Tecnologia do Blogger.

24/09/2016

RESENHA – A Fúria e a Aurora (Renée Ahdieh)

Renée Ahdieh
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: AHDIEH, Renée. A Fúria e a Aurora. 1ª edição. São Paulo, Globo Alt (selo da Editora Globo), 2016. Tradução: Fabienne Mercês. 336 páginas.
Gênero: Romance, fantasia, Young Adults (YA)
Temas: Reino, aventura, triângulo amoroso, mistério, maldição
Categoria: Literatura Estrangeira
Ano de lançamento: 2015 no exterior e 2016 no Brasil
Série: A Fúria e a Aurora (Livro 1)


“Se você puder, dê a ele o amor que lhe permitirá ver por seus próprios olhos. Para uma alma perdida, esse tesouro vale seu peso em ouro. Vale seu peso em sonhos”.
A Fúria e a Aurora – Livro 1. (posição 1.950 – 36% – de 5.350 – E-book via Amazon)






          Personagem central da história, a jovem Sherazade se candidata ao posto de noiva de Khalid Ibn Al-Rashid, o rei de Khorasan, de 18 anos de idade, considerado um monstro pelos moradores da cidade por ele governada. Casando-se todos os dias com uma mulher diferente, o califa degola as eleitas a cada amanhecer. Depois de uma fila de garotas assassinadas no castelo, e inúmeras famílias desoladas, Sherazade perde uma de suas melhores amigas, Shiva, uma das vítimas fatais de Khalid. Em nome da forte amizade entre ambas, Sherazade planeja uma vingança para colocar fim às atrocidades do atual reinado.
Noite após noite, Sherazade seduz o rei, tecendo histórias que encantam e que garantem sua sobrevivência, embora saiba que cada aurora pode ser a sua última. De maneira inesperada, no entanto, passa a enxergar outras situações e realidades nas quais vive um rei com um coração atormentado. Apaixonada, a heroína da história entra em conflito ao encarar seu próprio arrebatamento como uma traição imperdoável à amiga.
Apesar de não ter perdido a coragem de fazer justiça, de tirar a vida de Khalid em honra às mulheres mortas, Sherazade empreende a missão de desvendar os segredos escondidos nos imensos corredores do palácio de mármore e pedra e em cenários mágicos em meio ao deserto.
Queridos leitores, sabem quando um livro é tão bom, que você fica até sem imaginação para escrever sobre ele? Sim, foi o que aconteceu comigo. Amei cada pedacinho deste livro. Não é à toa que ele entrou para um dos meus favoritos do ano. No início, eu fiquei um pouco confusa para entender o que acontecia, mas depois que me habituei foi em um fôlego só que eu encerrei a leitura.
Este livro, “A Fúria e a Aurora”, foi baseado no clássico da literatura árabe “As Mil e uma Noites”, composto por uma coleção de contos escritos entre os séculos XIII e XVI. De acordo com o site Brasil Escola, a obra conta a história do rei Périsa, da Pérsia, que depois de matar a esposa adúltera, decidiu se casar com uma mulher diferente por dia, degolando-a na manhã seguinte. Dentre as várias mulheres que desposou, Sherazade foi a mais esperta, iniciou um conto que despertou o interesse do rei em ouvir a continuação da história na noite seguinte. Com sua esperteza, Sherazade escapou da morte e, para continuar vivendo, escreveu mil e uma noites.



