Tecnologia do Blogger.

08/11/2016

RESENHA - Dez formas de fazer um coração se derreter (Sarah MacLean)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: MACLEAN, Sarah; tradução de Fabiana Colasanti. Dez formas de fazer um coração se derreter. 1ª edição. São Paulo: Arqueiro, 2016. 352 páginas.
Gênero: Romance
Temas: Romance de Época
Categoria: Literatura Estrangeira; Literatura norte-americana.
Ano de lançamento: 2016

Série: Nove regras a ignorar antes de se apaixonar (livro 1); Dez formas de fazer um coração se derreter (livro 2); Onze leis a cumprir na hora de seduzir (livro 3).










“Isabel passara a vida evitando homens ricos, charmosos e conquistadores que atraíam a atenção de todas as mulheres com suas gravatas perfeitamente arrumadas e seus sorrisos rápidos e fáceis. Homens que se deleitavam em roubar a felicidade dos outros.
Homens como o seu pai.
Homens que acabavam arruinando tudo. Que escarneciam do casamento, que transformavam mulheres sonhadoras e apaixonadas em seres desesperados e sem amor-próprio que fariam qualquer coisa para descobrir por que foram abandonadas pelo marido.”
*Dez formas de fazer um coração se derreter (pág. 110).”

Lady Isabel Townsend aprendeu a se virar desde cedo. Nunca precisara de um homem, nem mesmo para consertar o telhado da propriedade de Townsend Park. Aos 24 anos, a moça comanda a casa que esconde segredos perfeitamente bem, até que seu pai, o conde de Reddich, morre sem lhe deixar nenhum dinheiro.
A única saída para Isabel é vender as esculturas gregas que tanto ama e herdara de sua mãe. Na busca desesperada por achar uma luz no fim do túnel, ela encontra lorde Nicholas St. John, um antiquário que esconde diversos segredos também – o que a jovem nem desconfia é que Nick também a estava procurando.
Mais uma mocinha atrevida e independente de Sarah MacLean: Isabel é uma mulher forte, que cuida do irmão ainda criança, e abriga mais de 20 mulheres em sua propriedade. Ela, porém, nunca quis conhecer o amor. Como em “Nove regras a ignorar antes de se apaixonar” – primeiro livro da série “Os números do amor” (resenha aqui!), a protagonista do romance de Sarah MacLean não pensa em se casar, mas desta vez, não é porque nunca foi cortejada: a moça já teve vários pretendentes enviados por seu desnaturado pai.

“Nick repassou os criados em sua mente: o cavalariço, o mordomo efeminado, a coleção variada de lacaios pequenos e únicos.
Isabel tinha uma casa cheia de mulheres.
Era por isso que estava no telhado, quase se matando para consertá-lo. Porque não tinha mais ninguém para fazê-lo por ela.” 
*Dez formas de fazer um coração se derreter (pág. 101).

Eu confesso que, por diversos momentos, perdi a paciência com a mocinha nada comum da obra. Ela é, definitivamente, umas das personagens mais orgulhosas e inabaláveis que eu já conheci – o problema é que, quando uma oportunidade de salvar o mundo particular dela aparece, ela simplesmente joga fora, por medo. Felizmente, Nick abala a vida que Isabel julga ser perfeita e dá um jeito no que estava quase perdido. Ele é um personagem incrível: inteligente e sagaz, como a mulher teimosa pela qual ele se apaixona.
É difícil comparar Calpúrnia e Gabriel – o casal protagonista do primeiro livro da trilogia – com Isabel e Nick. A lady que vive em Yorkshire se esconde da sociedade, ao passo que Calpúrnia era uma mulher irretocável, conhecida por todos pela sua postura exemplar. É importante ressaltar que Gabriel, o marquês de Ralston, é irmão gêmeo de Nick, portanto, as histórias se cruzam durante o enredo.
A trama ganha vida com citações do periódico fictício “Pérolas e Peliças”, que, no início da obra já nos surpreende ao elencar Nick como um dos homens mais cobiçados de Londres – o encontro dele com Isabel, no interior, só acontece por conta da fuga do antiquário que odeia as fofocas da sociedade.
A série “Os Números do Amor” é especial por nos apresentar elementos que dão graciosidade para a trama. No caso da obra aqui resenhada há trechos da revista fictícia “Pérolas e Peliças” – em meados de 1823 – nos quais as damas são instruídas a conquistar um lorde em 10 passos – o que explica a tradução do título. Provando ser a audácia em pessoa, Isabel não segue nenhuma das dicas quando as meninas da Casa de Minerva tentam a convencer de fazer o contrário. A lady ganha pontos por ser uma mulher independente e é o exemplo de que quebrar as regras machistas da sociedade não é o fim, nem mesmo para uma dama.
“Dez formas de fazer um coração se derreter” tem 352 páginas, divididas em 22 capítulos. A trama é bem fluida – como de praxe nos romances de época traduzidos e publicados pela Arqueiro –, e o foco narrativo é o romance entre Isabel e Nicholas, a partir do qual eles buscam a salvação da Casa de Minerva. A relação temporal é linear, havendo analepses exclusivamente nos diálogos entre os personagens.
Aos 37 anos, Sarah MacLean é colunista do jornal estadunidense The Washington Post. Ela é formada pela Smith College e pela Universidade de Harvard. Com romances traduzidos para 20 idiomas, a autora já venceu o prêmio RITA de romances de época.
Esse gênero é para todos aqueles que gostam de um bom drama. Os livros de Sarah MacLean não fogem à regra das mocinhas que encontram seus príncipes encantados quando mais precisam, porém, vale a pena conferir: rendem cenas cômicas e nos dão esperança quanto à narrativa de mulheres de temperamento forte, bem à frente de seus tempos.




