o que ela fez com o casal. O quanto evoluem e o que esperar dos próximos livros.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cristiane! É, Marcelinne é uma personagem que, assim como suas irmãs, não são as aristocratas comuns em livros de romance de época. Mas particularmente acho que ela nos fisga por ser única. Vale a pena!

    Beijos.

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!