Tecnologia do Blogger.

21/01/2017

RESENHA – O Conde Enfeitiçado (Julia Quinn)

Ficha técnica:
Referência bibliográfica: QUINN, Julia. O Conde Enfeitiçado – série “Os Bridgertons”. 1ª edição. São Paulo, Arqueiro, 2015. 304 páginas. Tradução: Cláudia Costa Guimarães.
Gênero: Romance histórico
Temas: suicídio, filhos órfãos
Categoria: Literatura Estrangeira
Ano de lançamento: 2004 no exterior e 2015 no Brasil
Série: O Duque e Eu (Livro 1), O Visconde que me amava (Livro 2), e Um perfeito cavalheiro (Livro 3), Os segredos de Colin Bridgerton (Livro 4), Para SirPhillip, Com Amor (Livro 5), O Conde Enfeitiçado (Livro 6), Um Beijo Inesquecível (Livro 7), A Caminho do Altar (Livro 8) e E Viveram Felizes para Sempre (Livro 9).





“Um instante tão extraordinário, tão claro e tão nítido que temos a sensação de havermos sido golpeados no peito, deixados sem fôlego, sabendo, sem a menor sombra de dúvida, que nossa vida jamais será a mesma”.
O Conde Enfeitiçado – Livro 6. (posição 71  de 5.638 páginas - E-book via Amazon)


Leitores, eu adoro a série dos “Bridgerton”, sendo composta por oito livros, cada um com uma história diferente de cada irmão Bridgerton, o nono é sobre a mãe deles, Violet, com oito epílogos extras, um de cada irmão.
Julia Quinn
Neste livro, vamos conhecer a história da Francesca Bridgerton. Tinha um certa curiosidade para conhecê-la, tendo em vista que ela não aparece muito nos livros anteriores. Tirei uma foto (imagem ao lado) da árvore genealógica da família, para facilitar a sua compreensão. 
O Michael Stirling era primo do conde de Kilmartin, John. Eles foram criados como irmãos. Os pais deles eram irmãos gêmeos, mas como o pai de John nasceu alguns minutos antes, então, ele herdou o título de conde. Porém, mesmo que Michael não tenha sido o conde, ele nunca sentiu inveja do seu primo, pelo contrário, sempre o admirou muito. Todavia, para o seu desamparo, ele se apaixonou justamente pela esposa do primo, Francesca Bridgerton, no momento em que a viu pela primeira vez.
Ao longo dos dois anos de casamento entre os dois, o Michael tentou disfarçar muito bem o seu amor por ela. Ele virou um libertino, pois buscava em outras mulheres aquilo que ele nunca poderia ter (clichê, não?). Por ser o melhor amigo do primo, ele se tornou, também, melhor amigo da Francesca. Ela sempre gostou muito dele e o tinha como um dos seus amigos e confidentes mais queridos, contudo, ela nunca desconfiou que ele tinha algum outro sentimento por ela, a não ser de amizade. Leitores, deve ter sido bem difícil para o Michael, não é mesmo? Viver próximo do grande amor da sua vida sem poder nunca demonstrar o seu sentimento.
Para a tristeza dela, o conde morreu. Como eles não tinham herdeiros, o Michael, que era o próximo na sucessão do título, se tornou o novo conde de Kilmartin. Mas ele não suportava a dor e a culpa, pois nunca quisera nada do seu primo – nem o título, poder ou dinheiro que ele tinha – com exceção da Francesca.
A Francesca ficou inconsolável com a morte do marido e tentou buscar consolo com seu amigo. Porém, para o Michael era muito difícil ajudá-la nesse momento e ainda ter que assumir as responsabilidades que antes eram do John. Sendo assim, ele resolveu partir para a Índia, e ficou por lá durante quatro anos.
Ao retornar, eles se encontraram novamente. Ambos mais maduros. A Francesca, que agora tinha 26 anos, estava com muita vontade de ser mãe. Para isso, ela precisava se casar novamente, todavia ela sabia que nunca mais conseguiria entregar seu coração para mais nenhum homem.
Leitores, com o retorno do Michael será que ele conseguiria aguentar o grande amor da sua vida procurar outro marido? Não vou contar aqui, até porque é romance histórico e, provavelmente, vocês já devem suspeitar o que vai acontecer. Admito que esperava um pouco mais da Francesca, contudo achei compreensíveis algumas atitudes dela. Quanto ao Michael eu não tenho nada a reclamar dele, pelo contrário, sofri com ele todo esse drama de amor não correspondido.
A Julia Quinn, autora do livro, começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons. É formada pelas universidades Harvard e Radcliffe. Seus livros já entraram na lista de mais vendidos do The New York Times e foram traduzidos para 26 idiomas. Foi a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, e atualmente mora com a família no Noroeste Pacífico.
O livro possui 24 capítulos, e é narrado de forma linear cronológica. Ele foi escrito pelo ponto de vista do Michael e da Francesca, em primeira pessoa. A cada início de capítulo tem alguns trechos de cartas que tanto o Michael quanto a Francesca trocaram com alguns familiares, como a mãe dele e a irmã dela, Eloise. Além disso, o livro foi dividido em duas partes, a primeira sobre a morte do John e a segunda quando o Michael retorna da Índia.
Ainda mais, a editora disponibilizou um trecho do próximo livro da série, “Um beijo inesquecível”, que conta a história da Hyacinth, irmã mais nova da Francesca, e do Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury (para ler um trecho do próximo livro, clique aqui).
Todos os livros da série já foram publicados no Brasil pela editora Arqueiro. Do pouco que vi da Hyacinth nos livros anteriores, tenho muita expectativa sobre a história dela.
O Conde Enfeitiçado

Bibliografia da JULIA QUINN (ordem cronológica):

Livros:
     O Duque e Eu – Arqueiro (2013)
     O Visconde que me amava – Arqueiro (2013)
     Um perfeito cavalheiro - Arqueiro (2014)
     Os segredos de Colin Bridgerton – Arqueiro (2014)
     Para Sir Phillip, Com Amor – Arqueiro (2015)
     O Conde Enfeitiçado – Arqueiro (2015)
     Um Beijo Inesquecível – Arqueiro (2016)
     A Caminho do Altar – Arqueiro (2016)
     E Viveram Felizes para Sempre – Arqueiro (2016)



Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Gabi!
    amo os romances de época e essa é uma das séries que quero ler esse ano, acho demais cada casal formado e cada enredo com uma história diferente e envolvente.
    Semaninha De muita luz e paz!
    “Eu não procuro saber as respostas, procuro compreender as perguntas.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rudy, essa é uma das minhas séries favoritas de romances de época ;)

      Excluir

Deixe o seu comentário!