Bibliografia de SARAH MACLEAN (ordem cronológica):

Livros:
  •  Entre a culpa e o desejo – Gutenberg (2015).
  • Entre o amor e a vingança – Gutenberg (2015).
  • Nunca julgue uma dama pela aparência – Gutenberg (2015)
  • Entre a ruína e a paixão – Gutenberg (2016).
  • Nove regras a ignorar antes de se apaixonar – Arqueiro (2016).
  • Dez formas de fazer um coração se derreter – Arqueiro (2016).
Top comentarista n°4: Clique para participar

Comentários
10 Comentários

10 comentários:

  1. Esse livro parece ser bem divertido e diferente dos romances de época que eu costumo ver, pelo menos foi essa a impressão que eu tive pelas resenhas que tenho lido. ele é bem maior do que eu imagineei que seria, mas ainda bem que a leitura é fluida. Gostei de saber a sua opinião.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eduarda! Sarah MacLean tem uma forma simples e, ao mesmo tempo, rica de contar histórias de mulheres extraordinárias. "Nova Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar", o primeiro livro dessa trilogia, é ótimo também!

      Beijos

      Excluir
  2. Já li o primeiro livro e estou doida para ler esse!
    Essa capa é magnifica! E a história parece muito boa!
    Amo romances de época!
    Amo imaginar o cenário e os vestidos que usam!
    Amooo!
    ótima resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rita! Esse livro é tão bom quanto o primeiro: cada um contém suas especificidades que os tornam únicos!

      Beijos

      Excluir
  3. Ah essa série! Estou doida pra ler. Mas essa personagem do livro pode acabar dando nos nervos então heim? Parece beeeem diferente da outra. Mas gostei. O livro está bem legal e acho que mesmo a personagem podendo irritar no começo ela deve se redimir aí ao longo da história. O mocinho já me conquistou, então acho que vou ler mais por ele que por todo o resto xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Lady Isabel é, com certeza, uma personagem difícil, mas nos cativa durante a trama! E o mocinho... é espetacular.

      Beijos

      Excluir
  4. Isadora!
    Que nome é esse? Calpúrnia! Eca!
    Fora isso, adoro romances e se tem dramas, ainda melhor, fico totalmente encantada com a leitura.
    E gostei ainda mais por saber que ainda tem um lado hilário, bom rir.
    “Capacidade de saber cada vez mais sobre cada vez menos, até saber tudo sobre nada.” (Millôr Fernandes)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de NOVEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudynalva! O nome Calpúrnia é terrível mesmo, mas a escolha é explicada durante a trama do primeiro livro desta trilogia. Tirante o nome, a personagem é surpreendente por carregar sutileza e sagacidade.

      Beijos!

      Excluir
  5. Olá Isadora!
    Estou louca pra começar essa série que estão mto bacana...Estou pra começar o vol 1 e ainda não consegui...
    Parabéns pela resenha!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline! Por que não começou ainda? Você vai gostar muito do enredo desta trilogia!

      Beijos.

      Excluir

Deixe o seu comentário!