Tecnologia do Blogger.

05/01/2017

Academia Opina: As livrarias se tornaram supermercados

Livraria Travessa do BarraShopping

Olá, queridos leitores da Academia! Hoje tem Academia Opina, o primeiro de 2017! Sei que no ano passado falei muito pouco sobre as coisas que aconteciam no mundo literário e espero aumentar os posts opinativos! Hoje vou dar minha breve opinião sobre um artigo que li esses dias. Vamos lá?

          Há alguns dias meu grande amigo jornalista e escritor Marcos Linhares me marcou em um artigo escrito pelo escritor e gestor cultural Afonso Borges para a coluna de cultura do Jornal O Globo. O artigo é antigo, data de 2015, mas a problemática pouco mudou. No texto, Afonso argumenta que as livrarias viraram supermercados, onde o que vale não é a importância de uma determinada obra para um determinado público e sim o montante de dinheiro que uma editora pode pagar para ter seu livro exposto no melhor local possível sem qualquer senso criterioso que não seja o número de “zeros” depositados na conta da livraria.            
         Ele argumenta que é necessário que o leitor tenha um repertório antes de entrar em uma livraria. Que é necessário ter uma ideia do que você quer para não cair na armadilha do “se está aqui é porque é bom”. Estudando, analisando e conversando com pessoas no meio fica fácil ver que ao entrar em uma livraria, sua visão é preenchida por gôndolas e prateleiras e mais prateleiras e tudo ali (existem exceções, claro) tem um preço. Mas não estamos falando aqui do preço do livro e sim do preço do local que ele está. É um espaço que é vendido, tornando todo o sistema (autores, editoras, livrarias e leitores) a mercê de quem consegue pagar pelo espaço.
Nesse sentido fica claro a importância do trabalho dos blogueiros literários. Não é querendo fazer propaganda, não é querendo puxar sardinha para o lado de ninguém, mas é importante que entendam que os blogs literários podem ser (e são) uma boa fonte de pesquisa sobre o livro da vez (ou o livro que não foi da vez, mas é muito bom). E em como qualquer trabalho, existem os bons e ruins. Existem os que querem realmente divulgar literatura e os que só querem ganhar algo com a divulgação, mas não é esse o foco desse texto.
O autor do texto cita vários escritores da nossa literatura como fonte de consulta para a aquisição de novos livros, e eu, na minha simplicidade de quem é apenas um leitor e não um crítico literário poderia muito bem citar vários outros nomes da nossa literatura que são sensacionais. Inclusive muitos que não conseguem um canto para expor seus livros em uma boa livraria por conta dessa estratégia mercadológica que sem qualquer cerimônia pode troca qualidade por quantidade (leia-se dinheiro). Até porque, se os grandes nomes não conseguem expor seus livros como antes, imagina os que começaram agora?
(imagem)
Porém, ao invés de citar mais autores, farei algo diferente citando blogueiros literários cujo trabalho você pode conferir. Então, aqui vai uma lista rápida: Raphaela, Equalize da Leitura; Juliana, Nuvem Literária; Paulo, Ponto para Ler; Jéssica, Leitora Sempre; Isamara, Dicas da Isa; Vanessa, Nessa News; Reniére, Palavras Radioativas; Bruna, Brooke Bells; Bárbara, Segredos entre Amigas; Ana Gabriela, Bela PsicoseAntônia, Fotografe um Livro  e muitos outros blogueiros maravilhosos que disseminam literatura e que merecem destaque e reconhecimento pelo trabalho que realizam pela educação brasileira.
No texto o autor afirma que o velho e bom livreiro morreu. E eu digo que os blogueiros estão aqui, firmes e fortes para fazer a ponte entre livro e leitor.

Obs: Só lembrando que nesse texto não estou argumentando contra ou a favor do sistema, até porque não o conheço tão bem assim para poder opinar com segurança. Apenas dei minha opinião (e um pequeno complemento) a respeito do texto. Para ver o artigo do Jornal O Globo na íntegra: aqui.

Concordam? Discordam? Vamos debater um pouco nos comentários ;)

Leia também minha reportagem que saiu no Jornal Correio Braziliense sobre Clubes de Leitura




Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Luciano!
    Vou concordar com você no ponto que nós blogueiros somos mesmo fontes de informações, principalmente em relação aos livros, mas até nós caímos nas armadilhas das editoras que nos disponibilizam os livros que eles querem ver em destaque, concorda?
    Entrar numa livraria para quem não acompanha como nós o mundo literário mais de perto, é realmente um incentivo para se comprar, seja lá que livro for.
    É minha opinião.
    “O silêncio é de ouro e muitas vezes é resposta.” (Sabedoria popular)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro! Todos do sistema estão sujeitos as regras. Tudo é marketing. O que eu quis colocar no texto é que os blogueiros não são citados em quase lugar nenhum pelo trabalho que desempenham. :)

      Excluir

Deixe o seu comentário!