Tecnologia do Blogger.

29/04/2017

RESENHA – Quando a Bela domou a Fera (Eloisa James)

Eloisa James
Ficha técnica:
Referência bibliográfica: JAMES, Eloisa. Quando a bela domou a fera – série “Contos de Fadas”. 1ª edição. São Paulo, Arqueiro, 2017. 320 páginas. Tradução: Thalita Uba.
Gênero: Romance de época
Temas: Dr. House, A Bela e a Fera, médico
Categoria: Literatura Estrangeira, Literatura Americana
Ano de lançamento: 2011 nos Estados Unidos da América e 2017 no Brasil
Série: Quando a Bela domou a Fera (Livro 1)

“Ninguém nunca vai amar você como eu – garantiu ele, segurando as mãos dela e levando-as até sua boca. Ninguém a amou como eu amo. Você é meu coração e minha vida”.
Quando a Bela domou a Fera – Livro 1. (pág. 238)

Leitores, esta é uma série composta por cinco livros inspirados nos contos de fadas. Como os livros não possuem relação entre si, a editora Arqueiro aproveitou que ia ser lançado o filme “A Bela e a Fera” (clique aqui para saber mais) e lançou este livro, também inspirado nesses personagens, já que no exterior, este foi o segundo volume da série.
Apesar da história do livro ser inspirada no conto A Bela e a Fera, a autora se inspirou no personagem Dr. House, da série de TV, para criar o personagem principal, Piers Yelverton, Conde de Marchant. Como sou muito fã daquele personagem, não tinha como não amar o Piers.
Além de ser um nobre, o Piers era também um médico. Ele transformou o seu castelo, no país de Gales, em um hospital, onde recebia todos os enfermos da cidade. Lá, ele contava com a ajuda do seu primo, o francês Sébastien, e de quatro estudantes de medicina – Penders, Kibbles e Bitts. Ele não tinha paciência para muita baboseira e, muitas vezes, era sincero até demais, tornando muitas situações constrangedoras.
Quando era mais novo, ele sofreu um acidente, por culpa do pai, o Duque de Windebank. Esse acidente resultou em uma lesão na sua perna. Aproveitando-se disso, ele deixou que todos acreditassem que esse acidente afetou as suas partes “baixas” e que ele era impotente. Essa farsa era porque ele não tinha intenção nenhuma de gerar um herdeiro para seguir a linhagem do ducado de Windebank.
Já a Linnett Berry Thrynne é a nossa “Bela” da história. Sim, ela é belíssima. Talvez uma das mulheres mais bonitas do país, tanto que estava cotada para se casar com o príncipe da Inglaterra, Augustus. Porém, por conta de um mal-entendido, todos pensaram que ela estava grávida. Por causa disso, a moça ficou arruinada aos olhos da sociedade.
Todavia, a sua tia, Zenobia, achou um plano perfeito para ela, que era casá-la com o Piers. Afinal, o duque estava desesperado, pois seu filho não poderia gerar herdeiros para a família. Então, a solução seria que o conde assumisse a gravidez da Linnett e eles vivessem felizes para sempre.
Porém, leitores, a história não seria tão boa se fosse tão simples assim, não é mesmo? O duque adorou a ideia e levou a Linnett para conhecer o seu noivo. O Piers odiou a ideia, afinal não queria herdeiro, esposa e muito menos agradar ao pai. Contudo, ela e o Piers não esperavam que fossem tão parecidos. Sim, ela tinha uma língua até mais afiada que o conde. Então, pensem no turbilhão de confusão que esses dois causaram no castelo e com os pacientes.
A Eloisa James, autora do livro, escreveu seu primeiro romance depois de se formar em Harvard, mas o manuscrito foi rejeitado por todas as editoras. Depois de obter mais alguns diplomas e arranjar emprego como professora especializada em Shakespeare, ela tentou novamente, dessa vez com mais sucesso. Mais de 20 best-sellers depois, ela dá cursos sobre Shakespeare na Fordham University, em Nova York, é mãe de dois filhos e, numa ironia particularmente deliciosa para uma autora de romances, é casada com um legítimo cavalheiro italiano.
O livro possui 35 capítulos mais o epílogo, e é narrado de forma linear cronológica. Ele foi escrito pelo ponto de vista do Piers e da Linnett, em terceira pessoa. Ao final tem uma nota da autora que explica a criação do personagem e a relação com os personagens da Disney. Confesso que no início da leitura pensei que não fosse gostar muito do livro. Porém, com o virar das páginas, peguei-me ansiosa para avançar cada vez mais na história. Agora, estou aqui morta de ansiedade para pegar o próximo livro da série.
Por fim, aproveito para registrar que a sequência, “Um beijo à meia-noite”, ainda sem previsão para ser lançado aqui no Brasil, foi inspirado na história da Cinderela, minha princesa favorita. Será que estou ansiosa? Muito!  
Bibliografia da Eloisa James (ordem cronológica):
Quando a bela domou a fera

Livros:
     Quando a Bela domou a Fera – Arqueiro (2017)
Comentários
8 Comentários

8 comentários:

  1. Ahhhh Cinderela tbm é minha princesa favorita! Gente! Bate aqui!
    Todos falam que gostam mais da Bela, eu gosto mais da Cinderela!
    Estou ansiosa para a continuação!

    ResponderExcluir
  2. Ai meu corê! Estou super curiosa em relação a essa história.
    Ainda mais tendo a ver com A bela e a fera.
    Parece ser uma história super criativa, com um certo diferencial e muuuito delicinha, além de divertida.
    Espero conferir em breve, já está na minha listinha de desejados.
    E não sabia que o próximo livro era da Cinderela. ADOOOOOREI <3
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Caroline, foi uma "delicinha" mesmo ;)

      Excluir
  3. Oi Gabi,
    Fiquei curiosa para saber de onde veio a ideia de usar House como inspiração para o personagem Piers Yelverton e tudo que é descrito realmente lembra o médico da série. Fiquei com pena da Linnet em saber que será acusada de um escândalo e logo uma gravidez, pois considerando a época em que a história se passa, isso poderia arruinar de vez a vida dela. O envolvimento dos dois vai ser diferente do esperado e se a personalidade de Linnet for tão marcante quanto a de Piers será muito interessante fazer esta leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gislaine, boa pergunta. Assim que conseguir descobrir eu passo e atualizo a resenha ;)

      Excluir
  4. Gabi!
    Adoro as releituras dos contos de fadas e tenho certeza que vou amar ler toda a série, mas principalmente esse exemplar, porque o conto que mais amo em toda vida é A Bela e a Fera e ler sua resenha contando os detalhes do que encontrarei, deixou minha vontade ainda mais em alta.
    Bom domingo e feriado!
    “A sabedoria é a única riqueza que os tiranos não podem expropriar.” (Khalil Gibran)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário!