Tecnologia do Blogger.

06/03/2017

Entrevistamos Artur Vecchi, editor da AVEC Editora



          Quantas mãos são necessárias para se fazer um épico da literatura contemporânea? Para Artur Vecchi, editor da Avec, um é pouco, dois é bom, mas três parece ser o número da vez.
          Pouco mais de uma semana atrás, conversando com meu amigo Enéias Tavares, fiquei ciente de seu mais novo projeto chamado Guanabara Real - A Alcova da Morte (inclusive, divulgamos a capa com exclusividade) e obviamente, fiquei encantado/empolgado com mais essa amostra inspiradora de ousadia. Não bastasse ter publicado um livro que explora uma Porto Alegre retrofuturista, reimaginando heróis clássicos da nossa literatura, Enéias partiu em uma nova jornada, agora acompanhado de outros audaciosos escritores e um editor que, como poucos fariam nesses tempos de crise, apostou na ideia (ou melhor, foi ele que deu a ideia). A Academia Literária DF conversou com o editor Artur Vecchi sobre a obra que se encontra em pré-venda na Saraiva (aqui) e estará disponível para os leitores em Abril.

Academia Literária
Poderia nos falar um pouco sobre a editora? Quando nasceu? Qual o perfil? Que gêneros de livros podemos encontrar no catálogo?

Artur Vecchi
A AVEC nasceu em 2014. Após participar da Odisseia de Literatura Fantástica, veio a vontade de voltar a editar, dai resolvi fazer uma mudança na carreira e abrir a AVEC Editora. O Catálogo da Avec possui em sua grande maioria títulos ligada a Literatura Fantástica, Terror, Fantasia e Ficção Científica. Tanto em romances quanto nos quadrinhos.

Academia Literária
Como se deu o processo editorial de criação de Guanabara Real - A Alcova da Morte? Desde sua concepção inicial do projeto até a pré-venda.

Artur Vecchi
O projeto surgiu de algumas constatações da realidade, a primeira é que tínhamos 3 autores com obras steampunk morando na mesma cidade que é Santa Maria, no RS. Inclusive quando estávamos iniciando a divulgação do Romance Le Chevalier e a Exposição Universal do A.Z. Cordenonsi, a Zero Hora, principal jornal do Rio Grande do Sul, fez uma matéria de página inteira com os 3 autores. Os três se dão muito bem, são professores da Universidade Federal de Santa Maria e já participavam de eventos literários na cidade juntos.
Ao mesmo tempo, o A.Z. Cordenonsi já era autor da Editora, trabalhei junto com a Nikelem, que tinha lançado o livro Territórios Invisíveis, na organização a 4ª Odisseia de Literatura Fantástica e já vinha conversando bastante com o Enéias, cujo universo do Brasiliana Steampunk me conquistou, considero um dos melhores lançamentos nacionais de 2014.
Daí surgiu a ideia que lancei para os autores de criarem juntos um romance onde cada um escrevesse uma parte do livro e que fosse um segundo universo além das obras que cada um estava
Capa assinada por Poliane Gicele e Vitor Coelho
desenvolvendo em suas respectivas editoras. E para minha surpresa, o desafio foi aceito de imediato pelos três. O processo se mostrou mais desafiador do que o esperado, por sorte com 3 autores excelentes e bem profissionais, conseguimos vencer todos os obstáculos.
Do ponto de vista editorial, no texto, era garantir que mesmo escrito por 3 autores diferentes, o livro tivesse unidade e que cada personagem tivesse o seu protagonismo dentro do texto. A AVEC é uma editora  que trabalha muito próxima aos autores, logo criamos uma democracia para decisão de todas as fases do projeto, desde o nome da agência de detetives, título do livro, os personagens, o enredo até a capa.
Logo, esse livro teve um processo de edição, revisão, capa, diagramação com muito mais idas e vindas do que os outros livros da editora. mas ao mesmo tempo ganhamos a força de estar trabalhando com 3 autores, cada um com sua base fãs. A troca foi muito grande. todos aprenderam muito com o processo.
Fora isso, a AVEC preza muito a experiência do leitor com o texto, logo em Guanabara Real: A Alcova da Morte, o leitor vai ter uma experiência única, com uma diagramação sensacional do carioca Vitor Coelho que teve paciência em negociar com o editor e os 3 autores. Esse é um livro que além do texto corrido, temos cartas e notícias de jornal de época. A  artista da capa, a pernambucana Poliane Gicele, também sofreu para trazer em imagem, os 3 protagonistas do romance, na visão de cada autor e do editor. Este é um livro que só foi possível através do uso maciço da internet para a troca de ideias.

