Tecnologia do Blogger.

24/02/2017

Kimberly Bradley combina ternura e realidade em obra sobre a Segunda Guerra

Olá, queridos leitores!!! Cheguei com muito amor para dar hoje, só que tem um pequeno detalhe, é amor com terror. Vocês gostam? Espero que sim, porque a DarkSide tem novidade na linha de romances macabros, #Darklove. O livro em questão se chama A Guerra que Salvou a Minha Vida e vocês saberão mais sobre ele lendo esse post. 


Não estou falando de amor romântico, mas de amor na sua versão mais intrínseca, amor pela família e pelo lar.  


Sobre a obra:


Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando.  Com a eminência dos bombardeios de Hittler ela e seu irmão se veem tendo que deixar a família para trás para irem em direção o interior da Inglaterra. Uma fuga em busca de uma vida melhor, mas que não irá polpa-los das dores produzidas pela guerra. A expressão do ódio em forma de batalhas sangrentas é vista pelos olhos dessa menina, e não pelos de um soldado, que enfrenta a fome e a falta de sua família. Trata-se da perspectiva de uma garota que se torna refugiada dentro de seu próprio país, como milhares de outras crianças se sentiram na Segunda Guerra Mundial . Um livro que faz relembrar valores como o companheirismo e a amizade, valores estes que podem fazer o amor reina sobre o terror.  


Sobre a autora:


Kimberly Brubaker Bradley vive com o marido e os filhos em uma fazenda no sopé das Montanhas Apalaches, entre pôneis, cães, gatos, ovelhas, cabras, e muitas, muitas árvores. É autora de vários livros, entre eles Leap of Faith e Jefferson’s Sons. A Guerra que Salvou a Minha Vida ganhou o Newbery Honor Book, o Schneider Family Book Award e o Josette Frank Award, além de ter sido eleito entre os melhores livros de 2015 pelo Wall Street Journal, a revista Publishers Weekly, a New York Public Library e a Chicago Public Library, entre outros. Saiba mais em kimberlybrubakerbradley.com.

 “Dolorosamente adorável [...] Com nuances e emoções certeiras, este conto vívido sobre os tempos de guerra fará com que os leitores sofram com cada tropeço de Ada e se alegrem com suas vitórias — a ponto de trazer lágrimas aos olhos.”
— THE WALL STREET JOURNAL 

“Envolvente, tocante, sutil [...] Esta é uma história que fará com que o leitor se sinta bem, mas ele terá que conquistar isso. [...] Um romance diferente e poderoso à sua própria maneira.”
— THE HORN BOOK 


 "Tentamos fugir desde mundo cruel, ou melhor, dessas pessoas cruéis, mas muitas vezes o ódio ainda é capaz de nos alcançar, a solução é lutar com as nossas melhores armas, nossos corações e sua melhor habilidade, o amor."
-SARAH MASCARENHAS


Bem, é isso pessoal. espero que tenham gostado da indicação. Me contem nos comentários o que fariam se estivessem na situação em que Ada se encontra. Não deixem de compartilhar esse post.

Beijos!!! 😉💕
Comentários
10 Comentários

10 comentários:

  1. Sara, creio que esse livro simplesmente é incrível! As críticas dele respondem por si.
    Ainda não li nenhum livro da DarkSide mas esse romance dark está me deixando ansiosa pela leitura. E sinceramente, não sei o que eu faria se me encontrasse nessa situação, com certeza ficaria muito perdida. Uma criança na Segunda Guerra Mundial, tentando se salvar e também salvar o irmão, nossa... É difícil me colocar na situação da Ada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? Eu acho que ficaria perdida, em choque. Nunca se sabe sem ter mesmo vivido. Aposto minhas fichas que esse livro é incrível, assim como você.
      Beijos, Nicoli! <3

      Excluir
  2. Os livros da DarkSide são tão bem selecionados e tão bem trabalhados que diante dessa obra a gente não espera menos que uma história completamente envolvente. O tema abordado é algo que não deve ser esquecido e eu, particularmente, amo ler sobre. Eu não conhecia a autora, mas é uma ótima indicação, obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mari! A Dark tem esse diferencial mesmo, suas pontuações estão corretíssimas. Por nada, obrigada a você por comentar.
      Beijos!

      Excluir
  3. Sarah!
    Muito, muito curiosa em poder apreciar a leitura desse livro, porque gosto tanto de romance, como de terror, sem contar com as edições da editora que são fabulosas e aguçam ainda mais a curiosidade.
    Bom carnaval e moderação, hein?
    “Não basta saber, é preferível saber aplicar. Não é o bastante querer, é preciso saber querer.” (Johann Goethe)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudy! Hahah, bom carnaval para você também, moderação sempre. "É preciso saber querer.", maior verdade.
      Beijos!

      Excluir
  4. Oi, Sarah!!
    Mais um livro fantástico da Darkside. Adoro as edições dessa editora. São livros muito bonitos e de uma qualidade maravilhosa. Com relação a história do livro fiquei bem empolgada para conhecer mais da Ada. Espero ansiosa resenhas desse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece bem tocante a história. Aposto que vai fazer muita gente chorar. Beijos, Marta!
      ;)

      Excluir
  5. Uhh, resenha, vamos ver. Obrigada pela sugestão de post.

    ResponderExcluir
  6. A Darklove é um dos selos preferidos meus, pois acho uma edição mais linda que a outra e muito muito delicada essa capa, achei uma das mais bonitas que encontrei até agora, lembra aquelas ilustrações estilo pinterest! Muito amor na capa, e sou a louca das capas! Além disso a sinopse já me encanta, amo livros com drama e drama dentro!

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!