Tecnologia do Blogger.

31/12/2016

Resenha - O Inimigo do Mundo (Leonel Caldela)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: CALDELA, leonel. O Inimigo do Mundo. 1ª edição. Porto Alegre, Jambô Editora, 2006. 368 páginas.
Gênero: Fantasia medieval
Temas: Aventuras, magia, deuses, monstros, morte.
Categoria: Literatura Nacional
Ano de lançamento: 2006
Série: O Inimigo do Mundo (Volume 1); O Crânio e o Corvo (Volume 2) e O Terceiro Deus (Volume 3).









Ashlen não conseguia evitar uma careta de desgosto. O pensamento do fugitivo praticando aquelas coisas medonhas com as garotas do lugar revoltava-lhe as tripas. Lentamente Ashlen percebia que aquele não era um vilão de histórias: era um homem muito real e perigoso, e que fazia coisas muito ruins com pessoas que não mereciam. Pessoas que também não eram descrições em um livro de contos – deixavam filhos, esposos, amigos; e sofriam, e gritavam como porcos antes de morrer.
Não havia nada de muito heroico em trilhar o rastro inundado de sangue.”
*O Inimigo do Mundo (pág. 93).
              
              Uma deusa em busca de vingança.
Um grupo de aventureiros em busca de justiça.
             Um intruso vindo de outro mundo em busca de conhecimento.
O primeiro sangue foi derramado e aventureiros foram escolhidos por mãos divinas para cumprir uma missão que coloca em xeque a existência do mundo conhecido.
O Inimigo do Mundo, obra do autor Leonel Caldela leva o leitor ao mundo mágico de Arton, onde deuses reinam absolutos sobre o mundo, monstros espreitam em cada ermo e heróis diariamente salvam uma vila, uma cidade, um reino, o mundo.
A história começa quando Glórienn, a deusa dos elfos encontra a Ordem Morta de Vidência e Numerologia, uma sociedade criada em segredo por Tanna-toh, a deusa do conhecimento, pois os monges que lá viviam conseguiam prever através de cálculos complexos respostas sobre o universo que não cabiam nem mesmo aos deuses terem conhecimento. No entanto, de alguma forma, Glórienn soube da existência desse local. A deusa recentemente havia perdido vários de seus filhos elfos em uma batalha contra a Aliança Negra, um exército cruel e mortífero de goblinoides sob o estandarte de Ragnar, o deus da morte, e procurava ali respostas sobre como contra-atacar.
Paralelo a isso, no mundo material, um grupo de aventureiros é contratado por uma jovem chamada Irynna, que teve seus familiares cruelmente assassinados por um homem misterioso que logo ficou conhecido pela alcunha de Albino. Esse grupo era formado por 8 aventureiros: Vallen Allond, Ellisa Thorn, Andilla Dente-de-Ferro, Artorius, Nichaela, Rufus Domat, Gregor Vahn e Ashlen Ironsmith. Um estrangeiro chamado Masato Kodai, que também estava atrás do Albino por seus próprios motivos se junta ao grupo, totalizando 9 membros.

Decidiram caminhar juntos até a cidade de Horeen. Masato e Vallen não estavam muito satisfeitos com a presença um do outro, mas aventureiros aprendem rápido a tolerar pessoas estranhas.
- Então, somos nove – disse Ashlen. – De alguma forma, parece um bom número.
*O Inimigo do Mundo (pág. 23).
Da esquerda para a direita: Ashlen Ironsmith, Andilla Dente-de-Ferro, Gregor Vahn, Masato Kodai, Nichaela, Artorius, Vallen Allond, Ellisa Thorn e Rufus Domat
Eu já mencionei várias vezes a importância desse livro na minha vida de leitor, mas nunca havia mostrado de fato o livro para vocês. Hoje é o dia. Depois de 10 anos, estou revisitando a obra que me fez pegar o gosto definitivo pela leitura. O Inimigo do mundo é uma história que fala sobre pessoas que se aventuram por um mundo cheio de perigos e desafios. A obra é totalmente ambientada em Tormenta, um cenário de RPG criado pelos autores Marcelo Cassaro, Rogério Saladino e J.M. Trevisan, conhecidos entre seus fãs pela alcunha “Trio Tormenta”.
Leonel Caldela aparece como estreante e o Trio havia posto em suas costas a responsabilidade de criar o primeiro romance oficial, aquele que desencadearia uma mudança gigantesca na forma como os fãs enxergavam o cenário, antes com uma roupagem de anime por conta da HQ Holy Avenger. Ele certamente fez bonito e aposto que superou as expectativas do Trio.
O Albino, antagonista do livro, é um intruso de outro universo que tenta aprender sobre o mundo de Arton e com ele, os leitores que desconhecem o cenário aprendem junto. Em Arton existem 20 deuses, uma leva gigante de deuses menores, heróis poderosos, monstros perigosos, um conglomerado de reinos chamado “Reinado”, cada qual governado por um regente e um par de outras peculiaridades que engrandeceram o cenário de RPG nacional mais famoso do Brasil. E é usando dessa ferramenta (junto aos outros personagens da obra) que Caldela explica ao leitor como funciona o cenário, descrevendo seus reinos, suas cidades, seus monstros e demais características próprias do mundo. É também com o Albino que vemos o quanto a obra é adulta e sombria em certos momentos. Não faltam sofrimento e morte na narrativa de Caldela, e quando você pensa que a coisa abrandou, na página seguinte ocorre outro combate frenético e mais mortes.