Na história da Renée Ahdieh, autora do livro “A Fúria e a Aurora, conhecemos a Sherazade (Shazi), personagem que tem uma determinação incrível, além de uma língua afiada, que acredito ter sido o ponto chave para conquistar a atenção do Khalid, rei de Khorasan. Ela se tornou uma das noivas do rei com o objetivo de matá-lo para vingar a sua melhor amiga, Shiva, e acabar de uma vez por todas com as barbaridades que ele cometia com as moças do reino, as quais ele desposava para na aurora do dia seguinte matá-las degoladas.
O Khalid, conhecido como menino-rei por ter assumido o trono com apenas quatorze anos, se tornou um rei frio e insensível, considerado pelos seus súditos um monstro. Aos seus dezoitos anos, ele carregava um ódio imenso por seu pai, o antigo califa (rei), por ter matado sua mãe e a humilhado perante o reino.
Antes da Shazi entrar para o reino, ela tinha um namorado da infância, Tariq, que era filho de um emir (nobre de Khorasan, semelhante a um duque). Ele, muito apaixonado, resolveu que deveria salvar sua amada das mãos do odioso rei e, para isso, ele teria que matá-lo.
Para não correr o perigo de ser morta ao amanhecer, a Shazi iniciou um conto para o califa, que ficou intrigado com o final da história. Ela prometeu que finalizaria, mas desde que pudesse contar no dia seguinte. Ele concordou. Desse dia em diante, ela passou a conquistar cada vez mais o menino-rei. Por isso, ela ficou conhecida no reino por ser a única rainha jovem a sobreviver não a uma, mas a duas auroras no palácio.
Os dias se passaram e a Shazi passou a conhecer mais os tormentos do Khalid. O problema foi que seu coração começou a seguir um caminho que sua cabeça não concordava. Isso gerou um conflito interno para ela.
Ao longo do texto a autora nos apresenta diversas situações que a Shazi teve que enfrentar para sobreviver. Os seus conceitos mudaram, mas, a sua determinação não. Será que ela teve coragem de vingar a sua amiga? Não vou contar. Você terá que ler.
Porém, gostaria de registrar aqui, queridos leitores, que o meu coração sempre bate mais forte para os personagens masculinos que são sempre os mais difíceis de lidar. Então, Tariq, desculpe-me, mas a minha torcida ficará para o Khalid.
Dos personagens secundários destaco a Despina, camareira da Shazi, o Jalal, primo e capitão da guarda do rei, e o Rahim, amigo do Tariq. Porém, esperava conhecer mais a irmã da Shazi, Irsa, senti que ela foi supérflua na história.
O livro possui 31 capítulos, e é narrado de forma linear cronológica e em terceira pessoa, por vários personagens, mas principalmente pela Shazi, pelo Tariq e pelo Khalid. No início é apresentado um glossário com os principais termos usados pela autora, como califa, emir, joonam, sayyidi, entre outros.
Gostei muito da capa publicada pela editora Globo Alt, inclusive, achei-a mais bonita que a publicada no exterior. Porém, pelo que pude perceber na internet, na capa publicada no exterior tem uma foto da Sherazade. Então, peguei-a para mostrar para vocês. A foto foi extraída do site Star Books.
Capa e contra-capa do livro publicado no exterior

É bom destacar que autora mora na Carolina do Norte com o marido, Victor, e o seu cão, Mushu. No seu meu tempo livre, gosta de cozinhar, dançar salsa, e causar estragos na vida dos seus personagens.
Enfim, agora o que me resta é aguardar, ansiosamente, pelo lançamento do último livro, Rose and the Dagger (A Rosa e a Adaga, tradução livre), que ainda não tem previsão para ser lançado aqui no Brasil.
A fúria e a aurora

Bibliografia de Renée Ahdieh (ordem cronológica):


Livros:
  • A Fúria e a Aurora – Globo Alt (2016)

Top comentarista nº14: Clique para participar


Comentários
8 Comentários

8 comentários:

  1. O que falar desse livro? Nem li e já considero "pakas".
    Pois é, nas primeiras divulgações já coloquei esse livro como desejado.
    E se eu estou super curiosa pra conhecer essa história? Sim, claro ou com certeza?
    Sua resenha me deixou ainda mais interessada.
    Parece ser um livro super delicinha.
    E essa capa? Que coisa mais linda né? Muito amor envolvido <3
    Espero conhecer a obra em breve e que aconteça o mesmo que aconteceu com você, que ele se torne um dos meus favoritinhos rs.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabi,
    Uau! Fiquei muito empolgada em saber que esse livro é tudo isso, desde que vi o lançamento A Fúria e a Aurora está na lista de desejados. Estava super ansiosa para saber mais sobre essa história, foi uma grata surpresa ler essa resenha, adoro um personagem cheio de mistério, já estou do lado do Khalid também haha
    Adoro livros que são baseados em clássicos da literatura.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Micheli, acho que você vai gostar da leitura. Também gosto dos personagens masculinos com uma pega mais malzinha ;)

      Excluir
  3. Só li resenhas positivas desse livro até agora e estou bastante curiosa para conhecer a história, mesmo eu sendo avessa à releituras. Desanima o fato de ser série, mas pelo visto não conseguimos escapar delas né rs... Espero não me decepcionar. A capa é linda e simples, me encantou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Adriana, o que eu não gosto das séries é a demora que as editoras têm para publicarem a sequência, daí todo o encanto do livro já passou :/

      Excluir
  4. Ola, tudo bom?
    Gostei muito da resenha, eu ouvi vários elogios quanto ao livro estou super curiosa para ler ele, e saber mais sobre esses personagens, o porque o rei mata suas esposas toda aurora, e como isso vai terminar.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!