Academia Literária
O livro foi escrito a três mãos. Imagino que cada personagem do livro seja um dos autores. Como editor, como e qual foi sua participação no processo criativo da obra? E como ficou essa divisão do que cada um tem de escrever?

Artur Vecchi
Definimos que cada capítulo do livro teria um personagem como foco, isso não quer dizer que os outros personagens não apareçam e interajam nesses capítulos, mas temos um narrador em 3ª pessoa contando os fatos sobre a ótica daquele personagem  durante  o curso da ação, e a investigação sempre vai em frente, com o leitor sempre acompanhando o que está acontecendo. Minha preocupação como editor, foi equalizar os narradores, para que o leitor não tivesse a ideia de que estava lendo 3 textos diferentes e de dar o mesmo protagonismo para cada personagem. Isso nem sempre foi fácil já que estamos trabalhando com um enredo que envolve ficção científica, horror sobrenatural e investigação policial.

Academia Literária
O que os leitores podem esperar da obra?

Artur Vecchi
Eu sou suspeito para falar, mas creio que os leitores vão adorar o livro. Temos 3 protagonistas cativantes,  Maria Tereza Floresta, a dona da agência de detetives Guanabara Real e seus associados, Remy Rudá, um dândi místico e Firmino Boaventura, um engenheiro positivista, um caso policial muito interessante, um antagonista de respeito e uma experiência visual única, com cartas e notícias de jornal de época. É um livro único escrito por três autores brilhantes.


Sobre o editor:

     Artur Vecchi, é economista, advogado e mestre em Marketing. Membro do Grupo Epic, Editor e faz tudo da AVEC Editora, onde já editou mais de 20 livros e é um dos primeiros autores de RPG do Brasil (RPG Monstros, 1995). Nerd de carteirinha e fã de quadrinhos, RPG,  séries, filmes, e cultura pop.

Guanabara Real - A Alcova da Morte é um livro de fantasia escrito por três autores habilidosos. O livro se encontra em pré-venda neste link. Hoje a editora liberou o primeiro capítulo para leitura neste link. Quer saber mais sobre a obra? Fica de olho que a Academia conversou com os autores também! Em breve sai entrevistas com cada um deles. 


Até a próxima.


Top Comentarista n°4: Clique para participar



Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Estou chocada com o fato de eu não conhecer esta editora, tudo bem que é uma editora mais nova, mas ainda assim, nunca li nada publicado por ela e os gêneros literários de seu catálogo são os que gosto de ler. Guanabara Real: A Alcova da Morte me chamou atenção, tanto pela sinopse quanto pela edição (a capa está linda). Gostei muito desta entrevista e é algo que o blog poderia trazer com mais frequência, pois para mim conhecer quem está por trás das publicações dos livros (não somente os autores) também é importante!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gislaine! Pois é, eu conheci tem pouco tempo também, porque um dos autores é um grande amigo de um autor que admiro muito. A capa está maravilhosa mesmo. Pode deixar que a dica está anotada!
      Beijão ;)

      Excluir
  2. Confesso que não conhecia essa editora ainda e fiquei bem curiosa depois do que conferi aqui.
    Apesar de os gêneros literários publicados pela editora não estarem com frequência nas minhas leituras, fiquei interessada.
    E o livro, em questão, parece ser uma leitura bem bacana.
    EU AMEI essa capa, sério! Poder conferir como são os personagens principais é GENIAL.
    Curti demais a entrevista!
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Eu não conheço essa editora, em minha defesa ela é nova, adorei a capa desse livro e fiquei muito intrigada para conferir a história, essa capa é absolutamente linda, adorei saber como surgiu a editora o projeto do livro, por que três autores escrevendo deve ter dado um pouco de trabalho, para não fugir do tema, emfim adorei.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Luciano!
    Primeira vez que vejo uma entrevista com um editor e não com um escritor e gostei muito de saber que ele foi o idealizador do livro e pode dar sua contribuição, dizendo quais diretrizes deveriam ser seguidas.
    Agora é esperar o lançamento e a resenha.
    “Saber de cor não é saber: é conservar aquilo que se deu a guardar à memória.” (Michel de Montaigne)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Esperemos pelo lançamento e resenhas!
      Beijos!

      Excluir

Deixe o seu comentário!