Não houve um instante de surpresa, porque a dor ocupou-o. Todos sentiram lâminas sem fim penetrando-lhe as costas, os pés, a carne macia e vermelha debaixo dos olhos, o interior das orelhas, o céu da boca, os órgãos genitais. Ninguém conseguiu gritar, mudos de uma dor impossível em cada centímetro do corpo. Cada uma era insuportável por si só, e não houve um deles que não achasse que iria enlouquecer de agonia infinita, e apenas Nichaela não desejou a morte.
*O Inimigo do Mundo (pág. 194).
Ali a escuridão era vermelha...
Os personagens aventureiros liderados por Vallen são quase que uma história à parte. Cada um deles dotado de sua própria personalidade e maneirismos característicos de sua nacionalidade. Mas o que certamente os torna interessantes são suas características humanas, aquelas que nos identificamos. Sonhos, desejos, ambições, medos, segredos, vulnerabilidades que os aproximam ainda mais do leitor. E cada um dos personagens tem seu destaque, sua vez, sua jogada. Leonel brilhantemente faz com que nos importemos com seus destinos e torçamos para que tudo acabe bem no final e consigam capturar o tal Albino, o que torna a leitura ainda mais ágil e frenética a cada página.
E claro, temos os deuses. O mundo é governado por 20 deuses maiores e cada um deles governa um aspecto do mundo (Justiça, caos, morte, Magia) ou raça (Elfos, Humanos, Minotauros) e é interessante analisar a odisseia de Glórienn em busca de aliados para enfrentar Ragnar, o deus da morte. Em certas passagens do livro somos apresentados a cada um desses deuses e acredito que cada passagem seja uma “cereja de bolo” onde paramos para degustar e apreciar esses seres de poderes imensuráveis que governam o mundo.

- Preciso falar com você – disse Keenn.
Antes de acabar a frase, o Deus da Guerra, em seu corpo gigantesco, avançou e golpeou Megalokk, atingindo um dos queixos debaixo para cima, com seu martelo. O Deus dos Monstros foi arremessado no ar, com um uivo de raiva e dor, e aterrissou sobre uma planície, destruindo a terra e a pedra e formando um desfiladeiro. Quando se pôs em pé, o gigante de armadura já estava de novo à sua frente, e desceu a espada com força monumental em seu ombro. O Deus-monstro por pouco conseguiu se desviar do golpe, e bateu as poderosas asas para alçar voo para longe do adversário.
O furação resultante devastou uma floresta.
*O Inimigo do mundo (pág. 287)

Os 20 Deuses do Panteão. Cada qual regente em algum aspecto do mundo
Acho que já me estendi bastante nessa resenha, mas quero deixar abertamente aqui um agradecimento ao autor Leonel Caldela e ao Trio Tormenta por terem se empenhado tanto em criar um cenário e uma história do qual eu tenho muito orgulho de dizer que é nacional, é da nossa terra.
Que Arton e seus habitantes sejam eternos nos corações de seus jogadores.
A obra é narrada em terceira pessoa e toda linear. Nela acompanhamos a história dos personagens em três tempos: a trilha de morte deixada pelo Albino, a jornada dos aventureiros no encalço do inimigo e as cisões dos deuses em relação à arma de Glórienn. A fluidez da narrativa é ágil, mas pode dificultar um pouco a vida de quem não está habituado a narrativas fantásticas pela riqueza de detalhes, tanto nos combates, quanto no cenário em si. O livro é dividido em duas partes: Perseguição e Ruína. Um detalhe curioso: os capítulos que narram ações dos deuses não têm numeração. Todo o resto conta com o número do capítulo e um título.
A revisão está boa, com poucos erros. Como li a primeira edição (sim, a de 2006!) não sei dizer como estão as outras. Atualmente o livro se encontra em sua terceira edição. A diagramação também está boa, o problema maior fica por conta da letra, que é muito pequena (talvez para comportar a história em um número menor de páginas), o que pode dificultar a leitura para pessoas que tenham problemas de visão ou em ambientes com movimento, como um ônibus. Há um mapa no início do livro e um apêndice ao final com explicações sobre o mundo de Arton.

O mapa do Reinado. Ajuda bastante a se localizar na história.
Leonel Caldela é um dos maiores nomes da literatura fantástica nacional na atualidade. É autor da Trilogia da Tormenta, série de romances no maior cenário de RPG nacional, composta por O Inimigo do Mundo, O Crânio e o Corvo e O Terceiro Deus. Também escreveu O Caçador de Apóstolos e Deus Máquina, romances de fantasia medieval em universo próprio. Escreve, edita e traduz livros de RPG pela editora Jambô e é um dos autores do selo Fantasy – Casa da Palavra, escrevendo o Código Élfico (resenha aqui). Escreveu também Ozob, uma adaptação de um RPG Cyberpunk do Jovem Nerd e os livros de fantasia A Lenda de Ruff Ghanor: O Garoto Cabra (resenha aqui) e A Lenda de Ruff Ghanor: Herdeiro do Leão.
Recomendo inicialmente para os jogadores de Tormenta. É leitura obrigatória para aqueles que rolam dados no cenário de RPG e serve para entender como surgiu a maior ameaça do mundo de Arton. Aos leitores de fantasia, pois a obra é recheada de combates, magia, cenários, monstros e tudo o mais que uma boa fantasia carrega consigo. Aos que ficaram curiosos e querem se aventurar pelo mundo de Arton, O Inimigo do Mundo é uma ótima porta de entrada. Enfim, recomendo para todo mundo porque essa obra é fantástica.
Dou adeus a esse ano com uma obra que me fez lembrar que em um dia podemos estar aqui, aproveitando a vida e no outro, embarcar em uma jornada além do mundo material. 2016 foi um ano muito difícil para muita gente e espero que 2017 traga coisas melhores para todos nós. Fica o ensinamento do valor que devemos dar àqueles que estão próximos a nós, pois nunca saberemos até quando estaremos por aqui. Deixo uma última frase usada por Gregor Vahn, paladino do deus da ressurreição, durante a narrativa deste livro:
            Não há morte.

Bibliografia de LEONEL CALDELA (ordem cronológica):

Livros:

  • O Inimigo do Mundo – Jambô Editora (2006)
  • O Crânio e o Corvo – Jambô Editora (2007)
  • O Terceiro Deus – Jambô Editora (2008)
  • O Caçador de Apóstolos – Jambô Editora (2010) 
  • Deus Máquina – Jambô Editora (2011)
  • O Código Élfico – Fantasy, Casa da Palavra (2013)
  • A Lenda de Ruff Ghanor: O Garoto Cabra – Nerd Books (2014)
  • A Lenda de Ruff Ghanor: Herdeiro do Leão – Nerd Books (2015)



Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Luciano!
    Fiquei daqui apenas imaginando o quanto esse livro é importante para você...
    Também com tanta aventura, mapa, personagens bem definidos e um enredo carregado de ação, não poderia ser diferente.
    Muito bom.
    “Não existem sonhos impossíveis para aqueles que realmente acreditam que o poder realizador reside no interior de cada ser humano. Sempre que alguém descobre esse poder, algo antes considerado impossível, se torna realidade.” (Albert Einstein)
    FELIZ 2017!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Acho muito legal quando vemos aquele livro que marca a vido do leitor, ainda não conhecia esse livro, mas lendo a resenha fiquei muito curiosa para poder conhecer essa historia, esse mundo criado pelo autor parece ser diferente e fantástico, fiquei muito curiosa para saber mais sobre ele e se tiver oportunidade com certeza irei ler esse livro !!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!